Destaque

Bilionário cuiabano ligado a Bolsonaro pode disputar o Governo

Publicado

na

O bilionário cuiabano Ygor Alessandro de Moura, dono da rede de clínicas de depilação Espaçolaser, com quase 500 unidades no Brasil e Argentina, pensa em enveredar pelos caminhos da política.

Próximo do presidente Jair Bolsonaro, com quem se reúne constantemente, Ygor, que se encontra numa pescaria no Pantanal, está sendo incentivado para disputar o Governo de Mato Grosso.

E tende a se filiar, ainda neste ano, em um partido considerado de direita. O Podemos, por exemplo, já vem cortejando-o, sob tese de que o megaempresário poderia liderar o processo de criação de um novo grupo político no Estado. Formado em Medicina, Moura começou trabalhando em dermatologia em São Paulo. Em 2004, fundou, com os sócios Paulo Morais e Tito Pinto, a Espaçolaser, que se transformou em uma rede gigante.

Blog do Romilson – RDNEWS

Leia Também:  Governo de MT vai comprar computadores e pagar internet para 15,8 mil professores

Destaque

Com pedido de vista no STF, composição da mesa diretora da ALMT pode ser alterada

Publicado

na

Após abrir divergência no julgamento sobre a reeleição para a Mesa Diretora da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), o ministro Gilmar Mendes pediu vista do processo, que está em análise no plenário virtual do Supremo Tribunal Federal (STF). O pedido de vista foi apresentado nesta terça-feira (21).

A ação foi apresentada em março deste ano, após a reeleição do deputado estadual Eduardo Botelho (DEM) para seu terceiro mandato como presidente da Assembleia Legislativa. Nove dias após a proposição, o ministro Alexandre de Moraes concedeu liminar impedindo a posse de Botelho, o que levou à realização de uma nova eleição da Mesa Diretora da ALMT.

Proposta pela Procuradoria-Geral da República (PGR), a ação questionava a possibilidade de múltiplas reeleições para o mesmo cargo na Mesa Diretora, apontando que a Constituição Federal impedia este tipo de conduta no Congresso Nacional. Assim, as casas legislativas estaduais e municipais deveriam seguir o mesmo entendimento, permitindo apenas uma reeleição para o mesmo cargo de um membro da Mesa Diretora.

O processo foi a julgamento virtual pela primeira vez em 11 de junho, mas foi suspenso devido a um pedido de vista do ministro Gilmar Mendes, o decano da corte, que não havia apresentado seu voto até então.

Leia Também:  Governo de MT vai comprar computadores e pagar internet para 15,8 mil professores

O julgamento virtual retomado na última sexta-feira, 17 de setembro, ocasião em que o ministro Gilmar Mendes abriu divergência do relator do caso, Alexandre de Moraes. Mendes manteve a maior parte da decisão do relator, que limitou a uma única reeleição, mas abriu brecha para que Botelho pudesse ser reconduzido à Presidência.

“Ante o exposto, divirjo em parte do Ministro Relator e julgo procedente o pedido para conferir interpretação conforme a Constituição Federal […] e estabelecer que é permitida apenas uma reeleição ou recondução sucessiva ao mesmo cargo da Mesa Diretor, mantida a composição da Mesa de Assembleia Legislativa eleita antes da publicação do acórdão da ADI 6524 (06/04/2021)”, disse Gilmar em seu voto.

Antes do pedido de vistas, o ministro Ricardo Lewandowski acompanhou o voto de Gilmar Mendes, estabelecendo o placar de 2 a 1 para a decisão que permite a recondução de Botelho à presidência da Assembleia.

Não há data para a retomada do julgamento. Falta ainda a manifestação de sete ministros.

Continue lendo

PUBLICIDADE

POLÍTICA

ECONOMIA

VARIEDADES

MAIS LIDAS DA SEMANA