Coluna Bastidores da República

Mato Grosso dá a volta por cima e anuncia investimentos de R$ 9,5 bilhões

Publicado

na

MAIS MT

Para retomar a economia de Mato Grosso no pós-pandemia, o governador Mauro Mendes (DEM), anunciou MAIS MT, um ousado programa de investimentos que contemplam 12 eixos e somam R$ 9,5 bilhões até o ano de 2022. Mendes disse que isso foi possível em razão das medidas tomadas pela atual gestão que consertaram o Governo, que estava quebrando no final de 2018. Entre elas, se destacam a reforma administrativa, o corte de gastos públicos, a revisão dos incentivos fiscais, o combate à sonegação e a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) Estadual.

 

GESTÃO DO SUS

Mesmo tendo revogado decreto, o presidente Jair Bolsonaro voltou a defender o documento que autoriza participação da iniciativa privada nas unidades básicas de saúde do país. Bolsonaro disse que há mais de 4 mil instalações inacabadas por falta de recursos. Ele afirmou que protestos partem de quem quer a volta de governos de esquerda no Brasil. O presidente reafirmou que não se trata de privatização do SUS e que, caso haja acordo, o decreto poderá ser reeditado.

 

IMPOSTO MORTO

Apesar de o presidente Jair Bolsonaro ter admitido que o governo pensa em recriar a CPMF; o ministro da Economia, Paulo Guedes, perdeu a paciência ao falar sobre o assunto. Ele disse que, como o Congresso não está disposto a falar sobre impostos alternativos por conta das eleições, também já pensa em não falar mais sobre o assunto. “Do meu ponto de vista, o imposto está morto”, declarou. Guedes lembrou que quando foi falado pela primeira vez, caiu o secretário da Receita. “Agora, estamos em plena campanha eleitoral, ninguém quer discutir esse troço”.  Ou seja, não quer ser o próximo a cair.

Leia Também:  Bolsonaro evita polemizar reeleição e diz que não sabe se será candidato em 2022

 

EXTINÇÃO DO GUARÁ

Calma, não se trata de caçada ao lobo guará. Estou falando sobre a nota de R$ 200,00. É que o ministro da Economia, Paulo Guedes, disse que o novíssimo PIX poderá acabar com a também novíssima cédula antes mesma que esquente os bolsos de algumas pessoas. Para o ministro, o futuro do sistema financeiro é digital e requer notas de baixo valor. “O futuro é de menos dinheiro na mão e notas mais simples”, explicou.

 

FAZ PARTE

O ponto facultativo nesta sexta-feira para comemorar o Dia do Servidor Público, que seria dia 28, acabou prejudicando uma legião de pacientes que tinham consultas marcadas pelo INSS e que agora terão que reagendá-las. Para remarcar os atendimentos as pessoas devem entrar em contato com o 135 ou acessar o aplicativo Meu INSS. Apesar de não impactar totalmente o atendimento, já viu a confusão, né?

 

LUNÁTICO

O presidente Jair Bolsonaro voltou a investir contra o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), e chamou o tucano de “lunático” por ele ter defendido a obrigatoriedade da vacinação contra a Covid-19 e por ter encampado um ajuste fiscal que aumentou tributos no estado. “Doria aumentou ICMS de combustível, criou imposto para o cara que é deficiente e comprou um carro. Aumentou tudo que você pode imaginar. É coisa de lunático isso aí”, declarou Bolsonaro.

Leia Também:  Bolsonaro dá como certa indicação de Kassio Numes Marques pelo Senado para vaga de Celso de Mello no STF

 

ENTRE TAPAS E BEIJOS

Dias depois de o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) falar em uma “ampla coalizão” para derrotar Jair Bolsonaro (sem partido) nas eleições de 2022, uma reunião entre o petista e o ex-ministro Ciro Gomes (PDT) foi revelada. O encontro ocorreu no Instituto Lula, em São Paulo, em setembro. Eles selaram as pazes após dois anos rompidos por causa das eleições de 2018, quando fracassou a tentativa de um acordo eleitoral visando a Presidência. Na ocasião, como Lula foi impedido de entrar na disputa, o PT apostou em Fernando Haddad, enquanto o PDT foi de Ciro. No segundo turno, o pedetista frustrou as expectativas dos petistas e não apoiou o ex-prefeito de São Paulo.  Enfim, estão entre tapas e beijos.

Coluna Bastidores da República

Bolsonaro: “Estamos com a maior crise hídrica da história do Brasil”

Publicado

na

ALERTA PRESIDENCIAL

De folga, e  sem compromissos oficias nesta quinta-feira(3) , feriado de Corpus Christi, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) aproveitou para andar de moto e visitar uma igreja em Formosa (GO).Ao retornar ao Palácio da Alvorada  ele  parou para falar com  com apoiadores e  afirmou que o Brasil está enfrentando a maior crise hídrica da história, mas “apesar disso, tá indo bem”.“Apesar dos problemas, tá indo bem o Brasil, né? E tem gente incomodada com isso”, afirmou ele após fazer um passeio de moto em Formosa (GO), localizada a 80 km de Brasília.“Energia: estamos com problema, a maior crise hídrica da história do Brasil. Apesar disso, tá indo bem. É que não tem roubalheira, né? Avisar o presidente [Omar Aziz], o relator da CPI [Renan Calheiros] que não tá tendo roubalheira”, destacou o presidente

BASTIDORES

São fortes os ruídos em Brasilia dando conta de que assessores mais próximos do vice-presidente Hamilton Mourão têm incentivado o general, nos bastidores, a disputar a Presidência da República em 2022.A avaliação desses auxiliares é de que Mourão teria chances de vencer, mesmo disputando contra o presidente Jair Bolsonaro, de quem o general se distanciou. Já outros assessores comentam também, que o vice-presidente, por ora, não considera a possibilidade.  sendo  mais  provável  que ele dispute uma vaga no Senado pelo Rio Grande do Sul.No entanto,  em entrevistas recentes,  Mourão admite  a possibilidade de deixar o cargo antes, para disputar a eleição de 2022.

