Variedades

EUA ultrapassam 100 mil casos diários de covid-19, mostra Johns Hopkins

Publicado

na

Os Estados Unidos ultrapassaram hoje a marca de 100 mil casos diários de covid-19. De acordo com dados da universidade Johns Hopkins, foi registrado aumento de 102.821 contaminações nas últimas 24 horas, além de 1.097 mortes. É o novo recorde diário. O país totaliza agora 9.516.790 infecções e 234.011 óbitos.

Na Inglaterra, entra em vigor hoje o novo bloqueio nacional, na tentativa de frear a disseminação do novo coronavírus. O lockdown deve durar até dia 2 de dezembro, de acordo com o governo. Estabelecimentos que não oferecem serviços essenciais devem ser fechados. O governo também pede à população continue trabalhando no modelo de home office, a não ser que seja essencial sair de casa para exercer o ofício. Escolas e universidades seguirão abertas.

Somente na Inglaterra, 934.099 pessoas foram contaminadas e 21.863 morreram. Em todo o Reino Unido, são 1.099.059 de casos e 47.742 óbitos.

Na Grécia, também foi anunciado um novo bloqueio nacional De acordo com o primeiro-ministro do país, Kyriakos Mitsotakis, o lockdown deve durar três semanas, começando a partir deste sábado (7). Comércios serão fechados no país, exceto supermercados e farmácias. Os gregos também precisarão de uma licença para sair ao ar livre em horários determinados.

Leia Também:  Servidora aposentada da SES-MT morre de Covid-19

A Grécia registra, até hoje, o total de 46.892 casos confirmados e 673 mortes, de acordo com dados da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Impondo novas restrições de fronteira, a China passou a proibir viajantes não-chineses de Reino Unido, Bélgica e Filipinas. A medida vem devido a preocupação do governo com onda de contaminação sofrida pela Europa e pelos Estados Unidos.

A capital do país, Pequim, também deve tomar medidas parecidas, de acordo com publicação do jornal britânico The Guardian A partir de amanhã, viajantes dos Estados Unidos, Alemanha, República Tcheca e França devem ter testado negativo para covid-19 para obter permissão para entrar no país.

De acordo com a OMS, a China registra o total de 92.077 casos confirmados e 4.747 mortes.

Por Matheus de Souza
Estadão Conteúdo – São Paulo

Destaque

Municípios de Mato Grosso recebem recursos em apoio ao aleitamento materno

Publicado

na

Em Mato Grosso, 14 municípios foram selecionados para receber o financiamento destinado ao custeio de ações de promoção, proteção e apoio ao aleitamento materno e à alimentação complementar adequada e saudável para crianças menores de dois anos de idade.

O recurso, que varia entre R$ 15 mil (repasse mínimo) e R$ 108 mil por município, faz parte do programa Estratégia Amamenta e Alimenta Brasil (EAAB) na Atenção Primária, do Ministério da Saúde (MS). Foram mais de R$ 500 mil de repasse do Ministério da Saúde direto aos municípios contemplados, em parcela única.

Os municípios terão de realizar a identificação, o cadastro e o monitoramento das práticas alimentares de crianças menores de dois anos de idade, por meio das ações de vigilância alimentar e nutricional. Esses municípios beneficiados devem comprovar a aplicação dos recursos financeiros recebidos por meio de um Relatório Anual de Gestão (RAG).

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS) e o Ministério da Saúde, o aleitamento materno é a única estratégia mundial que isoladamente reduz em 13% a mortalidade até os cinco anos. Amamentar evita diarreia e infecções respiratórias, reduz o risco de alergias, de diabetes, colesterol alto e hipertensão, melhora a nutrição e reduz a chance de obesidade. Além disso, o ato contribui para o desenvolvimento da cavidade bucal das crianças e promove o vínculo afetivo entre a mãe e o bebê.

Leia Também:  Único apostador ganha prêmio de R$ 21,9 milhões na Mega-Sena

O servidor público e nutricionista Rodrigo Carvalho, responsável técnico pelas ações de promoção, proteção e apoio ao Aleitamento Materno e Alimentação Complementar Saudável no âmbito da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT), destaca que, além dos inúmeros benefícios da amamentação para a criança, para a mulher e para o planeta, investir em políticas públicas de promoção, apoio e proteção ao aleitamento materno pode acarretar em mais economia aos cofres públicos.

Uma pesquisa publicada em 2019 pela Universidade Oxford (Reino Unido) concluiu que, de forma global, os custos de não investir em políticas públicas de promoção, proteção e apoio ao aleitamento materno podem chegar a US$1 bilhão, diariamente.

Confira a lista dos 14 municípios selecionados para receberem o incentivo financeiro referente à Estratégia Amamenta e Alimenta Brasil (EAAB):

Municípios 2020
Arenápolis 27.000,00
Barra do Bugres 54.000,00
Campo Novo do Parecis 45.000,00
Cuiabá 18.000,00
Denise 18.000,00
Feliz Natal 18.000,00
Nova Marilândia 15.000,00
Nova Mutum 72.000,00
Nova Olímpia 45.000,00
Porto Estrela 18.000,00
Santo Afonso 15.000,00
Sapezal 45.000,00
Sinop 108.000,00
Tangará da Serra 81.000,00
TOTAL 579.000,00
Continue lendo

PUBLICIDADE

POLÍTICA

ECONOMIA

VARIEDADES

MAIS LIDAS DA SEMANA