Destaque

Veja a lista de todos os prefeitos eleitos em Mato Grosso e situação de cada município

Publicado

na

Confira abaixo a situação nos 141 municípios de Mato Grosso:

Cuiabá – Segundo turno entre Abílio Júnior (PODE) e Emanuel Pinheiro (MDB)
Várzea Grande – Kalil Baracat
Rondonópolis – José Carlos do Pátio (SD)
Sinop – José Roberto Dorner (Republicanos)
Tangará da Serra – Vander Masson (PSDB)
Cáceres – Eliene Liberato (PSB)

Acorizal – Meraldo Sá – (PSD)
Água Boa – Dr Mariano (PSB)
Alta Floresta – Chico Gamba (PSDB)
Alto Araguaia – Gustavo Melo (PSB)
Alto Boa Vista – Zé Maranhã (PTB)
Alto Garças – Professor Claudinei (Republicanos)
Alto Paraguai – Aldair José – (PDT)
Alto Taquari – Marilda Sperandio (DEM)
Apiacás – Júlio da Papelaria (MDB)
Araguaiana – Getúlio (PSB)
Araguainha – Chiquinho (PPS)
Araputanga – Enilson Rios (Solidariedade)
Arenápolis – Eder MarquIs (PP)
Aripuanã – Seluir (PSDB)
Barão de Melgaço – Margareth de Munil (PSDB)
Barra do Bugres – Dr Divino Henrique (PDT)
Barra do Garças – Dr Adilson (PSD)
Bom Jesus do Araguaia – Mansão (PSB)
Brasnorte – Edello Ferrari (DEM)
Campinápolis – Zé Bueno (DEM)
Campo Novo do Parecis – Rafael Machado (PSD)
Campo Verde – Alexandre Lopes (PDT)
Campos de Júlio – Parma (Patriota)
Canabrava do Norte – João Cleiton (PSDB)
Canarana – Fábio Faria (DEM)*
Carlinda – Carmen Martinez (DEM)
Castanheira – Juninho (PT)
Chapada dos Guimarães – Osmar Froner (MDB)
Cláudia – Altamir Kurten – (PSDB)
Cocalinho – Baco (PSB)
Colíder – Maninho (Patriota)
Colniza – Miltinho (PSC)
Comodoro – Rogério Vilela (Podemos)
Confresa – Dr Roni Condão (PP)
Conquista d’Oeste – Maria Lúcia (PL)
Cotriguaçu – Lirio (MDB)
Curvelândia – Jadilson – (Republicanos)
Denise – Marron (PDT)
Diamantino – Dr Manoel (MDB)
Dom Aquino – Zão (PL)
Feliz Natal – Tony Dubiella (MDB)
Figueirópolis d’Oeste – Eduardo Vilela (Republicanos)
Gaúcha do Norte – Voney Goiano – (SD)
General Carneiro – Marcelo Aquino – (PR)
Glória d’Oeste – Gheysa Borgatto (DEM)
Guarantã do Norte – Érico StevAN (DEM)
Guiratinga – Barga Rosa (DEM)
Indiavaí – Sidney da Cêramica – (DEM)
Ipiranga do Norte – Graxa (DEM)
Itanhangá – Edu (PL)
Itaúba – Toninho Tijolinho (PTB)
Itiquira – Fabiano (PP)
Jaciara – Andrea Wagner (PSB
Jangada – Rodrigo Meira (PP)
Jauru – Passarinho (PSB)
Juara – Carlos Sirena (DEM)
Juína – Paulo Veronese – (Podemos)
Juruena – Manoel Garça Branca (DEM)
Juscimeira – Moisés dos Santos (PSDB)
Lambari d’Oeste – Marcelo da Bem Estar (PDT)
Lucas do Rio Verde – Miguel Vaz (Cidadania)
Luciara – Parassu (MDB)
Marcelândia – Celso Padovani (DEM)
Matupá – Fernando Zafonato (DEM)
Mirassol d’Oeste – Hector Alvares (PSL)
Nobres – Leocir Hanel (PSDB)
