Destaque

Festrilha 2020 Edição Online termina neste fim de semana

Publicado

na

Com a pandemia da Covid-19 muitos eventos populares e tradicionais em Mato Grosso foram cancelados no ano passado. É o caso do maior evento junino mato-grossense, que em 2021, entrou para o campo digital. O VI Festival de Quadrilhas Juninas – Festrilha 2020 Edição Online é realizado no formato de mostra, com um número menor de quadrilhas, e sem caráter competitivo.

O Festrilha é uma iniciativa da Federação Mato-grossense de Quadrilhas (FMTQ) e foi contemplado no Edital Circuito Mostras e Festivais, da Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (Secel-MT).

De acordo com a presidente da FMTQ, Marta Negrão, os recursos do edital possibilitaram a realização do evento e manter a tradição viva. “Em 2020 vimos nossos brincantes silenciaram e cessaram os preparativos por conta da pandemia que se instalou. Já não tínhamos mais esperança de conseguir realizar o evento, quando fomos surpreendidos pelos Editais da Secel. Esses editais vieram reacender a chama de uma paixão sufocada”.

Para participar do evento, os grupos de quadrilha junina se inscreveram em edital realizado pela federação e produziram pequenos vídeos para serem apresentados no canal de Youtube da FMTQ youtube.com/FMTQuadrilhas. Foram selecionadas 20 quadrilhas e destinado o recurso de R$ 9.000,00 (nove mil reais) cada uma, para custearem suas despesas anteriores e se organizarem para a próxima temporada.

Leia Também:  Novas taxas de serviços do Detran em MT entram em vigor em 2021

A edição online teve início no dia 19 de março com a apresentação dos grupos: Lumiar da Paixão (Ribeirão Cascalheira), Junina A.M.U (Cáceres), Caipiras de Plantão (Tangará da Serra), Coração Caipira (Porto Alegre do Norte) e Exposão Luverdense (Lucas do Rio Verde). No dia 20 se apresentaram: Império Junino (Rondonópolis), Simpatia Junina (Lucas do Rio Verde), Caipiras Unidos (Rondonópolis) campeã de 2019, Os de Fora (Tangará da Serra), Balancê do Cerrado (Nova Xavantina).

A FMTQ preparou diversos prêmios para os dois últimos dias do evento, que ocorrem nesta sexta-feira (26.03) e sábado (27.03). “Para as últimas lives nós preparamos prêmios para encerrarmos o evento em grande estilo, como é de gosto da FMTQ”, destaca a presidente da federação Marta Negrão.

Nesta sexta-feira (26.03), às 20h, o público poderá assistir as apresentações dos Caipiras do Araguaia (Confresa), Beija Flor (Confresa), Pirilampos do Vale (Água Boa), Fogo na Saia (Barão de Melgaço) e Flor do Araguaia (Araguaiana).

No sábado (27.03), a partir das 20h, se apresentam Abalantes do Sertão (Barra do Garças), Jóias do Cerrado (Sorriso), Amor Caipira (Alto Boa Vista), Flor do Sertão (Porto Alegre do Norte) e Brilho Junino (Barra do Garças).

Destaque

Com pedido de vista no STF, composição da mesa diretora da ALMT pode ser alterada

Publicado

na

Após abrir divergência no julgamento sobre a reeleição para a Mesa Diretora da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), o ministro Gilmar Mendes pediu vista do processo, que está em análise no plenário virtual do Supremo Tribunal Federal (STF). O pedido de vista foi apresentado nesta terça-feira (21).

A ação foi apresentada em março deste ano, após a reeleição do deputado estadual Eduardo Botelho (DEM) para seu terceiro mandato como presidente da Assembleia Legislativa. Nove dias após a proposição, o ministro Alexandre de Moraes concedeu liminar impedindo a posse de Botelho, o que levou à realização de uma nova eleição da Mesa Diretora da ALMT.

Proposta pela Procuradoria-Geral da República (PGR), a ação questionava a possibilidade de múltiplas reeleições para o mesmo cargo na Mesa Diretora, apontando que a Constituição Federal impedia este tipo de conduta no Congresso Nacional. Assim, as casas legislativas estaduais e municipais deveriam seguir o mesmo entendimento, permitindo apenas uma reeleição para o mesmo cargo de um membro da Mesa Diretora.

O processo foi a julgamento virtual pela primeira vez em 11 de junho, mas foi suspenso devido a um pedido de vista do ministro Gilmar Mendes, o decano da corte, que não havia apresentado seu voto até então.

Leia Também:  Prazo para convenções partidárias termina nesta quarta-feira (16)

O julgamento virtual retomado na última sexta-feira, 17 de setembro, ocasião em que o ministro Gilmar Mendes abriu divergência do relator do caso, Alexandre de Moraes. Mendes manteve a maior parte da decisão do relator, que limitou a uma única reeleição, mas abriu brecha para que Botelho pudesse ser reconduzido à Presidência.

“Ante o exposto, divirjo em parte do Ministro Relator e julgo procedente o pedido para conferir interpretação conforme a Constituição Federal […] e estabelecer que é permitida apenas uma reeleição ou recondução sucessiva ao mesmo cargo da Mesa Diretor, mantida a composição da Mesa de Assembleia Legislativa eleita antes da publicação do acórdão da ADI 6524 (06/04/2021)”, disse Gilmar em seu voto.

Antes do pedido de vistas, o ministro Ricardo Lewandowski acompanhou o voto de Gilmar Mendes, estabelecendo o placar de 2 a 1 para a decisão que permite a recondução de Botelho à presidência da Assembleia.

Não há data para a retomada do julgamento. Falta ainda a manifestação de sete ministros.

Continue lendo

PUBLICIDADE

POLÍTICA

ECONOMIA

VARIEDADES

MAIS LIDAS DA SEMANA