Política

Parceria entre Incra e municípios de MT facilitará a titulação e regularização fundiária

Publicado

na

O deputado estadual Delegado Claudinei (PSL) se reuniu com o superintendente do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária de Mato Grosso (Incra), Marcos Vieira da Cunha, nesta quarta-feira (9), para verificar a situação da regularização fundiária dos assentamentos rurais de Campo Verde (MT). Também marcaram presença o prefeito e vereador eleitos pelo município, respectivamente, Alexandre Lopes de Oliveira (PDT) e Valerindo Martins Sampaio, conhecido por Sargento Sampaio (PSL).

De acordo com Alexandre, em sua gestão municipal existe a pretensão de implantar um departamento para tratar sobre a regularização fundiária, já que há grandes impasses nos assentamentos rurais. Ele informou que existem no município sete assentamentos, como, por exemplo, Dom Osório, Paulo Freire e Santo Antônio da Fartura. “Primeiro assentamento que surgiu na redondeza ainda continua com problema, até hoje não resolveu”, explica.

Portaria

 Há exatamente uma semana, Marcos assumiu o cargo na superintendência do Incra e expôs aos presentes que uma das grandes missões será resolver a questão dos títulos das propriedades. Mas adiantou sobre a publicação da Portaria Conjunta nº 1, de 2 de dezembro de 2020,  do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), que institui o Programa Titula Brasil, que dispõe sobre os seus objetivos e a forma de implementação.

“Essa é uma portaria conjunta, justamente para fazer o Termo de Cooperação Técnica com as prefeituras municipais, para que elas possam treinar o pessoal lá dentro da prefeitura. No prazo de cerca de 60 dias, vai sair essa normativa através de um edital que será lançado pelo governo federal”, comenta Cunha.

Metodologia

 De acordo com Luiz Antonio Nabban Garcia, que é secretário Especial de Assuntos Fundiários do Mapa, essa portaria vai trazer uma viabilidade extremamente positiva, no sentido de regularização fundiária e que estabelecerá a parceria entre o Incra e todas as prefeituras do Brasil. “Ministério da Agricultura, Incra e a Secretaria de portas abertas para essa parceria produtiva para fazermos efetivamente uma regularização fundiária”, anuncia.  

“Agora é operacionalizar, na verdade, vamos fazer um edital de chamamento público, quem quiser trabalhar juntamente com o Incra e facilitar a vida do seu produtor rural que precisa regularizar vai trabalhar junto com a gente, disponibilizando equipe técnica. O Incra vai credenciar este pessoal, treinar, e fazer com que o processo fique ainda mais simples para todo mundo”, declara o presidente nacional do Incra, Geraldo Melo Junior.

Como o prazo de quase dois meses, Cunha explicou para o prefeito eleito de Campo Verde que se ele firmar o Termo de Cooperação Técnica, o Incra vai até município e disponibilizará o sistema e a capacitação aos profissionais que serão certificados pela instituição.

Expectativa – Com a efetivação do Programa Titula Brasil, os municípios terão a oportunidade de aumentar a capacidade operacional dos procedimentos de titulação e regularização fundiária das áreas rurais do Incra. A execução será feita diretamente pelo Núcleo Municipal de Regularização Fundiária (NMRF) por meio da disponibilização de equipe técnica pelo município.

Fonte: ALMT

Leia Também:  Obras estaduais empregam mais de 700 pessoas entre reformas e construções

Política

Peixoto de Azevedo terá uma nova escola no bairro Nova Esperança

Publicado

na

A Secretaria de Estado de Educação de Mato Grosso (Seduc) e a prefeitura de Peixoto de Azevedo (MT), na manhã de terça-feira (19), às 9h, no Palácio Paiaguás, firmam convênio para a construção da nova sede da Escola Estadual Luciene Cardoso de Oliveira, em Peixoto de Azevedo. Essa demanda atende a Indicação nº 4.800/2020, do deputado estadual Delegado Claudinei (PSL), com previsão de investimentos do governo estadual de cerca de R$ 4 milhões.

Essa unidade escolar foi demolida há aproximadamente três anos, devido às condições precárias e insalubres na estrutura física. De acordo com a moradora e presidente da Associação dos Conselhos Comunitário de Segurança Pública (Aconseg), Fátima Martins Guerrero, que levou a demanda ao parlamentar, a escola tinha uma quadra e um espaço enorme, mas foi preciso uma mobilização social junto aos promotores, representantes políticos, presidentes de bairro e a sociedade civil organizada para mostrar que o local não era seguro para a permanência de educadores e alunos.

“Fizemos tantas reivindicações que até demoliram a escola antiga. Há três anos, as crianças estão saindo de um bairro para ir para outro estudar, em um local provisório que, na verdade, era um abrigo indígena, uma casa de passagem. A criança anda bastante. Concretizando essa nova escola, vou ficar muito feliz”, comenta Fátima, que já mora há 13 anos no município.

Leia Também:  Municípios recebem repasse de ICMS da terceira semana de setembro

Estrutura – A nova estrutura contará com 10 salas de aula e uma quadra poliesportiva, localizada no bairro Nova Esperança. “Essa é uma boa notícia que recebemos essa manhã. Este é o um anseio dos moradores de Peixoto de Azevedo, que aguardam há alguns anos para a concretização da escola após ter sido demolida. Precisamos ter um espaço adequado para os professores e alunos para que seja produtivo o ensino e a aprendizagem”, comenta Claudinei.

O município de Peixoto de Azevedo fica a uma distância de cerca de 672 km, com uma população estimada de aproximadamente 33 mil, conforme dados levantados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística de 2015.

Continue lendo

PUBLICIDADE

POLÍTICA

ECONOMIA

VARIEDADES

MAIS LIDAS DA SEMANA