Destaque

Outono e inverno de 2021: veja quais as apostas para a nova estação

Publicado

na

O outono está chegando. Aos poucos, marcas e lojas fast shop já começam a renovar as peças de seus catálogos. Para saber como compor um  look incrível  na estação mais charmosa do ano, conversamos com especialistas da moda saber o que será  tendência no outono e no inverno de 2021. Confira.

As tendências vão mudar por conta da pandemia, já que a moda também foi afetada pela Covid-19. Segundo Fernanda Graneiro, gerente de imagem e estilo, a tendência por conta da pandemia é o conforto. “A maioria está em casa, mas não é porque estão em casa, que elas não querem deixar de se arrumar”, diz.

Marcela Moura, influenciadora e consultora de imagem relembra que o “homewear” é uma tendência que veio para ficar. O estilo é mais despojado e confortável, ideal para quem quer aproveitar os looks para não desleixar no home office. “Roupas, acessórios e tênis confortáveis que caíram no gosto em 2020 continuarão em alta neste ano. A pandemia segue ditando as regras da moda”, diz.

Apesar da pandemia, a moda irá mudar

Graneiro aponta que algumas tendências perderam força e deram espaço para outras. “Peças prezando o conforto e versatilidade substituíram as de tendências como alfaiataria e manga bufantes, essas continuam, porém, um pouco mais contidas. Mesmo assim, algumas tendências continuam, como tons terrosos por exemplo”, diz.

A moda terá essas mudanças e seguirá com um tom mais suave. “O inverno traz as transparências, um ar romântico e feminino com mangas bufantes e cores como os caramelos, beges e avermelhados desdobrados do verão. As novidades ficam por conta dos tecidos xadrezes, das misturas de estampas e texturas e dos tons de verde escuro e marrom”, diz.

Couro segue em alta

O material pode ser combinado com muitas peças jeans, tecidos de alfaiataria, malha e seda. “Particularmente, acho mais interessante quando misturamos com um material mais fluído ou com algum brilho, traz um ar fashion e novo a esse material”, diz a especialista.

Leia Também:  Empresários brasileiros apostam em alimentos e bebidas saudáveis

“O que muda são as apostas em novas cores e modelagens. É possível usar uma jaqueta de couro com um vestidinho básico ou um jeans em várias ocasiões do dia.”, completa Marcela. Use a criatividade! A peça é muito versátil e rende looks muito estilosos.

Recicle looks do verão

Mesmo nas estações mais frias, ainda podemos aproveitar as temperaturas quentes. Felipe ressalta a facilidade de reciclar e reutilizar as peças de outras estações. Além de completar o seu look, ainda é bom para o seu bolso. “Sobreposição é a solução, usar peças mais leves por baixo de peças mais pesadas e quentes é uma ótima saída! regatas podem ser usadas com um tricô por cima e finalizadas com um casaco mais pesado”, aponta.

Você viu?

Moura diz que mesmo com o outono e inverno, você tem dias mais quentes, que são perfeitos para o uso de peças de verão com acessórios de inverno. “O uso de coletes por cima de camisarias ou de blusas mais quentes também é uma boa pedida para dar um up na produção”, diz.

Como o Brasil é um país tropical, fica fácil aproveitar as peças do verão. “Os vestidos são super versáteis, basta colocar uma meia calça e uma parka e já vira um look de inverno. A mesma dica serve para as saias, uma meia calça e uma bota já transformam o look”, diz Graneiro.

Tons vivos em alta

As cores Pantone deste ano são o amarelo e o cinza. Para compor looks usando essas cores a dica é usar um item em amarelo e cortar com o tom mais sóbrio do cinza. O preto, clássico da estação, pode ser combinado com essas e outras cores vivas. “Cores sóbrias como os tons de verde, marrom, azul escuro e o cinza, contrastadas com tons vivos e vibrantes como o laranja, roxo magenta, vermelho e amarelo funcionam muito bem”, diz.

Leia Também:  Projeto de lei busca combater fraudes promocionais na Black Frida

Além das cores vivas, Fernanda indica tons claras e sóbrias. “Esse ano temos o lavanda, super presente no inverno, assim como o verde militar e o rosa, que vai ganhar muito espaço na nossa nova coleção. Porém, sempre mantendo tons mais fechados que são base nas coleções de inverno”, indica.

Floral e xadrez sempre na moda

Neste ano, a tendência é utilizar estas estampas sem medo. “O xadrez está muito presente, aparecendo tanto em casacos como em camisas, calças e saias. Os florais meio anos 70, com flores. Além disso, estampas de animais, onças, zebras, cobras também aparecem como tendência, assim como as estampas étnicas e folk”.

Moura também indica o “tweed”, um tecido estruturado e quentinho com estampas atemporais. “Ainda, uma aposta que temos visto nas passarelas são as estampas autorais, assinadas por grandes marcas”, diz.

