Destaque

Salário médio da Polícia Penal em MT é de R$ 8 mil, mais que o dobro da média nacional

Salário médio da Polícia Penal em MT é de R$ 8 mil, mais que o dobro da média nacional. Categoria ensaiou greve alegando baixo salário, mas o movimento foi declarado ilegal.

Publicado

na

O salário médio da maioria absoluta dos policiais penais que atuam no sistema penitenciário do Estado de Mato Grosso supera a faixa dos R$ 8 mil. A categoria ficou dias em greve, que foi declarada ilegal por diversas decisões do Tribunal de Justiça de Mato Grosso.
De acordo com levantamento feito no Portal da Transparência, dos 2517 policiais penais que atuam no estado, apenas 215 estão na fase inicial de carreira (A e B), e recebem entre R$ 3,3 mil e R$ 5 mil.
Os 2.302 agentes restantes (91,4%) estão na fase C e D da carreira e recebem de R$ 6,7 mil a R$ 12,2 mil, com salário médio na faixa de R$ 8,05 mil. Os valores consideram a Revisão Geral Anual (RGA) de 7% que será paga neste ano.
Conforme o site nacional Vagas.com, a média salarial dos policiais penais no Brasil é de R$ 3,4 mil, ou seja, a média da categoria em Mato Grosso é quase o dobro da média brasileira.
Equiparação com a PM
Uma das reivindicações da polícia penal é a de que os salários são muito baixos em comparação à Polícia Militar, que atua nas ruas.
Porém, conforme o levantamento, mais de 81% do efetivo da PM em Mato Grosso tem média salarial na mesma faixa da polícia penal, de R$ 8,4 mil.

Leia Também:  Direção nacional do PSB convida Natasha Slhessarenko para se filiar e concorrer ao Senado


Além disso, os agentes penais conseguem subir na carreira e aumentar seus vencimentos com mais rapidez que os policiais militares.
Enquanto os PMs podem levar mais de 25 anos para concorrer ao topo da carreira, dependendo de vagas a serem abertas e podendo até mesmo não conseguirem a graduação, os policiais penais levam 12 anos para alcançar a última classe (D), bastando ter tempo de serviço e realização de cursos. Além das progressões de classe, a polícia penal também possui a progressão de nível, que depende exclusivamente de conceito e que ocorre automaticamente a cada três anos.

Destaque

Vacinação contra covid-19 para crianças começa hoje (20); Vereador Dr. Luiz Fernando defende imunização

Publicado

na

Por Márcia Martins
Crianças de 5 a 11 anos começam a ser imunizadas contra Covid-19, a partir desta quinta-feira (20), no polo da Unic Beira Rio, a partir das 9h, em Cuiabá. Durante entrevistas a vários meios de comunicação e em suas redes sociais, o vereador e médico Dr. Luiz Fernando (Republicanos), fez questão de mostrar seu posicionamento favorável à imunização infantil.

Médico há 20 anos, presidente da Comissão de Saúde na Câmara Municipal da Capital, o parlamentar tem diversas leis e projetos voltados para a área da medicina.

“Eu sou a favor da vacinação em crianças. A favor da ciência. Tenho um filho de 5 e de 7 anos e vou levar os dois para se vacinar”, reforça o vereador ao informar que os pais ou responsáveis deverão entrar no site www.vacina.cuiaba.mt.gov.br, escolher o grupo no qual a criança se encaixa e preencher os dados. A primeira criança a receber a dose do imunizante será um garotinho, de 9 anos, que faz parte do grupo de pacientes imunossuprimidos.

De hoje ao dia 22, apenas o polo da Unic Beira Rio realizará a vacinação, devido à quantidade de doses recebidas. Foram 3.580 doses exclusivas para crianças e, conforme dados do Ministério da Saúde, a estimativa é de vacinar 60.659 crianças na Capital.

Leia Também:  Unidade de Coleta e Transfusão de Rondonópolis realiza campanha no Dia Nacional do Doador de Sangue

Com a chegada de doses novas doses, previstas para a próxima semana, os polos de vacinação Unic Beira Rio (Região Leste), USF Paiaguás (Região Norte), USF Quilombo (Região Oeste), USF do Pedra 90 I e II e ainda USF Parque Cuiabá (Região Sul) – também irão aplicar a vacina. Já nas zonas rurais, a USF Guia, o Programa Amor I e Amor II atenderão essas demandas.

Como embasamento para aprovação e incentivo da vacinação, Dr. Luiz Fernando destaca estudos realizados pela Sociedade Brasileira de Pediatria, Sociedade Brasileira de Imunizações e a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA).

Já em relação ao risco de miocardite, que é uma inflamação nas células do músculo do coração (miocárdio), o médico afirma que é muito raro. “Existe certo receio quanto ao desenvolvimento da miocardite após a vacina, mas quero deixar claro que isso é raríssimo, não tenham medo, vacinem as crianças”, orienta.

LIVE – hoje às 19h30 Luiz Fernando vai realizar uma live para debater sobre a vacinação contra Covid em crianças. O debate contará com a participação do pediatra Dr. Maurício Malheiros e será transmitido via instagran.com/drluizfernandoamorim.

Continue lendo

PUBLICIDADE

POLÍTICA

ECONOMIA

VARIEDADES

MAIS LIDAS DA SEMANA