Destaque

Tá na história: A primeira fábrica de gelo de Mato Grosso

Publicado

na

Fechou as portas em maio de 2021, a primeira fábrica de gelo de Mato Grosso, a Frigo-Gêlo. O início dos problemas, se deu pela compra de uma máquina a qual infelizmente não funcionou.

Posteriormente, surgiram vários outros problemas advindos da pandemia, o forte da referida indústria, era a venda no atacado. Os proprietários lutaram até  chegar à exaustão para não fechar um local que faz parte da história. Apesar de todos os esforços, não encontraram jeito de superar todos os óbices e de muita luta, infelizmente fecharam um dos grandes pilares da história de uma empresa e uma família cuiabana.

A referida fábrica de gelo do bairro Verdão foi fundada em 1977, pelo empreendedor Srº Doacy Oliveira (in memorian) e serviu para cooperar na preservação dos pescados frescos em abundância em Cuiabá.

Posteriormente, virou um ponto de referência comercial com vendas no atacado e também no varejo. A Frigo-Gêlo foi a primeira planta industrial em larga escala na produção de gelo em Mato Grosso. O encerramento das atividades, além de ser negativo para a nossa economia, é também, constrangedor…e triste, principalmente para os familiares que se dedicaram ao trabalho duro nessa indústria. Com certeza, as memorias deixadas pelo bom trabalho prestado, e pelo marco na história, que talvez seja considerado a melhor e mais produtiva parte de suas vidas.

Leia Também:  Piano Gente volta à praça em comemoração ao Dia Mundial do Rock

Deixamos a nossa torcida para que talvez o Governo do Estado, através da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, se comova coma essa parte tão emblemática da nossa história. E que, através dos velhos empreendedores, trouxeram esse ”boom” do desenvolvimento econômico para Mato Grosso.

NÃO DEIXEM UMA EMPRESA QUE FOI LÍDER NO SEGUIMENTO À ÉPOCA EVAPORE

Acorda, Mato Grosso

Destaque

Serviço de limpeza pública é realizado diariamente na região central por mais de 100 trabalhadores

Publicado

na

Pensando na preservação de um ambiente onde o fluxo de pessoas é extremamente elevado e contínuo, a Prefeitura de Cuiabá desenvolve uma programação de limpeza específica para a região central da Capital. O trabalho é coordenado pela Empresa Cuiabana de Zeladoria e Serviços Urbanos (Limpurb) e realizado diariamente.

Conforme a Limpurb, para atender da forma mais eficiente possível a demanda diária da região, o plano de atuação conta cerca de 100 operadores de limpeza que são distribuídos pelas vias, praças e outros equipamentos públicos. As ações ocorrem de segunda-feira a sábado, iniciando logo às 6h e seguindo até às 20h.

Durante o período de trabalho, as equipes são responsáveis por executar serviços como varrição, roçagem, poda de árvores, pintura de meio-fio. Somando a isso, periodicamente e contando com o auxílio de caminhões pipa, as praças são lavadas e higienizadas. Todos os resíduos recolhidos por meio dessas atividades são encaminhados para o aterro sanitário.

“O Centro Histórico é o coração de Cuiabá e merece esse olhar cuidadoso. É isso que o prefeito Emanuel Pinheiro tem buscado fazer desde o seu primeiro mandato à frente de Prefeitura com melhorias nas vias, reforma de praças. Na limpeza não é diferente. Atuamos em toda a cidade, sem nos esquecer dessa região que é por onde todo cuiabano passa”, explica o diretor-presidente da Limpurb, Vanderlúcio Rodrigues.

Leia Também:  Pequenos negócios representam 95,6% das empresas em Mato Grosso

Além de ajudar a deixar a cidade ainda mais bonita, as ações de limpeza também ajudam a evitar que uma grande quantidade de lixo tenha como direção as bocas de lobo da região e cheguem até o Rio Cuiabá. Nesse sentido, a Limpurb destaca ainda a importância da participação da população no processo de cuidado da Capital.

“Todo lixo jogado no chão tem um destino. Nossos valorosos servidores trabalham para fazer com esse destino seja o correto e não as bocas de lobo, que muitas vezes acabam entupidas com esses materiais. Mas, é fundamental que o cidadão entenda que ele também deve ajudar o poder público a cuidar da cidade”, finaliza Vanderlúcio.

Continue lendo

PUBLICIDADE

POLÍTICA

ECONOMIA

VARIEDADES

MAIS LIDAS DA SEMANA