Destaque

Prefeito Emanuel Pinheiro lamenta morte da juíza aposentada Margarete Spadoni

Publicado

na

Faleceu neste domingo (29) a advogada e juíza estadual aposentada Margarete da Graça Blank Miguel Spadoni, mãe do Conselheiro Federal da Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Mato Grosso (OAB-MT), Joaquim Felipe Spadoni, e da advogada Carolina Spadoni.

Como magistrada, Margarete Spadoni atuou em diversas Comarcas do Estado, entre elas Cuiabá, Chapada dos Guimarães e Barra do Bugres.

Deixa o esposo, três filhos e seis netos. A causa da morte não foi divulgada pela família. O sepultamento ocorreu no final desta tarde, no Cemitério Parque Bom Jesus.

O prefeito Emanuel Pinheiro lamentou a morte da magistrada e declarou solidariedade aos familiares e amigos. “Com muita tristeza, soube do falecimento da juíza aposentada Margarete Spadoni, uma pessoa que prestou importantes serviços à sociedade cuiabana e mato-grossense. Peço a Deus que conforte os corações do marido, dos filhos, netos, demais familiares e amigos neste momento de dor”, disse.

Leia Também:  Marcia Pinheiro recebe ministra Damares para o lançamento da pedra fundamental da “Casa da Mulher Brasileira”

Destaque

Com pedido de vista no STF, composição da mesa diretora da ALMT pode ser alterada

Publicado

na

Após abrir divergência no julgamento sobre a reeleição para a Mesa Diretora da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), o ministro Gilmar Mendes pediu vista do processo, que está em análise no plenário virtual do Supremo Tribunal Federal (STF). O pedido de vista foi apresentado nesta terça-feira (21).

A ação foi apresentada em março deste ano, após a reeleição do deputado estadual Eduardo Botelho (DEM) para seu terceiro mandato como presidente da Assembleia Legislativa. Nove dias após a proposição, o ministro Alexandre de Moraes concedeu liminar impedindo a posse de Botelho, o que levou à realização de uma nova eleição da Mesa Diretora da ALMT.

Proposta pela Procuradoria-Geral da República (PGR), a ação questionava a possibilidade de múltiplas reeleições para o mesmo cargo na Mesa Diretora, apontando que a Constituição Federal impedia este tipo de conduta no Congresso Nacional. Assim, as casas legislativas estaduais e municipais deveriam seguir o mesmo entendimento, permitindo apenas uma reeleição para o mesmo cargo de um membro da Mesa Diretora.

O processo foi a julgamento virtual pela primeira vez em 11 de junho, mas foi suspenso devido a um pedido de vista do ministro Gilmar Mendes, o decano da corte, que não havia apresentado seu voto até então.

Leia Também:  Grávida de oito meses, professora morre de Covid-19 após chá de fraldas

O julgamento virtual retomado na última sexta-feira, 17 de setembro, ocasião em que o ministro Gilmar Mendes abriu divergência do relator do caso, Alexandre de Moraes. Mendes manteve a maior parte da decisão do relator, que limitou a uma única reeleição, mas abriu brecha para que Botelho pudesse ser reconduzido à Presidência.

“Ante o exposto, divirjo em parte do Ministro Relator e julgo procedente o pedido para conferir interpretação conforme a Constituição Federal […] e estabelecer que é permitida apenas uma reeleição ou recondução sucessiva ao mesmo cargo da Mesa Diretor, mantida a composição da Mesa de Assembleia Legislativa eleita antes da publicação do acórdão da ADI 6524 (06/04/2021)”, disse Gilmar em seu voto.

Antes do pedido de vistas, o ministro Ricardo Lewandowski acompanhou o voto de Gilmar Mendes, estabelecendo o placar de 2 a 1 para a decisão que permite a recondução de Botelho à presidência da Assembleia.

Não há data para a retomada do julgamento. Falta ainda a manifestação de sete ministros.

Continue lendo

PUBLICIDADE

POLÍTICA

ECONOMIA

VARIEDADES

MAIS LIDAS DA SEMANA