Destaque

Queijo de Casa mistura tradição mineira com um toque cuiabano em receitas de dar água na boca

Publicado

na

Quando o assunto é queijo, vem logo à mente as muitas receitas mineiras. No entanto, quando o tema está nas rodas de conversa gourmet ou enquanto assunto do momento nas redes sociais em Cuiabá, a novidade que surpreende é o Queijo de Casa. A dona dessa ideia não é de Minas Gerais e, muito menos, cuiabana de ‘tchapa e cruz”. A mestre queijeira e empreendedora Karla Gonçalves nasceu em Duque de Caxias, Rio de janeiro, e mora em Cuiabá desde 1985 quando chegou com a mãe e um dos tios em busca de oportunidades como tantos outros “paus rodados”, como ela mesma define na sua história.

Se você já quer salivar imaginando os sabores dessa delícia gourmet, prepare-se para uma extensa lista do menu que inclui queijos trufados com recheio de carne seca e requeijão cremoso, doce de leite, goiabada, furrundu, calabresa, azeitoma, bacon, entre outros sabores lançados a cada mês com base em queijo coalho ou ao modo tradicional mineiro. Aquela conversa de que em receita de queijo não mexe, não vale no conceito de Karla. “Respeito muito o queijo tradicional e o preservo na base, ainda assim, defendo a inovação com recheios como oportunidade de mercado e para agradar o paladar daqueles que buscam o novo, o diferente”, justifica.

Karla Gonçalves uniu tradição e inovação em um produto que agrada tanto pela ousadia quanto pelo sabor

O queijo entrou na rotina profissional de Karla Gonçalves quase que por acaso. Mas ela agradeceu tanto pela coincidência, quanto por ter ficado desempregada e ter tido a oportunidade de inovar fazendo algo que, como ela mesma diz, “é apaixonante”. “Em julho de 2020 eu estava de férias do meu último trabalho com carteira assinada e ganhei do meu namorado um queijo minas recheado com doce de leite. Experimentei, gostei e achei que poderia melhorar a receita. Recorri ao Youtube e aprendi o básico sobre como fazer queijos. Em fevereiro eu já estava em um curso de formação na Queijos no Brasil, uma das melhores escolas no país e que fica em Juiz de Fora, Minas Gerais”, conta. Naquele momento Karla já vislumbrava um horizonte empreendedor e o que era apenas passatempo virou negócio.

Respeito muito o queijo tradicional, ainda assim, defendo a inovação como oportunidade de mercado e para agradar o paladar daqueles que buscam o novo

A experiência em gestão de finanças empresariais, ciências contábeis e MBA em Gestão Empresarial deram o lastro executivo ao novo negócio e a carteira assinada virou coisa do passado. “Fui demitida após o retorno das férias e no auge da pandemia da covid-19. No entanto, o que marcou esse momento foi aquele queijo trufado que ganhei de presente. Ele mudou a minha vida”, recorda. Segundo ela, foi tudo muito intuitivo e as coisas foram acontecendo. “Fiz os primeiros queijos trufados, errei em alguns, acertei em outros e fui melhorando até tudo ficar perfeito”.

Queijo trufado com carne seca e requeijão cremoso

Karla reforça que usou e abusou da criatividade para trazer aos apaixonados por esse alimento milenar, uma roupagem diferente para a mesa dos cuiabanos. A experiência profissional foi fundamental para o planejamento, criação e execução final da Queijo de Casa. “Muitos perguntam se tive ajuda do Sebrae ou algo parecido. Não tive. Corri atrás do meu sonho e o realizei. Hoje dou graças à Deus por ter sido dispensada do meu último trabalho e poder ter tido a oportunidade de ousar, fazer o que gosto e ainda lucrar com isso”.

Leia Também:  Receitas de palha italiana para quem ama esse doce

Sem poder investir em mídia convencional, Karla Gonçalves também foi ousada ao depositar toda a confiança em uma página no Instagram. E não é que deu certo! Não demorou e logo o número de seguidores chegou a seis mil. “Quem compra uma vez, gosta e me ajuda com a propaganda boca em boca, ou melhor, propaganda de envio do link para amigos e compartilhamentos”, comemora.

