Destaque

CHUVA DEVE VOLTAR A CAIR NESTA SEGUNDA EM CUIABÁ APÓS 135 DIAS

Publicado

na

Que o cuiabano sofre todos os dias por conta do clima não é nenhuma novidade. Principalmente com a quantidade de fumaça dos incêndios dos últimos meses. Mas, ao que tudo indica, a cidade voltará a sorrir na próxima semana – e não é com o novo álbum da Katy Perry | Smile – e sim, com o retorno da tão esperada chuva.

O instituto de meteorologia Climatempo aponta possibilidades de chuva até 90% na capital mato-grossense, no decorrer da semana.

Veja a previsão

Fonte: Climatempo

É importante frisar que, a área da meteorologia não depende apenas dos estudos de pessoas qualificadas, depende também de fatores climáticos. Por conta do calor excessivo e da baixa umidade relativa do ar é muito provável que as primeiras chuvas não amenizem o calor recorde deste ano.

CHUVA ÁCIDA 

A Defesa Civil adverte que a população evite tomar banho de chuva neste primeiro momento. A chuva ácida é uma realidade nesse período, principalmente com a presença do dióxido de carbono (CO2) na atmosfera.

Leia Também:  Sobrinha de 9 anos de Anitta vive em situação precária no Rio

Destaque

Com pedido de vista no STF, composição da mesa diretora da ALMT pode ser alterada

Publicado

na

Após abrir divergência no julgamento sobre a reeleição para a Mesa Diretora da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), o ministro Gilmar Mendes pediu vista do processo, que está em análise no plenário virtual do Supremo Tribunal Federal (STF). O pedido de vista foi apresentado nesta terça-feira (21).

A ação foi apresentada em março deste ano, após a reeleição do deputado estadual Eduardo Botelho (DEM) para seu terceiro mandato como presidente da Assembleia Legislativa. Nove dias após a proposição, o ministro Alexandre de Moraes concedeu liminar impedindo a posse de Botelho, o que levou à realização de uma nova eleição da Mesa Diretora da ALMT.

Proposta pela Procuradoria-Geral da República (PGR), a ação questionava a possibilidade de múltiplas reeleições para o mesmo cargo na Mesa Diretora, apontando que a Constituição Federal impedia este tipo de conduta no Congresso Nacional. Assim, as casas legislativas estaduais e municipais deveriam seguir o mesmo entendimento, permitindo apenas uma reeleição para o mesmo cargo de um membro da Mesa Diretora.

O processo foi a julgamento virtual pela primeira vez em 11 de junho, mas foi suspenso devido a um pedido de vista do ministro Gilmar Mendes, o decano da corte, que não havia apresentado seu voto até então.

Leia Também:  Natal e Revellion em Cuiabá não terão limite de horário, diz decreto

O julgamento virtual retomado na última sexta-feira, 17 de setembro, ocasião em que o ministro Gilmar Mendes abriu divergência do relator do caso, Alexandre de Moraes. Mendes manteve a maior parte da decisão do relator, que limitou a uma única reeleição, mas abriu brecha para que Botelho pudesse ser reconduzido à Presidência.

“Ante o exposto, divirjo em parte do Ministro Relator e julgo procedente o pedido para conferir interpretação conforme a Constituição Federal […] e estabelecer que é permitida apenas uma reeleição ou recondução sucessiva ao mesmo cargo da Mesa Diretor, mantida a composição da Mesa de Assembleia Legislativa eleita antes da publicação do acórdão da ADI 6524 (06/04/2021)”, disse Gilmar em seu voto.

Antes do pedido de vistas, o ministro Ricardo Lewandowski acompanhou o voto de Gilmar Mendes, estabelecendo o placar de 2 a 1 para a decisão que permite a recondução de Botelho à presidência da Assembleia.

Não há data para a retomada do julgamento. Falta ainda a manifestação de sete ministros.

Continue lendo

PUBLICIDADE

POLÍTICA

ECONOMIA

VARIEDADES

MAIS LIDAS DA SEMANA