Política

Médica defende projeto que garante diagnóstico e tratamento de trombofilia em Cuiabá

Publicado

na

O projeto de lei que garante diagnóstico e tratamento contra a trombofilia para mulheres em idade gestacional foi defendido na Câmara de Cuiabá nesta quinta-feira (30.09) pela médica pediátrica e patologista clínica Natasha Slhessarenko. Ela participou do Tribuna Livre da Câmara a convite da vereadora Michelly Alencar (DEM), autora da proposta.
 
A médica explicou que, numa linguagem popular, a trombofilia é uma condição na qual existe uma chance maior do “sangue ficar grosso”, e que por isso a pessoa tem a tendência de formar coágulos e ter trombose. Na gestação, a situação se agrava pois já existe uma tendência maior de hipercoagulabilidade. “Por isso é tão importante saber o histórico familiar da paciente ou se já teve alguma trombose”, explicou.
 
A trombofilia é uma das causas de perdas gestacionais, pré-eclâmpsia, retardo de crescimento do feto, parto prematuro e outras complicações.
 
Pelo projeto proposto pela vereadora, será realizada uma entrevista pelo profissional de saúde com o objetivo de conhecer o histórico familiar da paciente, particularmente com relação a parentes de primeiro grau com diagnóstico de trombose ou gravidez com complicações em razão da doença e outros fatores de risco. Constatada a importância, o médico solicitará o exame e tratamento. Os estabelecimentos de saúde deverão fixar em local visível a toda população, de forma clara e precisa o direito à realização dos exames, os riscos e tratamentos necessários.
 
Michelly Alencar agradeceu a participação da médica e agradeceu a contribuição dela na construção da proposta. “Temos uma série de projetos e ações que tratam sobre a saúde da mulher. Neste caso, apresentei essa proposta depois de conversar com mulheres que passaram por sucessivas perdas gestacionais e só descobriram o motivo, que era a trombofilia, depois de um tempo. Estamos falando de família, sonhos e da vida de mulheres”, explicou.
 
Natasha ressaltou a importância de dar visibilidade a esse tema que ainda não é amplamente conhecido pela população. “Agradeço a oportunidade e parabenizo a vereadora Michelly por trazer esse assunto para a Câmara dos Vereadores. É um assunto de extrema importância e só quem tem uma doença dessa sabe a dificuldade, mulheres passam por perdas fetais, têm dificuldade para engravidar ou manter o feto vivo. Então é importante realmente que se tenha um ambulatório para fazer o acompanhamento dessas gestantes ou das que querem engravidar e tem história de trombofilia na família”, afirmou.

Ana Rosa Fagundes/Gabinete Vereadora Michelly Alencar

Leia Também:  Lei garante venda de peixes durante a Semana Santa

Política

Comissão aprova projeto que obriga a divulgação de informações sobre obras paralisadas

Publicado

na

A Comissão de Trabalho, Administração, Serviços e Obras Públicas da Câmara Municipal de Cuiabá aprovou três pareceres a projetos de lei durante a 6ª reunião ordinária, realizada na manhã desta quarta-feira, 29 de setembro.
Entre as proposições aprovadas, está o processo n° 269/2021 que obriga o Executivo a divulgar informações sobre as obras públicas municipais paralisadas, contendo os motivos e o período de interrupção da obra, no site oficial do Município. A matéria, de autoria do vereador Wilson Kero Kero (Podemos), também solicita a divulgação da nova data de entrega e os dados do órgão público ou da concessionária responsável pela obra.
O relator do projeto na comissão, vereador Dídimo Vovô (PSB), destacou a importância da propositura para que a população, que mais sofre com as paralisações, tenha acesso à informação e possa acompanhar o andamento da obra de forma simples e transparente.
“Quanto ao mérito, o projeto de lei é conveniente quando seu conteúdo jurídico produz resultado que atenda à finalidade pretendida, que é a satisfação do interesse público. Nesse aspecto, a proposta legislativa é extremamente importante, pois premia a transparência e publicidade no trato com as coisas públicas, principalmente no que tange ao trabalho com obras públicas”, diz trecho do voto do relator.
Também foi aprovado pelos membros da comissão o projeto n° 106/2021 que dispõe acerca da divulgação e inserção de informações, legislações e contratos relacionados à Covid-19 no Portal Transparência Coronavírus do município.
A matéria n° 265/2021 que regulamenta o § 1° do artigo 49 da Lei Orgânica recebeu parecer favorável. A proposta proíbe o uso de logomarcas, slogans ou qualquer outro símbolo em bens públicos que associem, de qualquer forma, a figura do gestor público ou de períodos administrativos.
O autor da propositura, vereador Dídimo Vovô, sugere que os bens públicos, móveis e imóveis, sejam identificados pelas cores da bandeira, pelo selo e brasão oficial do Município de Cuiabá.
Veja a íntegra dos projetos analisados pela comissão no link:  https://sic.tce.mt.gov.br/52/assunto/listaPublicacao/id_assunto/2185/id_assunto_item/9101
Assista a reunião: https://youtu.be/Jcqf85z1BP4

Secom Câmara

Leia Também:  Câmara arquiva denúncia e coloca fim a perigo em perda de mandato de Wellaton
Continue lendo

PUBLICIDADE

POLÍTICA

ECONOMIA

VARIEDADES

MAIS LIDAS DA SEMANA