Destaque

Recursos do Nota MT garantem atividades e salários de professores de instituição em Várzea Grande

Publicado

na

O Centro de Promoção Humana Emanuel (CENPHRE) foi criado em 2004, pelas missionárias Maria Tereza Urbano e Maristela Arbués Nery e por um grupo de voluntários, para atender crianças e famílias que se encontravam em situação de extrema pobreza e abandono, na Vila São João em Várzea Grande. Segundo a missionária Maristela, a ideia se deu após Irmã Maria Tereza fazer uma visita na cidade, comparecer a um enterro de uma criança na Vila São João e ver a realidade das crianças e famílias que ali viviam.

“A gente já havia feito esse trabalho semelhante no Vale do Araguaia, com ajuda às famílias que foi muito promissor. Pela nossa experiência, com mais de 30 anos de vida missionária trabalhando na área social com crianças e famílias, nós já tínhamos uma noção de como era”, afirma.

João Reis

Ao longo dos anos, mãos e corações se juntaram graças a uma rede de colaboradores, voluntários e parceiros contribuíram para a construção de sua sede e manutenção dos seus projetos e programas. Em 2017, com a parceria do Instituto Canopus, a instituição que também era conhecida por Associação Varzeagrandense Madre Tereza de Calcutá, passou a ser denominado CENPHRE Canopus.

Hoje, o CENPHRE Canopus é uma das instituições cadastradas pela Secretaria de Estado de Assistência Social e Cidadania (Setasc) para participar do programa Nota MT, que sorteia valores para consumidores e beneficia entidades através das indicações dos contemplados. No total, participando de outros sorteios a entidade recebeu o valor de R$ 30,5 mil.

João Reis

De acordo com a coordenadora geral, Cristiane Almeida, a Nota MT auxiliou na manutenção das atividades para as crianças e famílias, principalmente na pandemia. “A gente teve um processo de entrega de alimentos feitos aqui na instituição. Eles vinham buscar e levavam para casa, já que antes se alimentavam aqui no período em que estavam em atividades”, declara a coordenadora.

Leia Também:  Famílias assistidas pelas instituição Obras Sociais Anjo Gabriel são contempladas com doações de cestas básicas

Cristiane ainda ressalta que um dos pontos fortes do Nota MT é que os valores repassados para as entidades não são destinados para despesas pré-determinadas, o que colaborou para manter as atividades e salários de professores, instrutores e colaboradores da entidade.

João Reis

“Apesar do período delicado que estamos vivendo, nós não tivemos demissões. Nós fizemos todo um processo de antecipação das férias, pois sabíamos da importância e não era justo dispensá-los em um momento difícil como esse. Além disso, um sonho realizado e conquistado com os repasses do Nota MT foi a colocação do sistema de energia solar na entidade”, afirma.

O CENPHRE Canopus trabalha com três eixos: educação, proteção social e saúde. A faixa etária atendida são crianças a partir dos 6 aos 14 anos, com atividades voltadas para o esporte, teatro, informática e danças, como balé e danças urbanas.

João Reis

A entidade está atendendo no modo online e presencial 30% de seus alunos, seguindo as exigências sanitárias. Aqueles que não possuem internet em casa, buscam as suas atividades da sede da entidade.

Cristiane Almeida, ainda conta que o eixo da educação é trabalhado em conjunto com as escolas e famílias, porque uma das exigências da entidade é que seus alunos tenham bom desempenho escolar.

Antes da pandemia, a entidade contava também com voluntários nas áreas da Psicologia e Terapias Integrativas, mas as ações tiveram que ser interrompidas. Para a missionária Maristela, eles ajudavam no processo de cuidado com a saúde das crianças e equilíbrio emocional, com o uso de florais e massagens.

Leia Também:  Sebrae seleciona dicas para requerer empréstimos

Atualmente, a unidade da Vila São João atende cerca de 125 famílias, somando um total de 150 crianças. Porém, a entidade também dá suporte para o Projeto Belém, do bairro São Simão, em Várzea Grande.

