Cotidiano

Baile da Primavera celebra a melhor idade com dança e alegria

Publicado

na

Redação (com informações da assessoria)

 

O evento anual é uma atividade do programa Viver Melhor da Unimed Cuiabá, voltado para beneficiários com mais de 60 anos.

Cercados por flores e luzes e esbanjando alegria e vitalidade, cerca de 150 idosos que participam do Programa Viver Melhor da Unimed Cuiabá e seus acompanhantes participaram da 3º edição do Baile da Primavera. O evento, realizado pelo Núcleo de Medicina Preventiva da Cooperativa – Viver Bem, ocorreu na noite da última terça-feira (29) no Buffet Leila Mallouf, em Cuiabá.

O Baile de Primavera busca fortalecer a integração entre os participantes do programa, seus familiares, amigos e equipe, e promover momentos de descontração, estimulando um envelhecimento ativo, saudável e com mais qualidade de vida. “Recebemos todos aqui com grande satisfação, pois na convivência diária percebemos a evolução dos participantes, com significativas e importantes melhoras, e isso nos fortalece e inspira para continuarmos com o nosso trabalho. Este baile é o momento para celebrar”, declarou a coordenadora médica do programa, a geriatra Waltyane Poussan.

Representando a gestão da Cooperativa, a diretora Administrativa-Financeira da Unimed Cuiabá, Dra. Suzana Palma, fez a abertura oficial do evento. “Temos uma satisfação imensa com todos os programas que o Viver Bem tem desenvolvido. Vendo cada um de vocês aqui, sentimos uma emoção muito grande. É lindo ver um grupo tão alegre, bonito, unido e solidário”, afirmou.

Leia Também:  Qualifica 300 oferece 3 mil vagas e atenderá migrantes e população em situação de rua

A diretora parabenizou ainda a todos presentes pelo empenho, dedicação, comparecimento diário e, principalmente, pela adesão ao programa oferecido pela Cooperativa que, atualmente, atende 1961 idosos. “Espero que cada um seja um divulgador desse trabalho que é feito com muito carinho com a intenção de contribuir efetivamente com a melhora da qualidade de vida da população”, completou Dra. Suzana Palma.

Após a abertura oficial, foi a vez das apresentações da noite. A primeira foi do Coral da Terceira Idade da Unimed Cuiabá, que emocionou o público com três músicas, incluindo um pot-pourri de ciranda de roda. Uma das participantes mais animadas do grupo era Cecília Meloto Duarte, de 64 anos. “Eu não achava nada que eu gostasse de fazer até eu encontrar o Coral. Amo o coral e amei conhecer novas pessoas. Minha vida melhorou muito depois que entrei no Viver Melhor. Fiquei mais feliz e não fico mais parada.”, contou a idosa que participa do programa há um ano por encaminhamento da geriatra e também faz aulas de hidroterapia no Espaço Cuidar.

As duas turmas de dança do programa também se apresentaram, uma com Bolero e outra com um divertido Samba. Em seguida, as turmas da Arteterapia fizeram a entrega dos brindes da festa, confeccionados pelos idosos durante as aulas. “Esse negócio de bordar, de fazer trabalho manual, eu nunca tinha feito nada. Agora faço crochê, bordado e todas as artes lá no grupo. Esse grupo melhorou tudo na minha vida. Agora tenho pessoas para conversar e para passar tempo, fiz amigos. Eu adoro!”, contou Nouhad Ghattas, de 82 anos.

Leia Também:  Cuiabá abre 4,2 mil vagas para Educação

A filha dela, Samia Ghattas, que a acompanhou no Baile, confirma. “Minha mãe adora festas e conversar com as pessoas. Mas estava muito sozinha e teve um quadro de depressão, daí eu fiquei sabendo do programa e a inscrevi e fomos muito bem atendidas. Hoje faz três anos que ela participa e a gente vê no dia a dia como ela mudou. A mente dela ficou mais ativa e melhorou muito o emocional”, relatou.

Viver Melhor – O programa é um benefício para clientes Unimed Cuiabá com mais de 60 anos. Oferece gratuitamente diversas atividades de convivência e exercícios físicos orientados, como arteterapia, inclusão digital, coral, hidroginástica, prevenção de quedas, academia e pilates, com o objetivo de estimular a autonomia, promover inserção social e qualidade de vida, além de monitorar o estado geral da saúde do idoso. Para mais informações, acesse o hotsite do Viver Bem ou ligue (06) 3612 – 8848.

 

 

 

Foto: Assessoria

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cotidiano

Símbolo de respeito e ocupação histórica: Beco do Candeeiro recebe bênçãos da Lavagem do Rosário e São Benedito

Publicado

na

“Na beira da praia, Ogum Sete Ondas, Ogum Beira Mar” foi o que se escutou as margens da Prainha, no Beco do Beco do Candeeiro, na noite da última sexta-feira (11). O projeto Afro Sagrado, executado pela Associação Lavagem das Escadarias Rosário e São Benedito realizou a benção dos candeeiros para celebrar a presença ancestral africana. Logo depois, o grupo musical Raízes do Samba se apresentou com repertório nacional. No local, também foi comercializado comidas típicas regionais. Os eventos realizados no Beco são promovidos pela Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer por determinação do prefeito Emanuel Pinheiro, gratuitamente e seguem todas as medidas de biossegurança.

