Destaque

Obra na Av. Dante Martins de Oliveira entra na etapa de construção de rede

Publicado

na

A Prefeitura de Cuiabá continua avançando com a duplicação da Avenida Dante Martins de Oliveira (Av. dos Trabalhadores). Iniciado em janeiro deste ano, a atuação é realizada em diferentes frentes ao longo do trecho que aproximadamente dois quilômetros, visando garantir qualidade e celeridade à obra.

Neste momento, após superar as fases de desassoreamento e demarcação do córrego que passa pela via, uma equipe trabalha na construção do muro de gabião nas paredes laterais do local. Somado a isso, em outro trecho da avenida, também é executada a etapa de instalação da tubulação que compõe o sistema de drenagem de águas pluviais.

“Lançamos os trabalhos no fim de 2020 e entregamos para o secretários Stopa a missão de concluir essa importante obra de infraestrutura. É satisfatório ver que o serviço evolui a todo vapor, pois essa avenida é uma das mais movimentadas da cidade. Com essa obra, modernizamos o trânsito da região e asseguramos mais qualidade de via aos condutores”, comenta o prefeito Emanuel Pinheiro.

A duplicação da avenida é composta por diferentes fases que, ao fim, resultarão em uma via completamente remodelada para os milhares de condutores que transitam diariamente pela região. Além da rede de drenagem, terraplanagem e pavimentação, estão previstos os serviços de construção de meio-fio, calçadas e sinalização horizontal e vertical.

Leia Também:  Operação Integrada resulta em três prisões em flagrante, busca e apreensão de drogas

A obra faz parte do programa Minha Rua Asfaltada, desenvolvido pela Prefeitura de Cuiabá desde 2017. Segundo o projeto, o trecho que será duplicado está situado entre o Residencial Santa Inês e as proximidades da rotatória de entrada do bairro Planalto. Para isso, o Município aplica um investimento de R$ 2.329.558,39.

“Na verdade, a duplicação faz parte de um conjunto de ações de melhoria na mobilidade urbana que a Prefeitura executa em diferentes pontos da cidade. Nessa região mesmo, foi recapeado todo o trecho entre as rotatórias do Planalto e Dr. Fábio, construímos o viaduto na Avenida das Torres e, em breve, também entregaremos uma ponte de concreto atrás do Parque Tia Nair, junto com uma nova via”, completa o vice-prefeito e secretário de Obras Públicas, José Roberto Stopa.

Destaque

LINHA DURA: Juíza mantém prisão de 14 acusados de integrar quadrilha em MT

Publicado

na

A juíza Ana Cristina Mendes manteve a prisão de 14 dos 15 alvos da Operação Renegados na audiência de custódia realizada durante toda a tarde de terça-feira (4) no Fórum em Cuiabá.

Eles são suspeitos de integrarem uma organização criminosa composta, entre outros membros, por policiais civis e militares. O grupo é acusado de crimes como concussão, corrupção, peculato, roubo e tráfico.

Apenas a acusada Kelle de Arruda Santos teve prisão preventiva convertida em domiciliar. Ela alegou ser mãe de uma criança com comorbidades e menor de 12 anos.

A magistrada submeteu a acusada a um série de medidas restritivas, inclusive o uso de tornozeleira eletrônica.

A operação foi deflagrada pelo Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco) e Polícia Judiciária Civil para o cumprimento de 22 mandados de prisão contra policiais civis e militares, criminosos, e até mesmo a namorada de um investigador. Sete dos alvos ainda não foram encontrados.

Informações iniciais contam que 12 dos alvos foram encaminhados para o Centro de Custódia de Cuiabá.

Outros dois presos, tratam-se de policiais militares, sendo que um deles foi encaminhado ao Batalhão da Rotam (Rondas Ostensivas Tático Móvel), e outro para Escola de Formação e Aperfeiçoamento de Praças.

Leia Também:  Estado inicia construção de pontes em Santa Terezinha

“Renegados”

A Operação Renegados foi deflagrada pelo Gaeco em parceria com a Corregedoria da Polícia Civil. Ao todo, foram expedidos 44 mandados judiciais, sendo 22 deles de prisão.

Segundo apurou o MidiaNews, o grupo de policiais presos é suspeito de extorquir ladrões e traficantes usando informações repassadas por “olheiros remunerados” em bairros de Cuiabá.

Eles arregimentavam os olheiros – geralmente jovens criminosos – pagando-lhes uma quantia periódica. Em troca, estas pessoas avisavam os policiais sobre a chegada de carregamento de drogas ou a presença de carros roubados em algum imóvel do bairro.

Com a informação, ainda conforme o apurado pela Reportagem, os policiais davam o flagrante nas quadrilhas e exigiam dinheiro, joias e até droga para não apreender o produto ilícito nem prender os bandidos.

Parte dos policiais presos nesta terça-feira tinha bastante tempo de corporação e era lotada na Terceira Delegacia de Cuiabá, que fica no Coxipó.

Por: MidiaNews

Continue lendo

PUBLICIDADE

POLÍTICA

ECONOMIA

VARIEDADES

MAIS LIDAS DA SEMANA