Destaque

Trotes aos números de emergência tiveram redução de 40% em 2020

Publicado

na

O Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (Ciosp) recebeu 660.565 chamadas telefônicas aos números de emergência no período de janeiro a dezembro de 2020. Deste total, 41.389 registros foram trotes. Os dados demonstram que do total de ligações, 6% são chamadas falsas. O Ciosp é uma unidade da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp-MT).

Apesar do número de trotes, os 12 meses de 2020 registraram redução de 40%, se comparado com o mesmo período de 2019, quando o Ciosp recebeu pouco mais de 692 mil ligações e mais de 68 mil foram trotes.

As chamadas falsas ainda ocupam uma considerável parcela dos atendimentos do Ciosp. De uma média de 1.809 ligações recebidas diariamente, 113 chamadas correspondem a trotes, o que significa dizer que uma linha que poderia ser ocupada por uma situação de emergência está sendo utilizada para uma brincadeira com severas consequências.

Os trotes são considerados crime previsto no artigo 340 do Código Penal, passível de detenção de seis meses ou multa. No entanto, as consequências são maiores ainda se levar em consideração os prejuízos causados aos usuários que realmente estão passando por uma situação de emergência, além de gerar prejuízos econômicos aos cofres públicos.

Leia Também:  Agora é lei: idosos que utilizam o transporte público em Cuiabá são beneficiados

É o caso dos registros de trotes com deslocamento de viaturas, que somaram 563 casos em 2020. De acordo com o secretário adjunto de Integração Operacional da Secretaria de Estado de Segurança Pública, coronel PM Victor Fortes, é necessário que as pessoas tenham consciência que essa “brincadeira de mau gosto” pode acarretar em prejuízos para a vida de terceiros.

“Toda a vez que há um trote em que há o deslocamento de viaturas para este atendimento, temos menos uma viatura que podia estar em outra região salvando uma vida, evitando um crime de roubo, furto ou mesmo fazendo uma ação preventiva de policiamento. Além disso, a pessoa que comete o trote ocupa um canal de ligação que poderia ser utilizado por um cidadão que precisa realmente das forças de segurança”, disse Fortes.

Ainda de acordo com o secretário adjunto, a redução nos índices de trotes aos números de emergência são fruto das campanhas realizadas pela Segurança Pública. Quando o cidadão liga em algum número de emergência ligado ao Ciosp, uma mensagem alerta sobre a prática criminosa de trotes.

Leia Também:  Grupo de amigos realiza ações para ajudar animais prejudicados pelo incêndio

“Com o sistema de bina e outras tecnologias que o Ciosp possui auxiliam na identificação das chamadas consideradas trotes, evitando o deslocamento de viaturas, bem como na identificação dos infratores que cometem este tipo de prática”, finalizou Fortes.

Outras ocorrências

O Ciosp é responsável por receber chamadas dos números de emergência da Polícia Militar (190), Corpo de Bombeiros (193), Secretaria de Mobilidade Urbana (118), Defesa Civil (199), Guarda Municipal (153) e Polícia Rodoviária Federal nos municípios de Cuiabá e Várzea Grande. Além dos números de denúncia da Polícia Judiciária Civil (197), Disque Denúncia Nacional (181).

É por meio do Ciosp que é feita o envio de pessoal e viaturas em atendimento às ocorrências, além do videomonitoramento das duas cidades. As ocorrências com despacho de viaturas chegaram 151.479, número maior do que em 2019, quando 145.433 ocorrências receberam o apoio de viaturas.

Já o maior registro foi o de ocorrências emergenciais, com 203.017 ligações. As denúncias somaram 7.963 registros. Entre as ligações recebidas pelo Ciosp, grande parte dos registros foram por perturbação do sossego público, aglomeração, lesão corporal, incêndios e ameaças.

Julia Oviedo | Sesp-MT

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Destaque

Estado economiza R$ 17 mi e fortalece forças de segurança com entrega de viaturas

Publicado

na

O Governo de Mato Grosso, por meio da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp-MT), entregou nesta sexta-feira (22.01) 250 viaturas aos chefes das forças de segurança que atuam no estado. A economia com o novo contrato de 30 meses é de mais de R$ 17 milhões aos cofres públicos.

