Opinião

Crianças e a Pandemia

Publicado

na

Estamos passando por um período conturbado, caótico, onde nem os adultos, nem as crianças possuem experiência prévia. Tudo é novo e a mudança é constante. Oscilamos períodos de alerta vermelho, amarelos e verdes. Períodos em que sentimos e vemos esperança de uma solução, mas logo volta toda a turbulência. Chegamos a acreditar que nossa salvação havia chegado com as vacinas, mas em poucos dias, alguns falecimentos de pessoas vacinadas, voltou a nos abalar. A esperança vem sendo enterrada aos poucos.
As rotinas se alteram constantemente e uma nova fase de aprendizado é iniciada. Ausência de uma sequência, momentos de medo, luto, instabilidade financeira, pânico, dentre outros. As crianças enxergam a preocupação estampada por todos os lados, as alterações no comportamento dos pais e isso gera a elas enorme insegurança. É importante lembrar que enquanto o adulto mantiver a tranquilidade, a criança também estará tranquila.
Mas como manter essa tranquilidade em tempos tão difíceis? Uma maneira de ajudar é sempre falar sobre o que está acontecendo. Posicionar a criança das fases atuais da pandemia de forma que elas possam compreender o comportamento dos adultos. É importante que a criança se sinta respeitada e mais que isso, participando das situações com a verdade.
Vale lembrar, que seu processo de desenvolvimento é contínuo e que durante esse período elas também estarão aprendendo habilidades sociais e de vida valiosas para a formação de um bom caráter. Então vale acatar algumas dicas sobre como ajudá-las durante esse período; procure ser exemplo do comportamento que você gostaria de ver nelas, afinal, como você espera que seus filhos controlem seus comportamentos se você não controla o seu? Estabelecer tarefas domésticas para elas é importante, as crianças aprendem habilidades de vida, desenvolvem interesse social e se sentem capazes ao ajudar nas tarefas domésticas.
Se abracem. As crianças agem melhor quando elas se sentem melhor e você também. Os abraços nos fazem sentir melhor. Em vez de dizer o que “não fazer”, redirecione falando o que “fazer”. Deixe as crianças participarem das decisões com escolhas limitadas (previamente escolhidas pelos pais). Principalmente quando isso afeta as rotinas delas. Estabeleça rotinas e acordos e cumpra com eles. É importante para as crianças a previsibilidade, pois sua ausência pode pegar a criança de surpresa quando ela quiser fazer alguma coisa e pode gerar maus comportamentos. Deixe que a rotina vire o chefe, aliviando os pais dessa função.
Entenda o que chamamos de birra é a falta de controle emocional das crianças. As crianças não possuem a parte do cérebro capaz de controlar seus impulsos desenvolvidas, e diante de um período tão intenso emocionalmente, essa falta de controle emocional pode aumentar, tornando as crianças mais sensíveis. Bom humor pode ajudar os pais e as crianças a deixar o ambiente mais leve. Busque momentos em que vocês poderão dar risadas e se divertirem juntos. ​Pratique auto cuidado e crie um espaço na casa para que os integrantes da família possam se acalmar quando necessário. Reúna para decidir quais objetos serão colocados nesse cantinho, tais como (lápis de cor, gibis, livros, ursos, bonecas, dentre outros). O importante é ter objetos que possam ajudar todos a acalmar e relaxar.

Leia Também:  Procon-MT realiza 789 audiências virtuais durante a pandemia

Ana Montenegro, Psicóloga

Opinião

O Pódio também é para a mulher

Publicado

na

Nos últimos anos, o lugar das mulheres em cargos altos no mercado de trabalho vem aumentando gradativamente a passos largos. A revista Forbes Brasil listou as 20 mulheres de sucesso no Brasil em diversas em diversas áreas, todas dispostas a mudar o conceito de gênero no mercado. Segundo a revista Forbes, a lista aponta mais uma vez que a equidade de gênero na sociedade e no mercado de trabalho é um caminho sem volta. A diversidade nas empresas provou ser um poderoso fator de eficiência, inovação, criatividade, produtividade, harmonia e qualidade em todas as suas dimensões.
O assunto não quer calar, em junho a revista exame ressaltou a varejista de moda Lojas Renner como um dos destaques da 3ª edição do Guia EXAME Diversidade. Segundo a revista, como resultado, 65% dos cargos de liderança, a partir de gerência, são ocupados por mulheres. Já no mapa de sucessão, 76% das pessoas que pleiteiam postos mais altos são do gênero feminino.
O que podemos avaliar desses indicadores; em primeiro lugar é que existe consistência no trabalho de fazer com que as mulheres acreditem que possam evoluir. O melhor nesse contexto é que nós mulheres já ocupamos a gestão sem fronteiras de segmentos. No mercado automotivo de alto padrão, por exemplo, temos um inicio dessa expansão nos altos cargos. Orgulhosamente represento esse setor em Cuiabá. O caminho percorrido para chegar a este pódio foi longo, porem por quase dois anos mantenho essa conquista, e a desempenho com excelência, servindo de referência para toda a região Centro – Oeste e outros Estados, pois se tornou comum mulheres neste segmento atuando apenas como vendedoras, mas como gestoras ainda é raro. Sim sou uma das únicas, uma referência, principalmente no segmento de carros esportivos de luxo.
O motivo desta raridade é que ainda existe algo para ser driblado, o preconceito. É como se uma negociação milionária diante de Lamborghinis, Ferraris e demais super máquinas, só figurava com sucesso o estereótipo “homem de negócios”. Ledo engano e visão ultrapassada, o conservadorismo neste caso, não tem mais espaço e nem sentido. Hoje a relação mudou bastante, a figura feminina está mais familiarizada ao público masculino, apesar de serem ainda os homens a grande maioria nos altos cargos e clientes compradores de carros esportivos.
Hoje, celebro a celeridade com que a visão de mundo vem se modificando, claro, que os resultados nos ajudam neste processo, pois não se trata apenas de gênero, porem de competência. E, mesmo sabendo que a eficiência, inteligência, sagacidade e determinação fazem parte do DNA das mulheres que lutam por um espaço no “Pódio” ainda temos que lembrar o mundo a respeito, e até mesmo a nós, quando nos deparamos com olhares duvidosos. Mas, avante mulheres, não pisem no freio do seu sucesso.

Leia Também:  'Estamos vivendo um finalzinho de pandemia', diz Bolsonaro apesar da alta de mortes de Covid

Rosi Cidram, especialista em carros de luxo

Continue lendo

PUBLICIDADE

POLÍTICA

ECONOMIA

VARIEDADES

MAIS LIDAS DA SEMANA