Destaque

Após alta de novos casos, Cuiabá zera fila de espera por UTI Covid

Publicado

na

Pela primeira vez neste ano, após nova alta nos casos de infecções e mortes por Covid-19, Cuiabá zerou fila de espera por leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) covid em Mato Grosso. Até a manhã desta quinta-feira (22), já não havia nenhum morador de Cuiabá nela, e contava apenas com 13 pacientes, no entanto no início da noite já não havia mais nenhum morador aguardando por leito, de acordo com a Central de Regulação de Urgência e Emergência.

“É com uma alegria que não cabe no peito, que recebo esta notícia. Estamos vivendo em tempos difíceis, mas eu acredito e tenho fé que ainda vamos melhorar mais, e conseguir desocupar ainda mais os leitos de enfermarias e UTIs da Capital. A vacinação está fluindo bem, e com a ampliação de novos polos de imunização, a tendência é só diminuir os casos de Covid, não só na nossa Capital, mas no Estado inteiro”, comemorou o prefeito Emanuel Pinheiro. Para poder atender as vítimas da pandemia, Cuiabá atuou com 155 leitos exclusivos de UTI para Covid19.

Leia Também:  Concurso Miss transformista acontece no próximo sábado com nove finalistas

Desde o início do mês de março, onde surgiu uma nova onda de pessoas que contraíram o vírus, que as filas de UTIs Covid não paravam de crescer, diariamente eram mais 100 pessoas de todo o Estado, que aguardavam por um leito. Quase todos os dias havia mais de 180 na fila, mas o pico ocorreu mesmo quando 214 pessoas estavam na lista de espera.

Esse número só começou a cair há cerca de uma semana. Na segunda-feira (12), por exemplo, foi a primeira vez que a Capital registrou um número abaixo de 100 na lista de espera. Havia 83 pessoas. Na terça (13), 83, na quarta (14), 80, na Quinta (15), 68, na sexta (16), 39, e assim sucessivamente. Nesta semana o número caiu mais ainda e até ontem (21), havia apenas 24 pessoas na lista de espera por UTIs.

Ao analisar outros pontos, é possível verificar que Cuiabá apresenta melhora em outros aspectos relativos à covid-19. Por exemplo, no final de março deste ano, quando houve o pico de mortes, o Hospital Referência à Covid-19 (antigo Pronto Socorro) chegou a ficar com 98% de ocupação dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Adulto. Nesta quinta-feira (22), a ocupação é de 75%.

Leia Também:  Trânsito mata mais do que crimes violentos em dez estados

Também é possível observar que as internações e mortes por covid-19 de pessoas acima de 80 anos de idade reduziu na capital. Os cuiabanos dessa faixa etária são os únicos do grupo de idosos que já receberam as duas doses da vacina contra a covid-19 há mais de um mês, ou seja, já passaram pelo período de produção de anticorpos. Nesta quinta (22), somente uma idosa acima de 80 encontra-se internada no Hospital Referência à Covid-19 e dois idosos de Cuiabá nessa faixa etária no Hospital São Benedito.

Destaque

O Legislativo foi fundamental para consolidar a ferrovia estadual, afirma Max Russi

Publicado

na

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Max Russi (PSB) está otimista, quanto a valorização dos produtos em todo o Estado, por meio da melhoria da logística de transporte, com a implantação da malha ferroviária. O desenvolvimento social, com a geração de postos de trabalho, também foi destacado pelo parlamentar.

O presidente do Parlamento, ressaltou que o Legislativo está sendo fundamental para a consolidação da ferrovia estadual em Mato Grosso. Durante a solenidade para assinatura do contrato de construção, implantação e exploração do complexo ferroviário, que vai interligar Cuiabá a Rondonópolis, bem como Rondonópolis com Nova Mutum e Lucas do Rio Verde. Os atos oficiais aconteceram nesta segunda-feira (20).

Max Russi disse que o Parlamento foi responsável pela aprovação da Lei, que possibilitou com que o governador Mauro Mendes continuasse as tratativas, que asseguram juridicamente todos os encaminhamentos para o início das obras.

O deputado citou a Proposta de Emenda à Constituição 16/2020, que criou a possibilidade de que o governo pudesse construir e explorar, de forma direta, a malha ferroviária no estado.

Leia Também:  Prefeitura lança projeto Qualifica Cuiabá – 300 anos

Esse é um avanço gigantesco e vai agregar valor à nossa produção. A Assembleia foi importantíssima nesse projeto, apresentando a PEC, aprovando por meio de todos os deputados e dando ao Governo do Estado a condição de trazer a primeira ferrovia estadual”, complementou.

Max Russi acredita que a malha viária, que será denominada Ferrovia Autorizada de Transporte Olacyr de Moraes (FICO) além de gerar mais de 240 mil empregos diretos e indiretos, vai fomentar principalmente o agronegócio e a indústria, além de resultar em insumos com preços mais competitivos. “Vai sobrar dinheiro no bolso do mato-grossense e isso será um grande ganho social”, avalia.

O projeto da ferrovia estadual prevê investimento de R$ 11,2 bilhões para a sua implantação.

Participam ainda dos eventos de assinatura, que tiveram início na capital cuiabana e foram finalizamos em Lucas do Rio Verde, senadores, deputados federais, deputados estaduais, secretários de Estado, representantes da Rumo Logística e autoridades dos municípios, por onde está prevista a passagem da ferrovia.

Continue lendo

PUBLICIDADE

POLÍTICA

ECONOMIA

VARIEDADES

MAIS LIDAS DA SEMANA