Nortelândia – Zema (PSD)
Nossa Senhora do Livr – Souza (DEM)
Nova Bandeirantes – Cesar Perigo (MDB)
Nova Brasilândia – Marilza Augusta (MDB)
Nova Canaã do Norte – Rubão (PDT)
Nova Guarita – Zeca (DEM)
Nova Lacerda – Uilson Linguiça (DEM)
Nova Marilândia – Jeferson Souto (PP)
Nova Maringá – Ana (Patriota)
Nova Monte Verde – Edemilson Marino (PP)
Nova Mutum – Leandro Fidélix (PSL)
Nova Nazaré – João Filho (PSDB)
Nova Olímpia – José Elpídio – (PSD)
Nova Santa Helena – Paulinho Bortolini (Solidariedade)
Nova Ubiratã – Neninho da Nevada (PRTB)
Nova Xavantina – João Bang (PSB)
Novo Horizonte do Norte – Silvano Neves (MDB)
Novo Mundo – Toni Mafini (PL)
Novo Santo Antônio – Adão Belchior (DEM)
Novo São Joaquim – Leonardo Farias (PL)
Paranaíta – Osmar Mandacaru (PATRIOTA)
Paranatinga – Marquinhos Dedé – (MDB)
Pedra Preta – Nelson Orlato (PSB)
Peixoto de Azevedo – Mauricio (PSD)
Planalto da Serra – Natal de Assis (PROS)
Poconé – Tatá Amaral (DEM)
Pontal do Araguaia – Adelcino (MDB)
Ponte Branca – Clenei Parreira (PODE)
Pontes e Lacerda – Alcino Barcelos (REPUBLICANOS)
Porto Alegre do Norte – Daniel do Lago (PDT)
Porto dos Gaúchos – Vanderlei Longen – (Republicanos)
Porto Esperidião – Martins (PSD)
Porto Estrela – Eugenio Pelachim (PSC)
Poxoréu – Nelson Paim (PDT)
Primavera do Leste – Leonardo Bortolim (MDB)
Querência – Fernando Gorgen (DEM)
Reserva do Cabaçal – Jonas Campos (PP)
Ribeirão Cascalheira – Luzia Brandão (Solidariedade)
Ribeirãozinho – Ronivon Parreira (PSDB)
Rio Branco – Luiz Carlos (PSDB)
Rondolândia – Guedes (MDB)
Rosário Oeste – Alex da Farmácia (Solidariedade)
Salto do Céu – Prof Mauto (Solidariedade)
Santa Carmem – Rodrigo Frantz (PSD)
Santa Cruz do Xingu – Jo (PSD)
Santa Rita do Trivelato – Egon Hoepers (PSD)
Santa Terezinha – Thiago Engenheiro (PSB)
Santo Afonso – Luis Fernando (Democratas)
Santo Antônio do Leste – Arimateia (PSD)
Santo Antônio de Leverger – Francieli Magalhães (PTB)
São Félix do Araguaia – Dra. Janailza (Solidariedade)
São José do Povo – Júnior da Saúde (PSB)
São José do Rio Claro – Levi Ribeiro (PODE)
São José do Xingu – Dr. Sandro (DEM)
São José dos Quatro Marcos – Jamis Silva (Solidariedade)
São Pedro da Cipa – Eduardo Português – (PSB)
Sapezal – Valcir Casagrande
Serra Nova Dourada – Elson Mara (PP)
Sorriso – Ari Lafin (PSDB)
Tabaporã –  Sirineu Moledo (MDB)
Tapurah – Carlos Alberto Capeletti (PSD)
Terra Nova do Norte – Pascoal Alberton (MDB)
Tesouro – Isaack (PSB)
Torixoréu – Inês Coelho (DEM) – SubJudice
União do Sul – Claudio do Posto (MDB)
Vale de São Domingos – Geraldo Ramos (DEM)
Vera – Moacir Giacomelli (PODE)
Vila Bela da Santíssima Trindade – Dr. André (MDB)
Vila Rica – Abmael (PL)

