Cotidiano

Em meio à pandemia, índice de isolamento social cai a 37% em MT

Publicado

na

Enquanto a Europa lida com a segunda onda da Covid-19, o brasileiro vive um clima de “acabou a pandemia”.

Em Mato Grosso, não tem sido diferente e os registros de aglomerações em eventos sociais e familiares têm sido frequentes, além da reabertura das atividades comerciais e industriais.

Contudo, o isolamento social voltou ao debate uma vez que alguns estados, como o Rio de Janeiro, Amapá e São Paulo, apresentam crescimento da média móvel de casos e de mortes pelo novo coronavírus.

No Estado, está em queda o número de óbitos, mas o índice do distanciamento está em 37,2%, segundo levantamento da empresa de softwares InLoco.

O valor está abaixo do verificado no dia 23 de março (52,4%), quando foram estabelecidas as primeiras medidas restritivas em Cuiabá, capital mato-grossense. Também bem inferior ao considerado ideal (70%).

No Centro-Oeste, Mato Grosso mantém o mesmo percentual do vizinho Mato Grosso do Sul e índice melhor que o verificado em Goiás (35,5%) e abaixo do Distrito Federal (40%).

A InLoco atua no setor de segurança da informação, é referência nacional em tecnologias de geolocalização e colocou sua tecnologia à disposição das autoridades públicas no combate ao vírus.

O distanciamento social é apontado como uma das medidas mais importantes e eficazes para reduzir o avanço da pandemia da Covid-19, que ainda não acabou.

Nesta semana, inclusive, um grupo de pesquisadores brasileiros alertou para o que eles identificaram como o começo da segunda onda da pandemia no país.

De acordo com informações do Jornal Nacional, o estudo traz a assinatura de seis especialistas, de cinco universidades e institutos de pesquisas do país.

O estudo afirma que “a situação no Brasil se deteriorou fortemente nas últimas duas semanas, e o início de uma segunda onda de crescimento de casos já é evidente em quase todos os estados, de forma particularmente preocupante nas regiões mais populosas do país”.

DADOS – Mato Grosso registrou dez mortes causadas pelo coronavírus, nas últimas 24 horas.

Nesse mesmo período, foram notificadas 725 novas confirmações de casos da doença no Estado.

A Secretaria de Estado de Saúde notificou, até a tarde desta terça-feira (24), 156.177 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso.

Dentre os dez municípios com maior número de casos de Covid-19 estão: Cuiabá (34.039), Rondonópolis (11.602), Várzea Grande (10.996), Sinop (8.212), Sorriso (6.680), Lucas do Rio Verde (6.117), Tangará da Serra (6.020), Primavera do Leste (5.232), Cáceres (3.614) e Nova Mutum (3.282).

Até agora, no total, são 4.107 óbitos em decorrência do coronavírus no Estado.

Além disso, o panorama da situação epidemiológica mostra que os 141 municípios mato-grossenses configuram na classificação de baixo risco de infecção pelo vírus. Esse status já se mantém por 21 dias.

Em 2 de novembro, Ribeirãozinho (627 km ao Sul de Cuiabá) foi a última cidade classificada com risco “moderado”.

Desde então, nenhuma cidade de Mato Grosso foi classificada com risco muito alto ou com indicação de alerta máximo de contaminação e também nenhuma teve a indicação de alerta moderado.

Conforme a definição dos riscos é necessária a adoção de medidas restritivas para o controle da propagação do coronavírus nas cidades.

Esses indicadores de risco são atualizados duas vezes por semana pela Ses-MT.

 

Leia Também:  IBGE: desemprego na pandemia atinge maior patamar em agosto

Por Joanice de Deus

Fonte: Diário de Cuiabá

Cotidiano

Governo assina convênios para pacote de obras em escolas, aquisição de micro-ônibus e equipamentos

Publicado

na

O Governo de Mato Grosso, por meio da secretaria de Estado de Educação (Seduc-MT), firmará, na próxima terça-feira (19.01), mais de 50 convênios com 26 municípios, para a construção de novas escolas estaduais e de quadras poliesportivas, ampliação de unidades, além da aquisição de micro-ônibus, mobiliários e equipamentos.

Os convênios ultrapassam os R$ 40 milhões e fazem parte do pacote de investimentos do programa Mais MT. O evento será realizado no Palácio Paiaguás, às 9h.

Dentro do pacote está a construção de três novas escolas em Peixoto de Azevedo, Primavera do Leste e Querência.

Em Peixoto de Azevedo o convênio firmado direto com a prefeitura prevê um investimento do governo de R$ 3.995.000,00 e R$ 5.000,00 de contrapartida do município.

O projeto é de construção da Escola Estadual Luciene Cardos de Oliveira, com 10 salas de aula e uma quadra poliesportiva. O terreno fica no Loteamento Nova Esperança, nas ruas Manaus e Parnaíva.

Em Primavera do Leste, a nova unidade terá 16 salas de aula e quadra poliesportiva. Será construída no bairro Jardim Luciana. A prefeitura destaca que o bairro tem apresentado um grande crescimento populacional e precisa de infraestrutura para atender os moradores de toda a redondeza.

Leia Também:  Proposta prevê desconto nas contas de luz enquanto durar a pandemia

O investimento do governo do Estado será de R$ 7.495.000,00 e a contrapartida da prefeitura de R$ 5.000,00.

Em Querência, será construído o novo prédio da Escola Estadual Indígena Central Kisedje, com oito salas de aula. A escola atende alunos dos Anos Iniciais e Finais do Ensino Fundamental e do Ensino Médio. Neste prédio, o investimento do Estado será de R$ 1.995.000,00 com contrapartida de R$ 5.000,00 do município.

Ampliações e quadras

Os convênios também são para ampliações em oito escolas estaduais, localizadas em Campo Novo do Parecis, Nova Canaã do Norte, Sapezal e Sorriso. Cada unidade terá mais oito salas de aula, uma média de 240 novas vagas. As obras estão previstas para iniciar ainda no primeiro semestre.

Vinte e duas escolas vão ganhar uma nova quadra poliesportiva, possibilitando aos estudantes um espaço adequado para a prática de esportes. As quadras serão construídas em escolas de Campo Novo do Parecis, Figueirópolis D’Oeste, Juscimeira, Nortelândia, Nova Lacerda, Peixoto de Azevedo, Porto Alegre do Norte, Primavera do Leste, Querência, Santa Rita do Trivelato e Sorriso.

Leia Também:  “Vamos revolucionar MT com casas populares e muitas ações de impacto no social”, destacou a primeira-dama

Em Campo Novo do Parecis, a obra de ampliação será na Escola Estadual Jardim do Ipês, no bairro com o mesmo nome. Além de um novo bloco escolar com oito salas de aula, serão construídos novos banheiros na unidade e uma quadra poliesportiva. O convênio assinado com a prefeitura totaliza R$ 1.500.000,00, sendo R$ 1.495.000,00 de investimentos do governo e R$ 5.000,00 de contrapartida do município.

Também em Campo Novo do Parecis, a Escola Estadual Marechal Cândido Rondon vai ganhar uma nova quadra poliesportiva (R$ 695.000,00 de investimentos do Estado e R$ 5.000,00 de contrapartida do município).

Em Itanhangá, a Escola Joaquim Barbosa vai ganhar mais oito salas de aula e também uma quadra poliesportiva. O projeto também prevê a instalação de posto de transformação para que a unidade possa receber climatização.

Continue lendo

PUBLICIDADE

POLÍTICA

ECONOMIA

VARIEDADES

MAIS LIDAS DA SEMANA