Cotidiano

Saúde não descarta uma 2ª onda de coronavírus em Mato Grosso

Publicado

na

O número de novas confirmações da Covid-19 acontece em ritmo lento, mas sem paralisação da transmissão do novo coronavírus, em Mato Grosso.

Isso significa dizer que a pandemia não acabou e, atualmente, o temor é de uma possível segunda onda da doença – sem nem ter saído da primeira -, assim como vem ocorrendo em países europeus como França, Espanha, Reino Unido e Alemanha.

No Estado, o número de novos infectados pela doença tem apresentado uma média diária de até 600 novas confirmações e de cinco a 10 óbitos.

Neste último domingo (15), por exemplo, foram 229 novos registros da Covid-19 e um óbito.

No sábado (14), foram 236 novos infectados e quatro mortes, no dia anterior (13), 502 novos casos e 10 pessoas perderam a luta para o vírus.

Na segunda-feira (16), foram 12 mortes e 489 casos confirmados da doença.

Nesta terça-feira (17), o Consórcio de Imprensa (G1, UOL, O Globo, Folha de S. Paulo, O Estado de S. Paulo, Extra) apontou que Mato Grosso e outros 15 estados, além do Distrito Federal, estão em alta na média móvel de alta.

As informações são com base em dados fornecidos pelas secretarias estaduais de Saúde.

Conforme o consórcio, o Brasil voltou ao cenário de média alta de Covid, pela primeira vez, desde o dia 4 de junho.

Esta terça-feira é o terceiro dia na tendência.

Quando nada, é um sinal de que o brasileiro precisa redobrar as medidas sanitárias, nesse momento.

OSCILAÇÃO – Procurada para falar sobre o assunto, a Secretaria de Estado de Saúde se posicionou por meio de nota elaborada pela Secretaria Adjunta de Vigilância e Atenção à Saúde.

Segundo a área técnica do órgão estadual, a evolução no número de casos no Brasil oscila entre queda e estabilidade, a depender do estado considerado.

“O contexto tem como fatores de interferência o clima quente e úmido, taxas de isolamento social, grupo etário mais afetado e introdução de novas variantes do vírus SARS-CoV-2 (coronavírus)”, analisou.

O órgão estadual segue informando que “como o Estado apresentou uma queda do número de casos após um longo período de elevados quantitativos de infectados e óbitos – a chamada “primeira onda” –, atualmente, a transmissão continua acontecendo em um ritmo inferior, mas sem estagnação”.

Assim, uma possível segunda onda da pandemia como vem ocorrendo em países europeus não é descartada.

“É possível que haja uma ‘segunda onda’ em Mato Grosso. Contudo, tal perspectiva depende de vários fatores já expostos. Por isso, há o monitoramento constante da evolução do número de casos, óbitos e população afetada, bem como do número de leitos ocupados; esses indicadores dão a oportunidade de prever uma tendência de crescimento em tempo oportuno”, completou a nota.

Recentemente, o secretário de Saúde, Gilberto Figueiredo, disse, em entrevista à imprensa, que as eleições municipais eram uma preocupação em si, pois tendiam a promover aglomerações tanto durante a campanha quanto na hora da votação.

Além disso, também há uma inquietação quanto ao período de férias, já que as pessoas tendem a viajar mais e visitar lugares de lazer com frequência.

Além disso, países europeus que haviam conseguido controlar a transmissão do coronavírus em meados de 2020, agora enfrentam um novo surto de Covid-19.

Muitos tiveram de retomar medidas mais restritivas de circulação da população, como toques de recolher e lockdowns.

A segunda onda na Europa tem sido menos letal do que a primeira.

Os novos casos têm ocorrido entre os mais jovens, que são mais resistentes ao vírus — o que explicaria uma menor ocorrência de mortes.

Avanços na área médica também são apontados como fatores que estão contribuindo para reduzir a letalidade da doença na atual etapa da pandemia. Além disso, como o novo coronavírus atingiu primeiro os países do hemisfério norte no início de 2020, pesquisadores consideram que a segunda onda na Europa pode ser um prenúncio do que poderia ocorrer nos próximos meses no Brasil.

