Opinião

O uso da fé na cura da dor sentimental

Publicado

na

A palavra trauma vem do grego τραῦμα e  pode ser traduzida como ferida profunda. Sob a ótica psicológica,  pode ser definida como um impacto tão forte, que é capaz de mudar o rumo da vida de uma pessoa.

Os traumas produzidos pela rejeição ou traição na vida sentimental são considerados de alto grau, sendo responsabilizados pelo elevado índice de suicídios, principalmente entre mulheres.

Hoje, nossa sociedade já está buscando meios de ajudar a todas que passaram ou estão vivendo uma dor sentimental, temos psicólogos capacitados para orientar e acompanhar mulheres para que possam superar um trauma, mas por ser um serviço ainda com um custo alto para uma grande maioria das mulheres, algumas acabam buscando também grupos de terapias e rodas de conversas, nas quais compartilham as suas dores com outras  que também vivenciaram a mesma experiência.

Tudo é válido quando se está buscando uma cura, alívio ou sentido na vida para prosseguir adiante e até amar novamente.

Leia Também:  Base de Bolsonaro desarticula e perde pontos de interesse do governo na votação do Fundeb

A Fé é também uma ferramenta poderosíssima utilizada pelas mulheres cristãs, que apresenta um resultado extraordinário.

Já reconhecida pelos médicos e cientistas como uma forma de aliviar dores e restabelecimento mais rápido de pacientes, mesmo alguns em casos terminais, a Fé agora vem mostrando uma alta capacidade de alívio nas áreas das emoções e dos sentimentos.

Quando uma mulher usa a sua fé para gerar esperança em seu coração e cura em suas emoções, ela é capaz de vencer a dor, a rejeição e o abandono e recomeçar  sua vida sem perder a identidade e a autoestima. Outras através da fé conseguem gerar perdão e até mesmo restaurar um relacionamento que estava praticamente perdido.

“Tudo é possível ao que crer”, essas palavras de Jesus continuam ecoando pelos séculos e produzindo resultados maravilhosos.

O altar é um lugar onde as mulheres podem derramar suas lágrimas e entregar suas dores para um Deus que as compreende e as ajuda a se levantarem. Verdadeiramente,  é lugar de refrigério.

A Bíblia é um livro poderoso que traz palavras fortes de ânimo e histórias de mulheres que superaram situações muito difíceis, inspirando e motivando assim as deste século para que elas acreditem que podem ser felizes apesar das frustrações que a vida muitas vezes, produz.

Leia Também:  Assédio sexual infantil pela internet

Fechando essa tríade, nós usamos a oração prática milenar de contato com Deus que comprovadamente produz alívio de ansiedades e angústias para os que a praticam.

Assim uma vida de fé tem mudado a vida de dores de muitas mulheres!

 Neste ano realizaremos a 9ª edição do Congresso da Aliança, no dia 24 de agosto às 13h, na Igreja Batista Nacional do Cristo Rei, em Várzea Grande, um evento voltado somente para mulheres que buscam uma mudança em suas vidas, no ano passado mais de 2 mil fiéis compareceram.

Shirley Varjão é Missionária e líder do Ministério Feminina. @ministeriofeminina   email:svarjao@hotmail.com /www.ministeriofeminina.com.br

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Opinião

Reação da construção civil é real

Publicado

na

Mais uma vez a construção civil resgata a confiança de investidores e de todos os outros setores produtivos deste nosso gigante país ao trazer um clima de prosperidade que se traduz na retomada do crescimento deste segmento. Os motores deste mercado pujante já estavam aquecidos, mesmo diante do período pandêmico, chamando para si mais uma vez a responsabilidade de continuar contribuindo com o fortalecimento da economia brasileira, através de investimentos pesados, projetos ousados e com a geração de emprego e renda. Em Mato Grosso a construção civil orgulhosamente deu a resposta, contribuiu efetivamente para que nosso Estado ficasse com a terceira menor taxa de desemprego do país, ficando atrás apenas dos Estados de Santa Catarina (5,8%) e Rio Grande do Sul (8,8%), conforme dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O percentual de desocupação em Mato Grosso apresentou queda de 9,9% para 9%, entre o primeiro e o segundo trimestre deste ano. Os dados fazem parte da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad). No levantamento feito no mesmo período do ano passado, 10,2% da população mato-grossense estava desempregada. Agora diante dos resultados celebramos com afinco a queda do desemprego, dando sinais de recuperação de uma das maiores crises sanitárias do planeta. O otimismo por aqui não é em vão, afinal a taxa registrada em Mato Grosso está abaixo da média nacional, que é de 14,1%.

Leia Também:  Feliz ano novo, Joana!

Ainda de acordo com o IBGE, estima-se que 1,6 milhão de pessoas em Mato Grosso estavam trabalhando no segundo trimestre deste ano, enquanto o número de desocupados era de 162 mil pessoas. E por que a construção civil exalta esta celebração? A resposta é animadora, claro, que celebraríamos juntamente com qualquer outro segmento, porém segundo o IBGE, a construção civil o foi o único que apresentou aumento no número de trabalhadores contratados, passando de 119 mil, de abril a junho de 2020, para 149 mil, no mesmo período deste ano.

De forma mais ampla, o setor também é expressivo no momento em todo o país, contratando aproximadamente um milhão de trabalhadores, representando 23,5% do total de novos ocupados no país. Os indicadores trazem ainda mais a certeza de que estamos no caminho certo, nosso segmento contribui efetivamente com a roda da economia, fazendo a diferença mais uma vez em um momento que todos nós precisamos exercitar empreendedorismo e força, afinal de contas não geramos empregos para números, mas para homens e mulheres, brasileiros que a cada dia renovam a esperança diante de períodos de transformações.

Leia Também:  Sobre a pandemia de Coronavírus (COVID-19) em Mato Grosso

Omar Maluf, Ceo do Grupo São Benedito

Continue lendo

PUBLICIDADE

POLÍTICA

ECONOMIA

VARIEDADES

MAIS LIDAS DA SEMANA