Cotidiano

Saúde não descarta uma 2ª onda de coronavírus em Mato Grosso

Publicado

na

O número de novas confirmações da Covid-19 acontece em ritmo lento, mas sem paralisação da transmissão do novo coronavírus, em Mato Grosso.

Isso significa dizer que a pandemia não acabou e, atualmente, o temor é de uma possível segunda onda da doença – sem nem ter saído da primeira -, assim como vem ocorrendo em países europeus como França, Espanha, Reino Unido e Alemanha.

No Estado, o número de novos infectados pela doença tem apresentado uma média diária de até 600 novas confirmações e de cinco a 10 óbitos.

Neste último domingo (15), por exemplo, foram 229 novos registros da Covid-19 e um óbito.

No sábado (14), foram 236 novos infectados e quatro mortes, no dia anterior (13), 502 novos casos e 10 pessoas perderam a luta para o vírus.

Na segunda-feira (16), foram 12 mortes e 489 casos confirmados da doença.

Nesta terça-feira (17), o Consórcio de Imprensa (G1, UOL, O Globo, Folha de S. Paulo, O Estado de S. Paulo, Extra) apontou que Mato Grosso e outros 15 estados, além do Distrito Federal, estão em alta na média móvel de alta.

As informações são com base em dados fornecidos pelas secretarias estaduais de Saúde.

Conforme o consórcio, o Brasil voltou ao cenário de média alta de Covid, pela primeira vez, desde o dia 4 de junho.

Esta terça-feira é o terceiro dia na tendência.

Quando nada, é um sinal de que o brasileiro precisa redobrar as medidas sanitárias, nesse momento.

OSCILAÇÃO – Procurada para falar sobre o assunto, a Secretaria de Estado de Saúde se posicionou por meio de nota elaborada pela Secretaria Adjunta de Vigilância e Atenção à Saúde.

Segundo a área técnica do órgão estadual, a evolução no número de casos no Brasil oscila entre queda e estabilidade, a depender do estado considerado.

“O contexto tem como fatores de interferência o clima quente e úmido, taxas de isolamento social, grupo etário mais afetado e introdução de novas variantes do vírus SARS-CoV-2 (coronavírus)”, analisou.

O órgão estadual segue informando que “como o Estado apresentou uma queda do número de casos após um longo período de elevados quantitativos de infectados e óbitos – a chamada “primeira onda” –, atualmente, a transmissão continua acontecendo em um ritmo inferior, mas sem estagnação”.

Assim, uma possível segunda onda da pandemia como vem ocorrendo em países europeus não é descartada.

“É possível que haja uma ‘segunda onda’ em Mato Grosso. Contudo, tal perspectiva depende de vários fatores já expostos. Por isso, há o monitoramento constante da evolução do número de casos, óbitos e população afetada, bem como do número de leitos ocupados; esses indicadores dão a oportunidade de prever uma tendência de crescimento em tempo oportuno”, completou a nota.

Recentemente, o secretário de Saúde, Gilberto Figueiredo, disse, em entrevista à imprensa, que as eleições municipais eram uma preocupação em si, pois tendiam a promover aglomerações tanto durante a campanha quanto na hora da votação.

Além disso, também há uma inquietação quanto ao período de férias, já que as pessoas tendem a viajar mais e visitar lugares de lazer com frequência.

Além disso, países europeus que haviam conseguido controlar a transmissão do coronavírus em meados de 2020, agora enfrentam um novo surto de Covid-19.

Muitos tiveram de retomar medidas mais restritivas de circulação da população, como toques de recolher e lockdowns.

A segunda onda na Europa tem sido menos letal do que a primeira.

Os novos casos têm ocorrido entre os mais jovens, que são mais resistentes ao vírus — o que explicaria uma menor ocorrência de mortes.

Avanços na área médica também são apontados como fatores que estão contribuindo para reduzir a letalidade da doença na atual etapa da pandemia. Além disso, como o novo coronavírus atingiu primeiro os países do hemisfério norte no início de 2020, pesquisadores consideram que a segunda onda na Europa pode ser um prenúncio do que poderia ocorrer nos próximos meses no Brasil.

BOLETIM – A Secretaria de Estado de Saúde notificou, até a tarde de segunda-feira (16), 152.847 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso.

Dentre os dez municípios com maior número de casos de Covid-19 estão: Cuiabá (32.399), Rondonópolis (11.339), Várzea Grande (11.043), Sinop (8.021), Sorriso (6.591), Lucas do Rio Verde (6.059), Tangará da Serra (5.937), Primavera do Leste (5.134), Cáceres (3.574) e Nova Mutum (3.200).

