Destaque

Programa Nota MT realiza último sorteio retroativo do ano

Publicado

na

A Secretaria de Fazenda (Sefaz) promove nesta quinta-feira (19.11), o último sorteio mensal retroativo do Programa Nota MT. Estarão concorrendo 1.444.977 bilhetes eletrônicos, gerados a partir de notas fiscais com CPF emitidas nas compras feitas entre 01 e 31 de maio. O sorteio será o 14º promovido neste ano e serão sorteados 1.005 prêmios, nos valores de R$ 500 e R$ 10 mil.

Apesar de os sorteios terem sido suspensos por três meses, devido a pandemia do Covid-19, o Programa Nota MT continuou ativo e todas as notas fiscais emitidas geraram bilhetes.

“Agradecemos a todos que acreditaram na lisura e no comprometimento do Programa Nota MT e continuaram pedindo o CPF na nota fiscal. Apesar do ano adverso ter suspendido as extrações da Loteria Federal, nos readaptamos e estabelecemos um novo cronograma que estamos cumprindo com êxito total. A partir de agora, os sorteios estão normalizados e de acordo com o mês vigente. O Programa Nota MT segue firme e forte, com apoio total dos cidadãos mato-grossenses e o empenho dos servidores fazendários”, destaca o coordenador do Programa Nota MT, José Humberto Holanda.

Na semana passada foi realizado o sorteio mensal do mês de outubro, onde 1.003 contribuintes foram premiados. Desde o início do Nota MT, em agosto de 2019, 14.280 pessoas foram contempladas nos sorteios, somando cerca de R$ 7 milhões que já foram ou estão sendo repassados aos premiados. Neste ano foram 9.837 consumidores sorteados com valores de R$ 500, R$ 10 mil e R$ 50 mil.

O sorteio desta quinta-feira (19) será na sede da Sefaz com transmissão ao vivo, a partir das 09h, pelas redes sociais do Governo de Mato Grosso e da secretaria.

Fonte: GOV MT

Leia Também:  Funcionários da Latam aceitam negociar a redução permanente do salário

Cotidiano

MEC determina retorno a aula presencial em universidades dia 4 de janeiro

Publicado

na

O Ministério da Educação publicou no Diário Oficial da União desta quarta-feira (2) portaria que determina que as aulas nas instituições federais de ensino superior deverão ocorrer, de forma presencial, a partir do dia 4 de janeiro de 2021.

Segundo o texto, as instituições devem ter um protocolo de biossegurança instituído pelo MEC.

Apesar do número de contaminados pelo coronavírus ter voltado a subir no País, a portaria, assinada pelo ministro Milton Ribeiro, determina que “os recursos educacionais digitais, tecnologias de informação e comunicação” deverão ser utilizados em caráter excepcional e de forma complementar.

A portaria autoriza aulas virtuais, no caso de autoridades locais suspenderem atividades letivas presenciais.

Será de responsabilidade das instituições a definição dos componentes curriculares que utilizarão os recursos educacionais digitais e a disponibilização de recursos aos alunos que permitam o acompanhamento das atividades letivas ofertadas.

Para os cursos de medicina, as aulas digitais só serão autorizadas para disciplinas teórico-cognitivas do primeiro ao quarto ano do curso.

Por Lorenna Rodrigues
Estadão Conteúdo – São Paulo
Leia Também:  Quatro entre 8 atividades do varejo crescem em julho ante julho de 2019, diz IBGE
Continue lendo

PUBLICIDADE

POLÍTICA

ECONOMIA

VARIEDADES

MAIS LIDAS DA SEMANA