Destaque

Educação: foco é a recuperação da aprendizagem em 2021

Publicado

na

Com as aulas presenciais suspensas desde março passado, as 759 escolas da rede estadual de ensino precisaram reorganizar o calendário escolar de 2020.

Essa reestruturação prevê que o quarto bimestre deste ano será concluído somente em 2021.

Assim, haverá um biênio com um ano contínuo. E, a garantia das autoridades públicas ligada a área da educação estadual é do emprego de recursos pedagógicos e estratégias para assegurar a aprendizagem dos estudantes.

Nos dois anos, serão oito bimestres. As normas foram publicadas no último dia 10, no Diário Oficial do Estado (DOE).

A portaria 603/2020 prevê o encerramento das atividades educacionais de 2020 em 18 de dezembro e continuidade do ano letivo de 2020/2021 no dia 1º de fevereiro de 2021, já com as aulas presenciais, com revezamento.

De acordo com a secretária adjunta de Gestão Educacional, Irene de Souza Costa, um dos pontos para os dois anos contínuos será trabalhar a recuperação da aprendizagem.

“Vamos trabalhar de forma que as dificuldades diagnosticadas em 2020, serão o foco para a recuperação do aprendizado”, informou.

As aulas serão de segunda a sexta-feira. Haverá uma carga horária maior com atividades orientadas. Em casa, os alunos terão tarefas para o aprofundamento da aprendizagem.

“Estamos trabalhando com a nossa rede para que tenhamos todos os protocolos de biossegurança dentro das escolas. O planejamento prevê medidas para voltarmos com às aulas com segurança e se, em um segundo momento, o quadro da pandemia se alterar, vamos sempre reavaliar para manter a segurança dos nossos alunos, professores e toda a comunidade escolar”, disse recentemente o secretário de Estado de Educação, Alan Porto.

Neste sentido, a promessa é de que haverá um termômetro para aferir a temperatura de todos, se o estudante aparecer sem máscara, ele receberá uma da equipe da escola, além da disponibilização de álcool em gel e reforço na higienização das salas de aula.

Outro ponto importante é a previsão do revezamento para diminuir pela metade a lotação das salas de aula.

O retorno das atividades presenciais foi votado no Conselho Estadual de Educação (CEE-MT) e homologado pelo Ministério da Educação (Mec), que reiterou que o Estado possui esta prerrogativa de implantar o ano contínuo em situações excepcionais como esta.

A expectativa é de que seja realizada uma grande campanha educativa para estimular uma acolhida aos estudantes e fortalecer os protocolos de distanciamento.

A Seduc anuncia ainda a aquisição de novos materiais didáticos para fortalecer e elevar o nível de aprendizagem dos jovens.

Além do material didático de ponta, os alunos deverão contar como os “chromebooks”, computador portátil específico para a educação, e os professores deverão ter notebooks à disposição.

O processo licitatório para a aquisição das ferramentas tecnológicas já está em andamento. Outro investimento é a formação continuada dos professores.

Por Joanice de Deus

Fonte: Diário de Cuiabá

Leia Também:  Brasil tem três casos suspeitos de coronavírus, diz ministro

Cotidiano

SES promove capacitação para detecção precoce de casos de dengue, chikungunya e zika

Publicado

na

A Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT), por meio da Superintendência de Vigilância em Saúde, realizará, entre a próxima quarta e sexta-feira (02 e 04.12), das 14h às 16h, capacitação de atualização para os profissionais da saúde pública e privada de Mato Grosso. A proposta do curso é qualificar as equipes para a detecção precoce dos casos de dengue, zika e febre de Chikungunya visando o atendimento oportuno, tratamento adequado e reabilitação dos pacientes.

“Manejo Clínico para Arboviroses Urbanas (Dengue, Chikungunya e Zika) em tempos de Covid-19”

Foto por: ESP-SES-MT

A atualização, intitulada “Manejo Clínico para Arboviroses Urbanas (Dengue, Chikungunya e Zika) em tempos de Covid-19”, acontecerá via web e será transmitida pela Escola de Saúde Pública por meio do canal no Youtube neste link.

A programação será transmitida para três turmas distintas, distribuídas por grupos das macrorregiões de saúde. Os municípios das regiões Leste e Norte serão capacitados na quarta-feira (02); na quinta-feira (03) será a vez das regiões Centro Norte e Centro Noroeste receberem a qualificação e na sexta-feira (04) os profissionais das regiões Oeste e Sul  encerram o ciclo de web atualização.

A diretora da Escola de Saúde Pública, Silvia Tomaz, explica que os profissionais de saúde terão a oportunidade de atualizar conhecimento sobre o tema, com o foco voltado para o diagnóstico e o tratamento dessas doenças que são endêmicas no Estado, melhorando ainda mais a assistência prestada à população. 

“A atividade contará com importante contribuição do médico infectologista Dalcy de Oliveira Albuquerque Filho, graduado em medicina pela UFRJ [Universidade Federal do Rio de Janeiro] e servidor aposentado da Secretaria de Estado de Saúde do Distrito Federal, com especialização em Medicina Tropical e MBA em Gestão de Saúde de Controle de Infecção e referência de arboviroses urbanas para o estado de Mato Grosso”, destacou a diretora da Escola.

As apresentações e outros materiais técnicos e legais disponíveis, bem como a emissão de declarações de participação serão disponibilizados aos participantes que se cadastrarem antecipadamente na Plataforma AVA/Moodle da Escola de Saúde Pública neste link.

Serviço

A capacitação sobre “Manejo Clínico para Arboviroses Urbanas (Dengue, Chikungunya e Zika) em tempos de Covid-19” acontecerá entre quarta e sexta-feira (02 e 04.12), das 14h às 16h, por meio do canal no Youtube da Escola de Saúde Pública. A inscrição da atividade por ser feita neste link.

Fonte: GOV MT

Leia Também:  Mendes afirma que R$ 550 milhões será destinado para Educação em 2021
Continue lendo

PUBLICIDADE

POLÍTICA

ECONOMIA

VARIEDADES

MAIS LIDAS DA SEMANA