Leia Também:  Novo Hospital Universitário Júlio Müller será o maior de Mato Grosso

Destaque

Juiz cita situação “inadmissível” e manda Prefeitura de Cuiabá reabrir UTIs Covid-19 imediatamente

Publicado

na

O juiz Roberto Seror, da 5ª Vara da Fazenda Pública de Cuiabá, determinou que a Prefeitura de Cuiabá disponibilize 33 leitos de UTI para casos de covid-19, que haviam sido bloqueados pela falta de médicos e remédios nesta semana.

A decisão foi concedida na noite desta quinta-feira (25.02), e atendeu pedido feito pelo Governo de Mato Grosso. O magistrado ainda determinou multa diária de R$ 50 mil ao prefeito e ao secretário municipal de Saúde de Cuiabá, caso não acatem a decisão, e autorizou a averiguação de possível ato de improbidade ou crime nas condutas de ambos.

Na ação, movida via Procuradoria Geral do Estado, o Governo de Mato Grosso relatou que a Prefeitura bloqueou 33 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), sendo 30 para adultos e três pediátricos, para o tratamento de pacientes da Covid-19, no Hospital e Pronto Socorro Municipal de Cuiabá.

O Estado explicou que o bloqueio dos leitos de UTI Covid-19 impacta na taxa de ocupação hospitalar e acarreta no descumprimento do Plano de Contingência Municipal. Nesta quinta-feira, a taxa de ocupação de UTIs é de 83%. O município recebe R$ 1,6 mil por leito de UTI pactuado com o Governo do Estado e Ministério da Saúde.

“Caso a conduta do Município persista, o principal prejudicado será o cidadão que venha a necessitar dos leitos de UTI, uma vez que o Estado terá de suspender o repasse de elevado valor referente ao cofinanciamento das diárias dos citados leitos, o que poderá impactar na própria manutenção ou na diminuição do número de leitos destinados aos pacientes Covid-19”, diz trecho do processo.

Leia Também:  Déficit de armazenagem amplia importância de classificação de grãos em Mato Grosso

“Inerte”

Ao analisar o pedido, o juiz Roberto Seror verificou que a Prefeitura de Cuiabá tem recebido os recursos para manter as UTIs abertas, mas, ainda assim, “está descumprindo, de forma imotivada, o Plano de Contingência Municipal, permanecendo inerte perante sua obrigação de fornecer equipamentos e pessoal, bem como quaisquer outros meios necessários para garantir a manutenção e disponibilização dos leitos de UTI destinados exclusivamente ao atendimento de pacientes acometidos pela COVID-19”.

“Inclusive, o Ofício nº 04/GBSAREG/SES/MT (ID nº 49834120) registrou que a equipe de supervisão administrativa da Central de Regulação de Urgência e Emergência Estadual, ao realizar supervisão in loco no Hospital e Pronto Socorro Municipal de Cuiabá, constatou que os leitos de UTI pediátrica, na data da visita, estavam com 07 (sete) pacientes internados, e 05 (cinco) leitos disponíveis (correspondendo à 58,33% de taxa de ocupação) e 03 (três) leitos bloqueados, por falta de equipamentos”, mencionou Seror.

Conforme o magistrado, a Prefeitura de Cuiabá descumpriu os termos do cofinanciamento firmado com o Estado e, ao bloquear os 33 leitos, promoveu uma “deliberada e inadmissível diminuição do número de leitos de UTI disponíveis à população e causando enorme prejuízo ao cidadão que necessita do amparo à sua saúde”.

“Veja-se que numa capital de Estado tem-se um quadro alarmante hoje, no qual embora existam 33 leitos que poderiam estar funcionando, tem-se apenas 7 leitos de UTI adulto disponíveis para toda a população !!! Mantida essa situação, em pouquíssimos dias ou atés mesmo horas, vai se saber, o sistema de saúde entrará em total colapso e não haverá sequer número de aviões de UTI aéreas suficientes para encaminhar os casos mais graves a outros Estados, isso se houver recursos para esse serviço. Há um periculum in mora de alta gravidade e dimensão social que não pode mais esperar, sob pena de perecimento de vidas humanas !!!!”, ressaltou.

Leia Também:  Dr. Leonardo comemora aprovação de projeto que suspende dívidas de estudantes com o Fies

Desta forma, o juiz concluiu por atender à solicitação do Estado e determinou que as UTIs sejam disponibilizadas imediatamente. Seror também mandou que o prefeito e o secretário sejam intimados ainda hoje para cumprirem a decisão.

“Deste modo, à vista do exposto, sobejam presentes os requisitos da tutela de urgência, sendo dever deste magistrado o deferimento da medida pleiteada. ISTO POSTO, consoante a fundamentação supra, DEFIRO A TUTELA PROVISÓRIA DE URGÊNCIA vindicada, como requerida, para o fim determinar ao Requerido que proceda imediatamente à todas as providências necessárias ao imediato desbloqueio/disponibilização dos leitos de UTI de atendimento exclusivo de pacientes acometidos pela COVID-19, até ulterior decisão de mérito a ser proferida na presente demanda. Em caso de descumprimento da presente decisão, arbitro, desde já, a aplicação de multa diária conforme previsão disposta no art. 537 do CPC a ser suportado pela pessoa do Prefeito municipal e Secretário de saúde no valor de R$ 50.000,00 (cinquenta mil reais), a cada um dos agentes públicos, sem prejuízo de caracterização de outros delitos de natureza civil ( improbidade administrativa ) e criminal”, decidiu.

Continue lendo

PUBLICIDADE

POLÍTICA

ECONOMIA

VARIEDADES

MAIS LIDAS DA SEMANA