REAÇÃO

O Procurador-Geral da República, Augusto Aras, pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) que rejeite um pedido de habeas corpus coletivo apresentado por um grupo de advogados contra a Lei de Segurança Nacional (LSN).O PGR afirmou que há falhas processuais e afirmou que “inexiste flagrante ilegalidade” que autorize a concessão de liminar. O habeas corpus foi movido em março por 9 advogados que pedem a concessão de um salvo-conduto para evitar prisões e abertura de ações penais contra cidadãos que criticassem o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), chamando-o de “genocida”.

Leia Também:  Mato Grosso registra 160 crimes contra LGBTs em oito meses

COMITIVA 5G

O ministro das Comunicações, Fábio Faria, anunciou que uma comitiva com integrantes do governo, do Tribunal de Contas da União e parlamentares vai aos Estados Unidos para conhecer modelos de redes privativas de 5G. O embarque será no domingo e o retorno no dia 11. Entre os compromissos, constam visitas ao FBI e à CIA — além de reuniões nas empresas americanas de telecomunicações. Estarão na comitiva os senadores Flávio Bolsonaro e Ciro Nogueira, que integram as comissões de Assuntos Econômicos e de Relações Exteriores do Senado, e também os ministros do TCU Walton Alencar, Raimundo Carreiro e Bruno Dantas.

EXPECTATIVA

Faria afirma que o objetivo da viagem é acelerar a implementação do 5G no Brasil e garante que todas as capitais do país terão acesso à nova tecnologia em 2022. “Isso está nos nossos compromissos. Até julho do ano que vem nós teremos o 5G em todas as capitais. Independente se atrasar um mês, a gente consegue se adequa. As próprias operadoras já falaram isso. Até o ano que vem, todas as 27 capitais terão o 5G que pode conectar coisa

MINISTRO INVESTIGADO

A ministra Cármen Lúcia, do Supremo Tribunal Federal (STF), autorizou a abertura de um inquérito para investigar Ricardo Salles, ministro do Meio Ambiente do governo de Jair Bolsonaro (sem partido). A decisão foi tomada  atendendo a pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR). A solicitação tinha como base a notícia crime apresentada em abril por suposta tentativa de atrapalhar investigações sobre a Operação Handroanthus, na qual foi feita a maior apreensão de madeira do Brasil. “Tem-se nos autos notícia de fatos que, em tese, e na forma do acolhido pelo Ministério Público na notícia de crime, podem configurar práticas delituosas cuja materialidade e autoria reclamam investigação destinada a produzir elementos e subsídios informativos consistentes, com o objetivo de apurar a veracidade e autoria dos eventos mencionados na notícia de crime”, diz Cármen Lúcia em sua decisão.

Leia Também:  Sine oferece 1.717 vagas de emprego nesta semana em Mato Grosso

DEFESA DE SALLES

Por outro lado, o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, disse à Procuradoria-Geral da República ter promovido uma reunião no mês de março para discutir a maior apreensão de madeira no Brasil após um pedido do ministro Luiz Eduardo Ramos, então no comando da Segov (Secretaria de Governo) e atualmente na Casa Civil.Salles afirmou também, sem mecionar nomes, que “a assessoria da Casa Civil” encaminhou um parlamentar ao Ministério do Meio Ambiente para tratar da mesma questão. Na ocasião, a Casa Civil era chefiada pelo ministro Walter Braga Netto, hoje na Defesa.

SEM COMUNICAÇÃO

Fachada do Supremo Tribunal Federal. Brasilia, 26-10-2018. Foto: Sérgio Lima/Poder 360

A politização dos quartéis, misturada à campanha presidencial antecipada, serviu para acender o sinal amarelo no Supremo Tribunal Federal (STF). A preocupação ganhou novos contornos por causa da falta de interlocução do ministro da Defesa, Braga Netto, com integrantes da Corte. Na avaliação de magistrados, Braga Netto virou “um novo Pazuello” e já demonstrou ter assumido perfil político para fazer tudo o que o presidente Jair Bolsonaro quer. Custe o que custar.

AÇÃO PARLAMENTAR

A Câmara dos Deputados aprovou  a MP (Medida Provisória) 1034/21, que aumenta a tributação de instituições financeiras, reduz incentivos tributários da indústria química e limita o valor dos veículos comprados com desconto por pessoas com deficiência para compensar a diminuição de tributos sobre o diesel e o gás de cozinha (GLP). A matéria será enviada ao Senado.

Continue lendo

PUBLICIDADE

POLÍTICA

ECONOMIA

VARIEDADES

MAIS LIDAS DA SEMANA