“É preciso respeitar as raízes do povo cuiabano, respeitar a fé tão diversa da nossa gente. A gestão Emanuel Pinheiro restaurou o Beco do Candeeiro para ser lugar de encontro, de exaltação da arte, da cultura, das tradições e vamos cada vez mais, promover a paz e união neste lugar tão simbólico da nossa Capital”, disse o prefeito de Cuiabá Emanuel Pinheiro.

Do agogô, instrumento Yoruba que se assemelha a um sino, veio o primeiro som. Daí por diante a cadência foi sendo construída. Das cabaças dos afoxés o som balançava até se fundir com a vibração dos atabaques. O ritmo se encorpava para que a bandeira da Paz dançasse no salão do Museu da Imagem e do Som (MISC). Ainda era só ensaio para o que viria a ser apresentado em instantes na rua 27 de Dezembro.

Às 19h, Ogum Beira Mar inundou o Beco do Candeeiro com seu exército branco. Chegou para abençoar, ocupar espaço de direito, por uma cultura de paz e tolerância. Eram os integrantes da Associação da Lavagem das Escadarias Rosário e São Benedito adentrando a primeira rua iluminada de Cuiabá com seu axé.

Leia Também:  Cuiabá abre 4,2 mil vagas para Educação

“Hoje para nós é um momentos especial, é quando a Prefeitura de Cuiabá nos reconhece como movimento cultural da Capital. Quero agradecer a todos que estão aqui, todos somos Lavagem e todos buscamos um espaço dentro do contexto histórico dessa cidade. Estar dentro do Beco do Candeeiro, um local restaurado para nós povo afro brasileiro é muito importante para nós”, disse Lindsey Catarina, presidente da Associação da Lavagem das Escadarias Rosário e São Benedito.

 Enquanto a Lavagem passava, o coração pulsava no ritmo dos dedos que tocavam o atabaque. O som reverberava nas pedras cangas que pareciam recordar os passos que retornavam para casa. O retorno das raízes afro brasileiras, da capoeira, do siriri e cururu, velhas conhecidas do Beco do Candeeiro.

“Quero dizer que é um prazer e uma emoção muito grande estar perto de um povo de fé. Quem conhece minha família sabe que a minha casa sempre esteve aberta para todos. Eu tenho muito orgulho de estar aqui e peço que me vejam e sintam sempre como uma irmã de vocês. Que Deus e Oxalá abençoem todos nós, muito axé para todo mundo”, disse a secretária Carlina Rabello Leite Jacob, que participou de toda a procissão pelo Beco e também esteve ao lado da presidente da Lavagem, Lindsey Catarina e do padre Hugo no momento simbólico de soltura de uma pomba branca pela paz. O secretário-adjunto de Cultura, Justino Astrevo também esteve presente no local.

Leia Também:  Motorista foge de abordagem e é pego com réplica de pistola dentro de veículo

Dos jarros com flores segurados pelas baianas vieram a água de cheiro que lavou a rua e os que assistiam e participavam do ritual. “Senhora do Rosário foi quem me trouxe aqui. Senhor do Rosário, foi quem me trouxe aqui. A água do mar é santa, eu vi, eu vi, eu vi”, cantava o exército branco, enquanto ramos de flores encharcados atiravam água perfumada e abençoada pelo ar.

“Eu tinha a fama de ser o padre mais macumbeiro da minha cidade, Campo Grande. Estou aqui como Igreja e digo que temos muito a que pedir perdão. Peço perdão a todo povo negro que teve que esconder seus orixás atrás de imagens de santo. Esse é o momento de pedir perdão, momento de que nossos ancestrais nos perdoem. Este momento é de abençoar este lugar que também já foi de sofrimento. Que nossos orixás nos abençoem, abram nossos caminhos e os purifiquem, axé”, disse padre Hugo, que representou a Paróquia Anglicana da Virgem Maria, no bairro Jardim El Dorado durante a benção.

A Associação da Lavagem dedicou o ritual em homenagem ao já falecido maestro Edinaldo Ferreira. No início da celebração foi feito um minuto de silêncio pelo falecimento da jornalista cultural, ex-assessora de imprensa da Prefeitura de Cuiabá, Alessandra Barbosa, falecida na sexta-feira (11).

Toda a programação no Beco do Candeeiro é realizada com entrada franca e limitada a 70 pessoas, respeitando as medidas de biossegurança em decorrência da pandemia da COVID-19.

Continue lendo

PUBLICIDADE

POLÍTICA

ECONOMIA

VARIEDADES

MAIS LIDAS DA SEMANA