NOVA ROTINA

Em plena pandemia da covid-19, Karla Gonçalves experimentou a insegurança com o novo negócio, mas a motivação foi maior. “Quando pensava que estava investindo em um negócio meu, isso me dava força. Estabeleci os ideais e metas da Queijo de Casa baseados em meus próprios valores”. Com esse pensamento, a intenção foi a de não apenas agradar com um produto inovador. Foi criar laços afetivos e de relacionamentos com os clientes.

Menu variado de queijos com uma roupagem diferente para a mesa dos cuiabanos

Realizada, Karla Gonçalves agora pensa em ajudar outras pessoas que ficaram desempregadas nesse período, não apenas com a sua história de vida. “Planejo criar em Cuiabá um curso para formação de mestres queijeiros e para buscar conhecimento de qualidade no ramo de laticínios”. Seria um novo negócio, salienta, já que em Mato Grosso não há curso especializado em queijos artesanais como os dela. “Não será preciso ir a Minas Gerais para aprender o que posso ensinar aqui”.

Leia Também:  Recarregado de tradições, Cuiabá terá 2º Festival de Nhoque

Karla diz não ter medo da concorrência e afirma que será um grande prazer ensinar outras pessoas a empreender. “É preciso deixar o medo, o desanimo, a vergonha e o julgamento do desemprego e partir para a ação. Todos têm saberes e talentos dos quais alguém está precisando. Só basta acreditar em si”. Karla vai além: “Quando nos colocamos em movimento por um propósito, ao longo da jornada pessoas aparecem para apoiar e contribuir de alguma forma. Nunca estaremos sozinhos”.

PARCERIAS

Como a Queijo de Casa não produz a sua matéria-prima, quem abastece a linha de produção instalada na cozinha da própria residência são doceiras artesanais e um produtor de leite de gado Jersey, em Várzea Grande. “Parte desses recheios eu mesmo o faço, mas também contribuo com outras pessoas fazendo compras e estimulando o empreendedorismo. Assim construo uma rede de ajuda para vencermos este tempo de crise”, finaliza.

SERVIÇO:

A empresa está no Instagram (@queijodecasa), onde o internauta pode fazer a compra em um link na BIO da página.

Destaque

Prefeitura implanta placas orientativas para motoristas que transitam nas proximidades dos parques

Publicado

na

A Prefeitura de Cuiabá, por meio da Secretaria de Mobilidade Urbana (Semob), implantou placas orientativas aos motoristas que transitam nas proximidades dos parques Tia Nair – na Avenida Érico Preza, bairro Jardim Itália e do  Parque das Águas – Avenida Hermina Torquarto da Silva, no Centro Político Administrativo. As orientações são para a redução de velocidade a 30 km/h e o alerta quanto à presença de capivaras e outros animais que podem atravessar as vias.

Há tempos, a Prefeitura vem recebendo reclamações referentes a maus-tratos aos animais, atropelamentos e ainda, muitas capivaras estariam morrendo de fome por causa do crescimento urbano das regiões onde já foi somente mata.

Para preservar a vida dos animais,  o prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro, pediu para que a Secretaria de Meio Ambiente do Município acione veterinários, biólogos e consulte a Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) para que realizem estudos para saber se existe a possibilidade de remoção das capivaras que estão nos parques públicos para outros lugares mais apropriados.

“É preciso olhar com mais cuidado para a causa animal. As placas orientativas visam alertar os motoristas quanto a velocidade nas vias onde há grande fluxo de animal. O objetivo é evitar acidentes e atropelamentos. Na minha gestão já aprovamos leis e criamos outras, que está em fase de regulamentação, para à preservação do animal”, enfatizou Pinheiro.

Leia Também:  Como fazer torta de banana: 9 receitas fáceis que você vai amar

Dentre as leis sugeridas em prol dos animais está a Lei 436/17,de proteção aos animais, Lei 6423/19, do protetor independente, Lei 6439/ 19, do animal comunitário, Lei 6492/19, monitoramento através de câmeras em pet shop, Lei 6512/20, da circulação de veículo de tração animal em vias de perímetro urbano e Lei 6549/20, que proíbe o animal em corrente curta.

Continue lendo

PUBLICIDADE

POLÍTICA

ECONOMIA

VARIEDADES

MAIS LIDAS DA SEMANA