Destaque

Ministério da Saúde investiga exposição indevida de dados de mais de 200 milhões de brasileiros

Publicado

na

O Ministério da Saúde informou que está investigando a exposição indevida de dados pessoais de mais de 200 milhões de brasileiros, por pelo menos seis meses, após uma possível falha no sistema de notificações da Covid-19. A pasta disse que o problema já foi corrigido.

A falha permitiu que informações pessoais, como nome, endereço, telefone e CPF, de todas as pessoas cadastradas no SUS (Sistema Único de Saúde) ou que tenham aderido a um plano de saúde ficassem livres para consultas, de acordo com reportagem do jornal O Estado de S. Paulo.

A exposição indevida teria atingido até mesmo autoridades da República, como o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP).

O jornal afirma que o problema foi causado pela exposição indevida de login e senha de acesso ao sistema que armazena os dados cadastrais dos brasileiros no Ministério da Saúde, pasta comandada por Eduardo Pazuello.

Por meio de nota, o Ministério da Saúde afirmou que possui protocolos de segurança e proteção de dados, que são constantemente avaliados e aprimorados a fim de mitigar exposições.

“Os incidentes reportados estão sendo investigados para apurar a responsabilidade da exposição da base cadastral do MS [Ministério da Saúde]”, afirma o texto.

“Vale lembrar que o conteúdo ofensivo identificado já foi corrigido. Ações de segurança estão sendo tomadas para impedir novos incidentes, assim como ações administrativas para apurar o ocorrido, completa o texto.”
*
Falhas de segurança

Em novembro deste ano, o Ministério da Saúde confirmou que havia indícios de ataque cibernético ao seu sistema, a exemplo do que ocorreu no STJ (Superior Tribunal de Justiça). O ataque teria causado falhas no sistema de acompanhamento dos casos da Covid-19.

Desde o início do mês, quando o ataque no STJ veio à tona, havia relatos de possível ataque também no Ministério da Saúde. A pasta, no entanto, só confirmou o caso oficialmente no dia 13.

O governo Jair Bolsonaro afirmou na época que todos os sistemas haviam sido restabelecidos, mas que ainda poderia haver intermitência, já que o departamento de informática do SUS (Sistema Único de Saúde) continua trabalhando nos dispositivos de segurança.

Da Folhapress – São Paulo

Leia Também:  MAIS UMA VEZ: Fiscalização barra atuação irregular de comércio ambulante em Cuiabá

Destaque

Governador e secretário de Saúde participam de ato de recebimento das vacinas do Ministério da Saúde

Publicado

na

A | A

O Governador Mauro Mendes e o secretário de Estado de Saúde, Gilberto Figueiredo, participam nesta segunda-feira (18.01) do ato simbólico de recebimento das vacinas contra a Covid-19, realizado pelo Ministério da Saúde.

O ato está marcado para as 7 horas (horário de Brasília), em Guarulhos, no Estado de São Paulo. Na ocasião, o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, deverá anunciar quando as vacinas contra a Covid-19 serão enviadas aos Estados para dar início à imunização da população.

Plano Estadual

O Governo de Mato Grosso, por meio da Secretaria Estadual da Saúde (SES-MT), trabalha em uma força tarefa para que a vacina contra a Covid-19 chegue aos municípios o mais rápido possível. A ação faz parte do Plano Estadual de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19 em Mato Grosso e prevê, caso necessário, o apoio de seis aeronaves do Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer).

Com o objetivo de promover a adequada logística da vacina, com segurança, efetividade e equidade, a SES vai ampliar a Rede de Frio Estadual e já viabiliza uma Central Estadual e mais quatro Centrais Regionais (Barra do Garças, Cáceres, Rondonópolis e Sinop), assim como a aquisição de equipamentos de refrigeração e frota adequada para distribuição terrestre. O investimento estimado é de R$ 2,2 milhões.

Leia Também:  MT tem 613 novos casos e 12 mortes pelo coronavírus em 24 horas

A escolta dos materiais até os 14 polos de distribuição será feita pela Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp), além das Polícias Federal e Rodoviária Federal e o Ministério da Defesa. Nos casos em que for necessário, o Ciopaer disponibilizará sua frota aérea para dar celeridade à distribuição.

Nos próximos dias, os 141 municípios de Mato Grosso começam a receber as agulhas e seringas que já se encontram em estoque e que serão utilizadas no plano de vacinação contra a Covid-19. A SES também providenciou a aquisição suplementar de 6,5 mil seringas para o enfrentamento de vacinação, com investimento na ordem de R$ 2,8 milhões.

Continue lendo

PUBLICIDADE

POLÍTICA

ECONOMIA

VARIEDADES

MAIS LIDAS DA SEMANA