João Reis

A coordenadora reitera a importância do Nota MT para a sociedade mato-grossense e pede para que a população faça o cadastro porque é um programa de sucesso e que beneficia muitas entidades no Estado de Mato Grosso.

“A gente espera que o programa continue, pois nós fazemos a propaganda de corpo a corpo. Sempre estamos pedindo para que as pessoas se cadastrem no Nota MT e indiquem a CENPHRE como beneficiária. Isso é necessário para fazer a diferença. Às vezes você não para tirar do seu bolso, mas que meios que o Estado está fazendo para ajudar as entidades? E esse é um exemplo”.

Cadastro de Entidades

As instituições e/ou associações interessadas em fazer parte do banco de dados, ou atualizar informações, devem mandar um e-mail para o endereço: gabinetesac@setasc.mt.gov.br/ colocar no título “Atualização Cadastral – Nome da entidade” ou acessar a página virtual da Secretaria de Estado de Assistência Social e Cidadania (Setasc).

Outras duas opções: ligar no telefone (65) 3613-5726 ou ainda procurar a Secretaria, no setor Cidadania e Inclusão Socioprodutiva, e atualizar pessoalmente. O endereço da Setasc é Rua Júlio Domingos de Campos, nº 100, Centro Político Administrativo (CPA), em Cuiabá.

Destaque

LINHA DURA: Juíza mantém prisão de 14 acusados de integrar quadrilha em MT

Publicado

na

A juíza Ana Cristina Mendes manteve a prisão de 14 dos 15 alvos da Operação Renegados na audiência de custódia realizada durante toda a tarde de terça-feira (4) no Fórum em Cuiabá.

Eles são suspeitos de integrarem uma organização criminosa composta, entre outros membros, por policiais civis e militares. O grupo é acusado de crimes como concussão, corrupção, peculato, roubo e tráfico.

Apenas a acusada Kelle de Arruda Santos teve prisão preventiva convertida em domiciliar. Ela alegou ser mãe de uma criança com comorbidades e menor de 12 anos.

A magistrada submeteu a acusada a um série de medidas restritivas, inclusive o uso de tornozeleira eletrônica.

A operação foi deflagrada pelo Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco) e Polícia Judiciária Civil para o cumprimento de 22 mandados de prisão contra policiais civis e militares, criminosos, e até mesmo a namorada de um investigador. Sete dos alvos ainda não foram encontrados.

Informações iniciais contam que 12 dos alvos foram encaminhados para o Centro de Custódia de Cuiabá.

Outros dois presos, tratam-se de policiais militares, sendo que um deles foi encaminhado ao Batalhão da Rotam (Rondas Ostensivas Tático Móvel), e outro para Escola de Formação e Aperfeiçoamento de Praças.

Leia Também:  Alex Vieira Passos assume a Secretaria Municipal de Educação

“Renegados”

A Operação Renegados foi deflagrada pelo Gaeco em parceria com a Corregedoria da Polícia Civil. Ao todo, foram expedidos 44 mandados judiciais, sendo 22 deles de prisão.

Segundo apurou o MidiaNews, o grupo de policiais presos é suspeito de extorquir ladrões e traficantes usando informações repassadas por “olheiros remunerados” em bairros de Cuiabá.

Eles arregimentavam os olheiros – geralmente jovens criminosos – pagando-lhes uma quantia periódica. Em troca, estas pessoas avisavam os policiais sobre a chegada de carregamento de drogas ou a presença de carros roubados em algum imóvel do bairro.

Com a informação, ainda conforme o apurado pela Reportagem, os policiais davam o flagrante nas quadrilhas e exigiam dinheiro, joias e até droga para não apreender o produto ilícito nem prender os bandidos.

Parte dos policiais presos nesta terça-feira tinha bastante tempo de corporação e era lotada na Terceira Delegacia de Cuiabá, que fica no Coxipó.

Por: MidiaNews

Continue lendo

PUBLICIDADE

POLÍTICA

ECONOMIA

VARIEDADES

MAIS LIDAS DA SEMANA