Destaque

Municípios de Mato Grosso recebem recursos em apoio ao aleitamento materno

Publicado

na

Em Mato Grosso, 14 municípios foram selecionados para receber o financiamento destinado ao custeio de ações de promoção, proteção e apoio ao aleitamento materno e à alimentação complementar adequada e saudável para crianças menores de dois anos de idade.

O recurso, que varia entre R$ 15 mil (repasse mínimo) e R$ 108 mil por município, faz parte do programa Estratégia Amamenta e Alimenta Brasil (EAAB) na Atenção Primária, do Ministério da Saúde (MS). Foram mais de R$ 500 mil de repasse do Ministério da Saúde direto aos municípios contemplados, em parcela única.

Os municípios terão de realizar a identificação, o cadastro e o monitoramento das práticas alimentares de crianças menores de dois anos de idade, por meio das ações de vigilância alimentar e nutricional. Esses municípios beneficiados devem comprovar a aplicação dos recursos financeiros recebidos por meio de um Relatório Anual de Gestão (RAG).

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS) e o Ministério da Saúde, o aleitamento materno é a única estratégia mundial que isoladamente reduz em 13% a mortalidade até os cinco anos. Amamentar evita diarreia e infecções respiratórias, reduz o risco de alergias, de diabetes, colesterol alto e hipertensão, melhora a nutrição e reduz a chance de obesidade. Além disso, o ato contribui para o desenvolvimento da cavidade bucal das crianças e promove o vínculo afetivo entre a mãe e o bebê.

Leia Também:  Unemat oferta aulas gratuitas em seis instrumentos musicais em Cáceres

O servidor público e nutricionista Rodrigo Carvalho, responsável técnico pelas ações de promoção, proteção e apoio ao Aleitamento Materno e Alimentação Complementar Saudável no âmbito da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT), destaca que, além dos inúmeros benefícios da amamentação para a criança, para a mulher e para o planeta, investir em políticas públicas de promoção, apoio e proteção ao aleitamento materno pode acarretar em mais economia aos cofres públicos.

Uma pesquisa publicada em 2019 pela Universidade Oxford (Reino Unido) concluiu que, de forma global, os custos de não investir em políticas públicas de promoção, proteção e apoio ao aleitamento materno podem chegar a US$1 bilhão, diariamente.

Confira a lista dos 14 municípios selecionados para receberem o incentivo financeiro referente à Estratégia Amamenta e Alimenta Brasil (EAAB):

Municípios 2020
Arenápolis 27.000,00
Barra do Bugres 54.000,00
Campo Novo do Parecis 45.000,00
Cuiabá 18.000,00
Denise 18.000,00
Feliz Natal 18.000,00
Nova Marilândia 15.000,00
Nova Mutum 72.000,00
Nova Olímpia 45.000,00
Porto Estrela 18.000,00
Santo Afonso 15.000,00
Sapezal 45.000,00
Sinop 108.000,00
Tangará da Serra 81.000,00
TOTAL 579.000,00

Destaque

O Legislativo foi fundamental para consolidar a ferrovia estadual, afirma Max Russi

Publicado

na

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Max Russi (PSB) está otimista, quanto a valorização dos produtos em todo o Estado, por meio da melhoria da logística de transporte, com a implantação da malha ferroviária. O desenvolvimento social, com a geração de postos de trabalho, também foi destacado pelo parlamentar.

O presidente do Parlamento, ressaltou que o Legislativo está sendo fundamental para a consolidação da ferrovia estadual em Mato Grosso. Durante a solenidade para assinatura do contrato de construção, implantação e exploração do complexo ferroviário, que vai interligar Cuiabá a Rondonópolis, bem como Rondonópolis com Nova Mutum e Lucas do Rio Verde. Os atos oficiais aconteceram nesta segunda-feira (20).

Max Russi disse que o Parlamento foi responsável pela aprovação da Lei, que possibilitou com que o governador Mauro Mendes continuasse as tratativas, que asseguram juridicamente todos os encaminhamentos para o início das obras.

O deputado citou a Proposta de Emenda à Constituição 16/2020, que criou a possibilidade de que o governo pudesse construir e explorar, de forma direta, a malha ferroviária no estado.

Leia Também:  Agropecuária Ribeirópolis participa do julgamento da raça nelore da 46ª Exposul

Esse é um avanço gigantesco e vai agregar valor à nossa produção. A Assembleia foi importantíssima nesse projeto, apresentando a PEC, aprovando por meio de todos os deputados e dando ao Governo do Estado a condição de trazer a primeira ferrovia estadual”, complementou.

Max Russi acredita que a malha viária, que será denominada Ferrovia Autorizada de Transporte Olacyr de Moraes (FICO) além de gerar mais de 240 mil empregos diretos e indiretos, vai fomentar principalmente o agronegócio e a indústria, além de resultar em insumos com preços mais competitivos. “Vai sobrar dinheiro no bolso do mato-grossense e isso será um grande ganho social”, avalia.

O projeto da ferrovia estadual prevê investimento de R$ 11,2 bilhões para a sua implantação.

Participam ainda dos eventos de assinatura, que tiveram início na capital cuiabana e foram finalizamos em Lucas do Rio Verde, senadores, deputados federais, deputados estaduais, secretários de Estado, representantes da Rumo Logística e autoridades dos municípios, por onde está prevista a passagem da ferrovia.

Continue lendo

PUBLICIDADE

POLÍTICA

ECONOMIA

VARIEDADES

MAIS LIDAS DA SEMANA