Acessórios da vez

Fundamentais para qualquer look, os acessórios no inverno são diferentes. “Com certeza um dos principais acessórios que não podem faltar na coleção Outono/Inverno são cachecóis, lenços, pashiminas e xales. Além de aquecer, eles dão charme e elegância ao look. Essas são sempre boas apostas para diversificar os looks”, diz Marcela.

Uma tendência que voltou e permanece são as pochetes. “Elas aparecem com um cinto duplo, mais discreto e estilizado, para incrementar a produção. As botas também são peças chaves na estação e, seguindo a tendência atual do “homewear”, estarão mais confortáveis”, afirma Moura.

“Escolha acessórios que complementam o seu look de acordo com seu estilo”, diz Fernanda. Correntes, bolsas coloridas, colares, pulseiras com contas, maxi miçangas coloridas e com emojis também são as promessas da estação e vão garantir mais estilo e diversão no seu look.

Fonte: IG Mulher

 

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Destaque

Governo envia para a Assembleia projeto que prevê multa a empresas e cidadãos que desrespeitaram restrições

Publicado

na

O Governo de Mato Grosso encaminhou projeto de lei que prevê multa para as pessoas e empresas que desrespeitarem as novas medidas restritivas contra o avanço da covid-19.

A proposição foi enviada nesta segunda-feira (01.03) para a Assembleia Legislativa, em regime de urgência, com o objetivo de “conter o aumento exponencial da contaminação causada pelo novo coronavírus, bem como evitar que o sistema de saúde estadual entre em colapso”.

De acordo com o projeto, a multa para as pessoas físicas que descumprirem as normas será de R$ 500. Já as empresas e/ou órgãos públicos que cometerem as infrações terão que pagar R$ 10 mil.

As penalidades serão aplicadas para as pessoas físicas e jurídicas que:

1 – Descumprirem a obrigação de uso de máscara facial em espaços abertos ao público ou de uso coletivo;

2 – Deixarem de realizar o controle do uso de máscaras faciais de todas as pessoas presentes no estabelecimento, sejam elas funcionários ou clientes;

3 – Participar e/ou promover atividades, reuniões ou eventos que geram aglomeração de pessoas, em descumprimento a normas editadas pela autoridade municipal, estadual e/ou federal;

4 – Descumprir a restrição de horários para circulação, conforme estabelecido em normas editadas pela autoridade municipal, estadual e/ou federal;

Leia Também:  Médicos relatam falta de medicamento para pacientes de UTI

5 – Desrespeitar ou desacatar a autoridade administrativa, bem como obstruir ou dificultar sua ação fiscalizadora quando no exercício das atribuições previstas nesta Lei;

6 – Deixar de promover ações fiscalizatórias necessárias ao cumprimento desta Lei, quando se tratar de agente político ou de funcionário público com dever legal de determinar o cumprimento das medidas sanitárias fixadas nesta norma;

7 – Cometerem outras ações consideradas lesivas ao enfrentamento da emergência de saúde pública decorrente do novo Coronavírus.

As multas

As infrações poderão ser registradas pelo Procon estadual e municipal; pelos órgãos de vigilância sanitária estadual e municipal; Polícia Militar, Polícia Civil, Corpo de Bombeiros e outros órgãos municipais com poder fiscalizatório.

A pessoa ou empresa multada poderá recorrer em até 15 dias após a assinatura do auto de infração.

Além da multa, os infratores também poderão ser investigados pelos crimes de infração de medida sanitária preventiva e desobediência, previstos no Código Penal.

Os recursos arrecadados com eventuais multas serão destinados à compra de cestas básicas a serem distribuídas no município onde ocorreu a autuação.

Confira as novas medidas restritivas que passam a valer a partir de quarta-feira (03.03):

Leia Também:  Novos negócios encaram o desafio de sobreviver à crise

– De segunda à sexta, proibição de todas as atividades econômicas das 19h às 5h. Aos sábados e domingos, a proibição será após o meio-dia. A exceção fica por conta das farmácias, serviços de saúde, funerárias, postos de gasolina (exceto conveniências), indústrias, transporte de alimentos e grãos, e serviços de manutenção de atividades essenciais, como água, energia e telefone.

– Nos horários permitidos, as atividades econômicas deverão respeitar as medidas de segurança, como o uso de máscara, distanciamento e limitação de 50% da capacidade máxima do local.

– Eventos podem ocorrer dentro do horário permitido, respeitado o limite 30% da capacidade do local, e número máximo de 50 pessoas.

– Os serviços de entrega por delivery seguem autorizados até às 23h.

– O transporte coletivo e congêneres (Uber, 99, etc) podem funcionar normalmente.

– Toque de recolher a partir das 21h até às 5h, com proibição de circulação.

– Nos órgãos públicos estaduais, fica suspenso o atendimento presencial em todas as secretarias e órgãos do governo, com exceção das unidades finalísticas. Quanto a jornada de trabalho, cada secretaria/autarquia vai disciplinar medidas para redução do fluxo de pessoas.

Continue lendo

PUBLICIDADE

POLÍTICA

ECONOMIA

VARIEDADES

MAIS LIDAS DA SEMANA