Cotidiano

Ministro, governador e prefeita entregam mais uma etapa de residencial em VG

Publicado

na

Foram entregues as chaves para 576 famílias, contempladas com as moradias das etapas I e III do empreendimento

O ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, o governador Mauro Mendes (DEM) e a prefeita de Várzea Grande, Lucimar Campos (DEM), entregaram, nesta sexta-feira (28), mais uma etapa do residencial Santa Bárbara, em Várzea Grande, que tem 1.424 unidades habitacionais.

Desta vez, foram entregues as chaves para 576 famílias, contempladas com as moradias das etapas I e III do empreendimento.

De acordo com o governador Mauro Mendes, a entrega do residencial é um grande resultado da união de esforços do Governo Federal, por meio da Caixa Econômica Federal, do Governo do Estado e da Prefeitura Municipal – e demonstra o compromisso do Governo do Estado de investir em políticas públicas habitacionais em prol do cidadão e, neste caso, contribuir para a realização do sonho das 1.424  famílias que vão se beneficiar com as moradias.

Foto por: Christiano Antonucci/Secom-MT

A obra estava paralisada há alguns anos e foram investidos quase R$ 10 milhões pela Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística (Sinfra) para a retomada do empreendimento e sua conclusão, com a construção do sistema de tratamento de água e esgoto.

O residencial está localizado no bairro Jardim Maringá II e conta cinco etapas, com 18 prédios de cinco pavimentos, inclusive com área de lazer e estacionamento.

Para o ministro Rogério Marinho, a entrega do empreendimento é a prova de que é necessário ter uma política pública diferenciada junto à população, de modo a proporcionar autonomia e independência, não apenas às famílias em situação de vulnerabilidade, mas aos Municípios e Estados.

O residencial faz parte do programa “Minha Casa, Minha Vida” e é destinado a famílias que possuem renda de até R$ 1,8 mil e que não teriam condições financeiras de se enquadrar em outro programa de financiamento.

Ao todo, foram investidos R$ 130 milhões no residencial Santa Bárbara, entre recursos federal, estadual e municipal. Somente de recursos investidos pela Caixa Econômica Federal foram R$ 93 milhões.

Foto por: Christiano Antonucci/Secom-MT

Para a prefeita Lucimar Campos, a entrega de mais essa etapa do residencial garante moradia e um ambiente sadio para que as famílias possam viver e desfrutar do conforto, da qualidade de vida e da segurança que o empreendimento proporciona.

Além das famílias contempladas com a entrega das etapas I e III do empreendimento, já foram beneficiadas outras 272 famílias com a entrega da etapa I realizada no mês de julho. 

As outras moradias das etapas IV e V do residencial estão em fase de sorteio e a previsão é de que até fim do ano todas as famílias estejam alocadas em seus apartamentos.

Foto por: Christiano Antonucci/Secom-MT

“Esse residencial vai melhorar muito a condição de vida de muitas e muitas famílias que estavam esperando para realizar esse sonho. É um lugar bonito, aconchegante, com tudo perto: postos de saúde estruturados, creches, escolas. A nossa população merece morar bem e ter todo esse conforto para suas famílias”, afirmou a prefeita.

Entre as famílias beneficiadas com a nova moradia está a de Andressa Brito Santos, 23 anos, que terá uma nova casa para viver com seus três filhos que tem um, cinco e seis anos de idade. “Graças a Deus agora tenho minha casa. Amei. Estou encantada com meu apartamento, estou realmente muito feliz”, disse.

Ela, que vivia com sua mãe antes, não vê a hora de poder levar todos os seus pertences e passar a viver em sua nova moradia. “Sempre sonhei com esse dia de hoje, com esse momento de poder receber as chaves da minha casa. Estava muito ansiosa para que chegasse a minha vez. Só tenho a agradecer”, encerrou.

Foto por: Christiano Antonucci/Secom-MT

Fonte: GOV MT

Leia Também:  Pinheiro cria fundo para o bem estar animal

Cotidiano

Símbolo de respeito e ocupação histórica: Beco do Candeeiro recebe bênçãos da Lavagem do Rosário e São Benedito

Publicado

na

“Na beira da praia, Ogum Sete Ondas, Ogum Beira Mar” foi o que se escutou as margens da Prainha, no Beco do Beco do Candeeiro, na noite da última sexta-feira (11). O projeto Afro Sagrado, executado pela Associação Lavagem das Escadarias Rosário e São Benedito realizou a benção dos candeeiros para celebrar a presença ancestral africana. Logo depois, o grupo musical Raízes do Samba se apresentou com repertório nacional. No local, também foi comercializado comidas típicas regionais. Os eventos realizados no Beco são promovidos pela Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer por determinação do prefeito Emanuel Pinheiro, gratuitamente e seguem todas as medidas de biossegurança.

