Destaque

Assembleia atende comunidade do Coxipó do Ouro com asfalto e ciclovia

Publicado

na

A comunidade do Coxipó do Ouro recebeu 8,6 quilômetros de asfalto, na MT-402, no trecho que liga a estrada de Chapada dos Guimarães (MT-251) e 7,76 quilômetros de ciclofaixa, numa ação realizada em parceria entre a Assembleia Legislativa e Governo do Estado. Acompanhado do deputado Wilson Santos (PSDB), o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Eduardo Botelho (DEM) participou do evento e comemorou a ação que era um sonho antigo da população, que recebeu investimentos na ordem de R$ 10,5 milhões. A inauguração ocorreu no sábado (14), com a participação de ciclistas, moradores e autoridades.

“Os moradores esperavam há mais de 30 anos por esse asfalto, que tem uma ciclovia totalmente moderna. Então, é uma satisfação muito grande para nós porque esse projeto partiu da Assembleia Legislativa, bem como as condições de o governo fazê-lo. É um começo porque estamos trabalhando para levar asfalto também para as comunidades do Aguaçu, Arraial dos Freitas e Agrovila das Palmeiras. As expectativas são as melhores, pois a partir do ano que vem o governo adquire a capacidade de investimentos, fruto do trabalho da Assembleia Legislativa que melhorou e aprovou os projetos”, afirmou Botelho. 

O secretário de Estado de Infraestrutura, Marcelo de Oliveira, mencionou a importância da parceria que resultou na obra que promoverá o desenvolvimento, com fomento à economia local e turismo. “A Assembleia Legislativa é importantíssima em todas as obras que estamos fazendo no estado. Os deputados tiveram coragem de, no momento certo, aprovar as leis do Executivo que hoje estão gerando todos esses benefícios para Mato Grosso”, reconheceu o secretário.

Joildo Soares de Andrade, ciclista há 15 anos, comemorou a obra. “O esporte cuiabano está ganhando bastante com essa ciclovia, pois é mais um espaço para pedalarmos com segurança. A comunidade do Coxipó do Ouro também ganha porque acaba trazendo a movimentação no local, também é saúde. Acabamos de pedalar na ciclovia que ficou muito boa. Já fizemos algumas sugestões de melhorias que foram acatadas pelo secretário”, afirmou o ciclista, ao destacar que essa é a realização de um sonho antigo. 

O governador Mauro Mendes (DEM), que pedalou junto com a primeira-dama, Virgínia Mendes, agradeceu a parceria com o Parlamento estadual. “Agradeço sempre a Assembleia Legislativa, o presidente Botelho, os deputados da nossa base, porque compreenderam isso e quando você toma as medidas corretas o resultado aparece. E, é isso que estamos mostrando hoje para Mato Grosso através da nossa administração, com a colaboração muito importante da Assembleia Legislativa”, destacou Mendes, ao lembrar o local onde começou a história de Cuiabá.

 Célia Lima, moradora do Coxipó do Ouro, reforçou a importância de asfaltar a estrada da ponte de ferro, percurso mais utilizado pelos moradores por ser mais próximo de Cuiabá.

Também participaram do evento os secretários Mauro Carvalho (Casa Civil), Basílio Bezerra (Planejamento e Gestão), Gilberto Figueiredo (Saúde), Alan Porto (Educação), Jordan Espíndola (Gabinete de Governo) e o procurador-geral do Estado, Francisco Lopes. 

Fonte: ALMT

Leia Também:  Mais de 2 mil testes de alcoolemias e 334 CNHs recolhidas nos três primeiros meses do ano

Cotidiano

MEC determina retorno a aula presencial em universidades dia 4 de janeiro

Publicado

na

O Ministério da Educação publicou no Diário Oficial da União desta quarta-feira (2) portaria que determina que as aulas nas instituições federais de ensino superior deverão ocorrer, de forma presencial, a partir do dia 4 de janeiro de 2021.

Segundo o texto, as instituições devem ter um protocolo de biossegurança instituído pelo MEC.

Apesar do número de contaminados pelo coronavírus ter voltado a subir no País, a portaria, assinada pelo ministro Milton Ribeiro, determina que “os recursos educacionais digitais, tecnologias de informação e comunicação” deverão ser utilizados em caráter excepcional e de forma complementar.

A portaria autoriza aulas virtuais, no caso de autoridades locais suspenderem atividades letivas presenciais.

Será de responsabilidade das instituições a definição dos componentes curriculares que utilizarão os recursos educacionais digitais e a disponibilização de recursos aos alunos que permitam o acompanhamento das atividades letivas ofertadas.

Para os cursos de medicina, as aulas digitais só serão autorizadas para disciplinas teórico-cognitivas do primeiro ao quarto ano do curso.

Por Lorenna Rodrigues
Estadão Conteúdo – São Paulo
Leia Também:  Assembleia Social promove Bazar On-line com renda revertida para as Obras Sociais Manoel Philomeno de Miranda
Continue lendo

PUBLICIDADE

POLÍTICA

ECONOMIA

VARIEDADES

MAIS LIDAS DA SEMANA