Inclusive essa diferença nos valores contratuais foi pontuada pelo governador Mauro Mendes, que lembrou que o valor pago por viaturas no contrato anterior era de R$ 6.800 mil por veículo. Já com o novo contrato, este valor é de pouco mais de R$ 3.600 mil por caminhonete.

“Não tem mágica, tem trabalho sério. Tem um Estado que paga seus fornecedores em dia. O fornecedor sabe que entrará em uma licitação do Estado e receberá em dia. Tudo isso é trabalho sério e todo esse trabalho significa economia aos cofres públicos. Ganha o servidor, ganha o cidadão, ganha o Estado”, pontuou o governador.

Em seu discurso, o secretário Alexandre Bustamante relembrou a situação do Estado nos primeiros dias da atual gestão. Diferente das atuais viaturas, mais modernas, com condições de operacionalização e com economia, naquele momento a situação era a de centenas de viaturas paradas por falta de pagamento.

Leia Também:  Programa vai atender ano que vem, 800 alunos da rede pública municipal de Cuiabá, o dobro de 2018

Já os restos a pagar do ano de 2018 chegavam a R$ 600 milhões. No ano seguinte, essa dívida caiu pela metade, somando R$ 300 milhões. Com a consolidação dos dados de 2020, Bustamante disse que a dívida não só diminuiu para R$ 134 milhões, mas não gera prejuízo dos serviços prestados.

“Em 2019 preparamos a terra. Em 2020 plantamos as sementes. E a partir de agora a sociedade vai colher cada vez mais um serviço público de qualidade. Mais uma vez o tempo e a sociedade são testemunhas de que a competência e a seriedade na gestão quando andam juntas, são capazes de transformar uma sociedade”, finalizou Bustamante.

A entrega das viaturas faz parte do programa Mais MT, que prevê investimentos na ordem de mais de R$ 700 milhões somente na Segurança Pública. Estes investimentos serão direcionados não só para melhorias nas condições de serviço aos servidores da segurança, como também no uso de novas tecnologias, na aquisição de equipamentos de ponta, construção de novas unidades das forças de segurança, entre outros.

Três décadas

Trinta anos foi o tempo que o Sistema Socioeducativo levou para ser contemplado com uma caminhonete a diesel. Há alguns anos, relembrou a secretária adjunta de Justiça, Lenice Barbosa, o transporte de jovens em conflito com a lei era feito com a utilização de kombis.

Leia Também:  Policiais e profissionais da saúde de MT podem usar carros apreendidos

“Mato Grosso é um estado de uma extensão muito grande e nós só temos unidades socioeducativas nas regiões polo. Quando você recebe uma caminhonete a diesel para fazer este trabalho com os adolescentes que cometeram algum ato infracional é de um ganho muito grande para nós. O governador Mauro Mendes e sensibilizou com a realidade do socioeducativo e a cada tempo só temos a ganhar”, disse Lenice.

Ao todo, o Sistema Socioeducativo receberá cinco caminhonetes. Já a Polícia Militar, 109; a Polícia Judiciária Civil, 102; a Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec), 17; Grupo Especial de Segurança na Fronteira (Gefron), 12 e Corpo de Bombeiros Militar (CBM), cinco viaturas.

Participaram do evento o presidente da Asssembleia Legislativa, Eduardo Botelho, os deputados estaduais, Wilson Santos, Delegado Claudiney, Silvio Fávero, Xuxu Dalmolin. Além dos secretários da Casa Civil, Mauro Carvalho; de Cultura, Esporte e Lazer, Alberto Machado, de Desenvolvimento Econômico, César Miranda e o secretário-chefe do Gabinete de Governo, tenente-coronel PM Jordan Espíndola.

Continue lendo

PUBLICIDADE

POLÍTICA

ECONOMIA

VARIEDADES

MAIS LIDAS DA SEMANA