“É preciso respeitar as raízes do povo cuiabano, respeitar a fé tão diversa da nossa gente. A gestão Emanuel Pinheiro restaurou o Beco do Candeeiro para ser lugar de encontro, de exaltação da arte, da cultura, das tradições e vamos cada vez mais, promover a paz e união neste lugar tão simbólico da nossa Capital”, disse o prefeito de Cuiabá Emanuel Pinheiro.

Do agogô, instrumento Yoruba que se assemelha a um sino, veio o primeiro som. Daí por diante a cadência foi sendo construída. Das cabaças dos afoxés o som balançava até se fundir com a vibração dos atabaques. O ritmo se encorpava para que a bandeira da Paz dançasse no salão do Museu da Imagem e do Som (MISC). Ainda era só ensaio para o que viria a ser apresentado em instantes na rua 27 de Dezembro.

Às 19h, Ogum Beira Mar inundou o Beco do Candeeiro com seu exército branco. Chegou para abençoar, ocupar espaço de direito, por uma cultura de paz e tolerância. Eram os integrantes da Associação da Lavagem das Escadarias Rosário e São Benedito adentrando a primeira rua iluminada de Cuiabá com seu axé.

Leia Também:  Em reconhecimento, governador promove almoço para forças de Segurança que atuaram em Nova Bandeirantes

“Hoje para nós é um momentos especial, é quando a Prefeitura de Cuiabá nos reconhece como movimento cultural da Capital. Quero agradecer a todos que estão aqui, todos somos Lavagem e todos buscamos um espaço dentro do contexto histórico dessa cidade. Estar dentro do Beco do Candeeiro, um local restaurado para nós povo afro brasileiro é muito importante para nós”, disse Lindsey Catarina, presidente da Associação da Lavagem das Escadarias Rosário e São Benedito.

 Enquanto a Lavagem passava, o coração pulsava no ritmo dos dedos que tocavam o atabaque. O som reverberava nas pedras cangas que pareciam recordar os passos que retornavam para casa. O retorno das raízes afro brasileiras, da capoeira, do siriri e cururu, velhas conhecidas do Beco do Candeeiro.

“Quero dizer que é um prazer e uma emoção muito grande estar perto de um povo de fé. Quem conhece minha família sabe que a minha casa sempre esteve aberta para todos. Eu tenho muito orgulho de estar aqui e peço que me vejam e sintam sempre como uma irmã de vocês. Que Deus e Oxalá abençoem todos nós, muito axé para todo mundo”, disse a secretária Carlina Rabello Leite Jacob, que participou de toda a procissão pelo Beco e também esteve ao lado da presidente da Lavagem, Lindsey Catarina e do padre Hugo no momento simbólico de soltura de uma pomba branca pela paz. O secretário-adjunto de Cultura, Justino Astrevo também esteve presente no local.

Leia Também:  Número de multas por velocidade cai 34% em relação ao mesmo período do ano passado

Dos jarros com flores segurados pelas baianas vieram a água de cheiro que lavou a rua e os que assistiam e participavam do ritual. “Senhora do Rosário foi quem me trouxe aqui. Senhor do Rosário, foi quem me trouxe aqui. A água do mar é santa, eu vi, eu vi, eu vi”, cantava o exército branco, enquanto ramos de flores encharcados atiravam água perfumada e abençoada pelo ar.

“Eu tinha a fama de ser o padre mais macumbeiro da minha cidade, Campo Grande. Estou aqui como Igreja e digo que temos muito a que pedir perdão. Peço perdão a todo povo negro que teve que esconder seus orixás atrás de imagens de santo. Esse é o momento de pedir perdão, momento de que nossos ancestrais nos perdoem. Este momento é de abençoar este lugar que também já foi de sofrimento. Que nossos orixás nos abençoem, abram nossos caminhos e os purifiquem, axé”, disse padre Hugo, que representou a Paróquia Anglicana da Virgem Maria, no bairro Jardim El Dorado durante a benção.

A Associação da Lavagem dedicou o ritual em homenagem ao já falecido maestro Edinaldo Ferreira. No início da celebração foi feito um minuto de silêncio pelo falecimento da jornalista cultural, ex-assessora de imprensa da Prefeitura de Cuiabá, Alessandra Barbosa, falecida na sexta-feira (11).

Toda a programação no Beco do Candeeiro é realizada com entrada franca e limitada a 70 pessoas, respeitando as medidas de biossegurança em decorrência da pandemia da COVID-19.

Continue lendo

PUBLICIDADE

POLÍTICA

ECONOMIA

VARIEDADES

MAIS LIDAS DA SEMANA