Cotidiano

Governo do Estado vai instalar mil novas câmeras de segurança em Mato Grosso

Publicado

na

Até 2022, o Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (Ciosp) deverá receber mais mil câmeras de videomonitoramento. O incremento tecnológico denominado Projeto Águia faz parte do pacote de obras do programa Mais MT, do Governo de Mato Grosso. Para o aporte estrutural, que vai beneficiar a Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp-MT) e outras pastas, serão investidos R$ 108 milhões. A ampliação corresponde a um aumento de mais de 340%.

O projeto visa a instalação de câmeras OCR (leitores ópticos de caracteres) nas vias públicas em todo o Estado, com foco na repressão dos índices criminais, tais como tráfico de drogas, roubo e furto de veículos, dentre outros.

As imagens capturadas pelas câmeras serão recebidas no Ciosp. Em caso de o veículo ter alguma queixa criminal, o alarme será acionado e os operadores informarão as forças policiais mais próximas para fazer a abordagem.

“É um investimento arrojado para a segurança pública de Mato Grosso. Nós já temos mapeados todos os pontos onde faremos este monitoramento e o objetivo do governador é fazer um cercamento virtual no Estado e permitir que as imagens sejam compartilhadas com outras pastas, beneficiando uma ação conjunta entre os órgãos do Poder Executivo”, frisou o secretário de Segurança Pública, Alexandre Bustamante.

Dentre as secretarias de Estado que receberão o compartilhamento das imagens está a de Fazenda (Sefaz), Meio Ambiente (Sema), Departamento Estadual de Trânsito (Detran), Empresa de Tecnologia da Informação (MTI), Instituto de Defesa Agropecuária do Estado de Mato Grosso (Indea) e Instituto de Pesos e Medidas de Mato Grosso (IPEM/MTINMETRO).

As ações de comando e controle das câmeras estão dentro da Secretaria de Segurança Pública, por meio da adjunta de Integração Operacional (Saiop), que é também a unidade responsável por deflagrar as operações integradas em todo o estado.

“Cada órgão terá as imagens das câmeras mediante a sua atuação, seja por questões fiscais, meio ambiente, leis de trânsito, dentre outras. O importante é que nossa capacidade de atuação será ampliada”, enfatizou o secretário da Saiop, coronel PM Victor Fortes.

O programa Mais MT foi lançado em outubro deste ano e prevê recursos na ordem de R$ 9,5 bilhões em investimentos públicos durante a gestão (2019-2022). Deste montante total, 63% serão de recursos próprios do Governo de Mato Grosso, e o restante por meio de operações de crédito, convênios e emendas. Somente para a Sesp, R$ 766 milhões servirão para ampliar a qualidade do serviço disponibilizado ao cidadão.

Fiscalização

A Sesp opera atualmente com 283 câmeras, sendo 155 de videomonitoramento e 128 OCR. Os aparelhos estão instalados em pontos estratégicos de Cuiabá, Várzea Grande, Rondonópolis, Cáceres e em rodovias estaduais.

A câmera OCR permite monitorar e analisar imagens instantaneamente e verificar em tempo real ilegalidades diversas, tais como carros roubados, documentação irregular e placas clonadas. O sistema também permite fazer buscas por placa, marca e modelo dos veículos, e também com base em características obtidas pelos operadores, como adesivos que tenham caracteres passíveis de leitura. Ao detectar algo suspeito, as informações são reunidas no Centro Integrado de Comando e Controle (CICC) que, após análise, aciona as forças de segurança.

Mais câmeras

Mato Grosso também integra, desde o início deste ano, o “Sistema Córtex”, do Governo Federal, por meio do Ministério da Justiça. Pelo sistema, imagens de mais de 11 mil câmeras de outros estados também chegam no Ciosp. O objetivo deste compartilhamento é ampliar a rede de atuação entre as forças de segurança na repressão aos ilícitos criminais.