BOLETIM – A Secretaria de Estado de Saúde notificou, até a tarde de segunda-feira (16), 152.847 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso.

Dentre os dez municípios com maior número de casos de Covid-19 estão: Cuiabá (32.399), Rondonópolis (11.339), Várzea Grande (11.043), Sinop (8.021), Sorriso (6.591), Lucas do Rio Verde (6.059), Tangará da Serra (5.937), Primavera do Leste (5.134), Cáceres (3.574) e Nova Mutum (3.200).

No total, até agora, foram registradas 4.053 mortes em decorrência do coronavírus no Estado.

Dos 152.847 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, 4.979 pessoas estão em isolamento domiciliar e 143.410 estão recuperados.

Entre casos confirmados, suspeitos e descartados para a Covid-19, há 130 internações em UTIs públicas e 109 em enfermarias públicas.

A taxa de ocupação está em 32,26% para UTIs adulto e em 12% para enfermarias adulto.

Por Joanice de Deus

Fonte: Diário de Cuiabá

Leia Também:  Índice de Custo da Construção registra inflação de 0,4% em janeiro

Cotidiano

SES promove capacitação para detecção precoce de casos de dengue, chikungunya e zika

Publicado

na

A Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT), por meio da Superintendência de Vigilância em Saúde, realizará, entre a próxima quarta e sexta-feira (02 e 04.12), das 14h às 16h, capacitação de atualização para os profissionais da saúde pública e privada de Mato Grosso. A proposta do curso é qualificar as equipes para a detecção precoce dos casos de dengue, zika e febre de Chikungunya visando o atendimento oportuno, tratamento adequado e reabilitação dos pacientes.

“Manejo Clínico para Arboviroses Urbanas (Dengue, Chikungunya e Zika) em tempos de Covid-19”

Foto por: ESP-SES-MT

A atualização, intitulada “Manejo Clínico para Arboviroses Urbanas (Dengue, Chikungunya e Zika) em tempos de Covid-19”, acontecerá via web e será transmitida pela Escola de Saúde Pública por meio do canal no Youtube neste link.

A programação será transmitida para três turmas distintas, distribuídas por grupos das macrorregiões de saúde. Os municípios das regiões Leste e Norte serão capacitados na quarta-feira (02); na quinta-feira (03) será a vez das regiões Centro Norte e Centro Noroeste receberem a qualificação e na sexta-feira (04) os profissionais das regiões Oeste e Sul  encerram o ciclo de web atualização.

A diretora da Escola de Saúde Pública, Silvia Tomaz, explica que os profissionais de saúde terão a oportunidade de atualizar conhecimento sobre o tema, com o foco voltado para o diagnóstico e o tratamento dessas doenças que são endêmicas no Estado, melhorando ainda mais a assistência prestada à população. 

“A atividade contará com importante contribuição do médico infectologista Dalcy de Oliveira Albuquerque Filho, graduado em medicina pela UFRJ [Universidade Federal do Rio de Janeiro] e servidor aposentado da Secretaria de Estado de Saúde do Distrito Federal, com especialização em Medicina Tropical e MBA em Gestão de Saúde de Controle de Infecção e referência de arboviroses urbanas para o estado de Mato Grosso”, destacou a diretora da Escola.

As apresentações e outros materiais técnicos e legais disponíveis, bem como a emissão de declarações de participação serão disponibilizados aos participantes que se cadastrarem antecipadamente na Plataforma AVA/Moodle da Escola de Saúde Pública neste link.

Serviço

A capacitação sobre “Manejo Clínico para Arboviroses Urbanas (Dengue, Chikungunya e Zika) em tempos de Covid-19” acontecerá entre quarta e sexta-feira (02 e 04.12), das 14h às 16h, por meio do canal no Youtube da Escola de Saúde Pública. A inscrição da atividade por ser feita neste link.

Fonte: GOV MT

Leia Também:  Quarta-feira (30): Mato Grosso registra 124.060 casos e 3.457 óbitos por Covid-19
Continue lendo

PUBLICIDADE

POLÍTICA

ECONOMIA

VARIEDADES

MAIS LIDAS DA SEMANA