No total, até agora, foram registradas 4.053 mortes em decorrência do coronavírus no Estado.

Dos 152.847 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, 4.979 pessoas estão em isolamento domiciliar e 143.410 estão recuperados.

Entre casos confirmados, suspeitos e descartados para a Covid-19, há 130 internações em UTIs públicas e 109 em enfermarias públicas.

A taxa de ocupação está em 32,26% para UTIs adulto e em 12% para enfermarias adulto.

Por Joanice de Deus

Fonte: Diário de Cuiabá

Leia Também:  Governador de Mato Grosso se reúne com ministros para tratar das ferrovias e da BR-163

Cotidiano

Governo assina convênios para pacote de obras em escolas, aquisição de micro-ônibus e equipamentos

Publicado

na

O Governo de Mato Grosso, por meio da secretaria de Estado de Educação (Seduc-MT), firmará, na próxima terça-feira (19.01), mais de 50 convênios com 26 municípios, para a construção de novas escolas estaduais e de quadras poliesportivas, ampliação de unidades, além da aquisição de micro-ônibus, mobiliários e equipamentos.

Os convênios ultrapassam os R$ 40 milhões e fazem parte do pacote de investimentos do programa Mais MT. O evento será realizado no Palácio Paiaguás, às 9h.

Dentro do pacote está a construção de três novas escolas em Peixoto de Azevedo, Primavera do Leste e Querência.

Em Peixoto de Azevedo o convênio firmado direto com a prefeitura prevê um investimento do governo de R$ 3.995.000,00 e R$ 5.000,00 de contrapartida do município.

O projeto é de construção da Escola Estadual Luciene Cardos de Oliveira, com 10 salas de aula e uma quadra poliesportiva. O terreno fica no Loteamento Nova Esperança, nas ruas Manaus e Parnaíva.

Em Primavera do Leste, a nova unidade terá 16 salas de aula e quadra poliesportiva. Será construída no bairro Jardim Luciana. A prefeitura destaca que o bairro tem apresentado um grande crescimento populacional e precisa de infraestrutura para atender os moradores de toda a redondeza.

Leia Também:  Shots saudáveis: uma dose de saúde para sua rotina alimentar

O investimento do governo do Estado será de R$ 7.495.000,00 e a contrapartida da prefeitura de R$ 5.000,00.

Em Querência, será construído o novo prédio da Escola Estadual Indígena Central Kisedje, com oito salas de aula. A escola atende alunos dos Anos Iniciais e Finais do Ensino Fundamental e do Ensino Médio. Neste prédio, o investimento do Estado será de R$ 1.995.000,00 com contrapartida de R$ 5.000,00 do município.

Ampliações e quadras

Os convênios também são para ampliações em oito escolas estaduais, localizadas em Campo Novo do Parecis, Nova Canaã do Norte, Sapezal e Sorriso. Cada unidade terá mais oito salas de aula, uma média de 240 novas vagas. As obras estão previstas para iniciar ainda no primeiro semestre.

Vinte e duas escolas vão ganhar uma nova quadra poliesportiva, possibilitando aos estudantes um espaço adequado para a prática de esportes. As quadras serão construídas em escolas de Campo Novo do Parecis, Figueirópolis D’Oeste, Juscimeira, Nortelândia, Nova Lacerda, Peixoto de Azevedo, Porto Alegre do Norte, Primavera do Leste, Querência, Santa Rita do Trivelato e Sorriso.

Leia Também:  Mato Grosso é um dos sete estados que reduziram homicídios de jovens homens

Em Campo Novo do Parecis, a obra de ampliação será na Escola Estadual Jardim do Ipês, no bairro com o mesmo nome. Além de um novo bloco escolar com oito salas de aula, serão construídos novos banheiros na unidade e uma quadra poliesportiva. O convênio assinado com a prefeitura totaliza R$ 1.500.000,00, sendo R$ 1.495.000,00 de investimentos do governo e R$ 5.000,00 de contrapartida do município.

Também em Campo Novo do Parecis, a Escola Estadual Marechal Cândido Rondon vai ganhar uma nova quadra poliesportiva (R$ 695.000,00 de investimentos do Estado e R$ 5.000,00 de contrapartida do município).

Em Itanhangá, a Escola Joaquim Barbosa vai ganhar mais oito salas de aula e também uma quadra poliesportiva. O projeto também prevê a instalação de posto de transformação para que a unidade possa receber climatização.

Continue lendo

PUBLICIDADE

POLÍTICA

ECONOMIA

VARIEDADES

MAIS LIDAS DA SEMANA