Fonte: GOV MT
Leia Também:  Enfermeiro do HMC comete abuso sexual contra paciente

Cotidiano

Em meio à pandemia, índice de isolamento social cai a 37% em MT

Publicado

na

Enquanto a Europa lida com a segunda onda da Covid-19, o brasileiro vive um clima de “acabou a pandemia”.

Em Mato Grosso, não tem sido diferente e os registros de aglomerações em eventos sociais e familiares têm sido frequentes, além da reabertura das atividades comerciais e industriais.

Contudo, o isolamento social voltou ao debate uma vez que alguns estados, como o Rio de Janeiro, Amapá e São Paulo, apresentam crescimento da média móvel de casos e de mortes pelo novo coronavírus.

No Estado, está em queda o número de óbitos, mas o índice do distanciamento está em 37,2%, segundo levantamento da empresa de softwares InLoco.

O valor está abaixo do verificado no dia 23 de março (52,4%), quando foram estabelecidas as primeiras medidas restritivas em Cuiabá, capital mato-grossense. Também bem inferior ao considerado ideal (70%).

No Centro-Oeste, Mato Grosso mantém o mesmo percentual do vizinho Mato Grosso do Sul e índice melhor que o verificado em Goiás (35,5%) e abaixo do Distrito Federal (40%).

A InLoco atua no setor de segurança da informação, é referência nacional em tecnologias de geolocalização e colocou sua tecnologia à disposição das autoridades públicas no combate ao vírus.

O distanciamento social é apontado como uma das medidas mais importantes e eficazes para reduzir o avanço da pandemia da Covid-19, que ainda não acabou.

Nesta semana, inclusive, um grupo de pesquisadores brasileiros alertou para o que eles identificaram como o começo da segunda onda da pandemia no país.

De acordo com informações do Jornal Nacional, o estudo traz a assinatura de seis especialistas, de cinco universidades e institutos de pesquisas do país.

O estudo afirma que “a situação no Brasil se deteriorou fortemente nas últimas duas semanas, e o início de uma segunda onda de crescimento de casos já é evidente em quase todos os estados, de forma particularmente preocupante nas regiões mais populosas do país”.

DADOS – Mato Grosso registrou dez mortes causadas pelo coronavírus, nas últimas 24 horas.

Nesse mesmo período, foram notificadas 725 novas confirmações de casos da doença no Estado.

A Secretaria de Estado de Saúde notificou, até a tarde desta terça-feira (24), 156.177 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso.

Dentre os dez municípios com maior número de casos de Covid-19 estão: Cuiabá (34.039), Rondonópolis (11.602), Várzea Grande (10.996), Sinop (8.212), Sorriso (6.680), Lucas do Rio Verde (6.117), Tangará da Serra (6.020), Primavera do Leste (5.232), Cáceres (3.614) e Nova Mutum (3.282).

Até agora, no total, são 4.107 óbitos em decorrência do coronavírus no Estado.

Além disso, o panorama da situação epidemiológica mostra que os 141 municípios mato-grossenses configuram na classificação de baixo risco de infecção pelo vírus. Esse status já se mantém por 21 dias.

Em 2 de novembro, Ribeirãozinho (627 km ao Sul de Cuiabá) foi a última cidade classificada com risco “moderado”.

Desde então, nenhuma cidade de Mato Grosso foi classificada com risco muito alto ou com indicação de alerta máximo de contaminação e também nenhuma teve a indicação de alerta moderado.

Conforme a definição dos riscos é necessária a adoção de medidas restritivas para o controle da propagação do coronavírus nas cidades.

Esses indicadores de risco são atualizados duas vezes por semana pela Ses-MT.

 

Leia Também:  1ª dama é escolhida embaixadora da ‘Virada Feminina’ em MT

Por Joanice de Deus

Fonte: Diário de Cuiabá

Continue lendo

PUBLICIDADE

POLÍTICA

ECONOMIA

VARIEDADES

MAIS LIDAS DA SEMANA