Destaque

Anvisa autoriza retomada dos testes da vacina aplicada em MT

Publicado

na

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou, ontem (11), a retomada do estudo clínico relacionado à vacina Coronavac contra a Covid-19 produzida pela chinesa Sinovac em conjunto com o Instituto Butantan, ligado ao governo de São Paulo. Em Mato Grosso, a inclusão nos testes abrange 800 profissionais de saúde voluntários.

O anúncio de retomada acontece após polêmica suspensão dos testes na segunda-feira (9), ocasionado pela morte de um dos voluntários da vacina no Brasil. Classificado como “evento adverso grave (EAG)”, o caso é considerado como possível suicídio de um homem de 33 anos. A Anvisa resolveu autorizar a retomada dos testes após receber relatório de um comitê independente internacional de especialistas sobre o caso e o boletim de ocorrência com detalhes da morte do voluntário. O Butantan afirmou que o evento adverso não tem relação com o futuro imunizante.

“Após avaliar os novos dados apresentados pelo patrocinador depois da suspensão do estudo, a Anvisa entende que tem subsídios suficientes para permitir a retomada da vacinação e segue acompanhando a investigação do desfecho do caso para que seja definida a possível relação de causalidade entre o EAG inesperado e a vacina”, pontuou em nota.

A nota segue destacando que “é importante esclarecer que uma suspensão não significa necessariamente que o produto sob investigação não tenha qualidade, segurança ou eficácia. A suspensão e a retomada de estudos clínicos são eventos comuns em pesquisa clínica e todos os estudos destinados a registro de medicamentos que estão autorizados no país são avaliados previamente pela Anvisa com o objetivo de preservar a segurança dos voluntários do estudo”.

Reitera ainda que se pauta pela “avaliação benefício-risco e no equilíbrio entre os princípios da legalidade, transparência, precaução e razoabilidade de suas ações”. No Estado, o ensaio clínico é conduzido pelo Hospital Universitário Júlio Müller (HUJM-UFMT/Ebserh), localizado em Cuiabá, em parceria com o Butantan. No país, cerca de 13 mil voluntários, sendo que metade toma doses da vacina e, a outra, placebo.

Fonte: Diário de Cuiabá

Leia Também:  Em live, Corpo de Bombeiros orienta população a denunciar queimadas

Cotidiano

MEC determina retorno a aula presencial em universidades dia 4 de janeiro

Publicado

na

O Ministério da Educação publicou no Diário Oficial da União desta quarta-feira (2) portaria que determina que as aulas nas instituições federais de ensino superior deverão ocorrer, de forma presencial, a partir do dia 4 de janeiro de 2021.

Segundo o texto, as instituições devem ter um protocolo de biossegurança instituído pelo MEC.

Apesar do número de contaminados pelo coronavírus ter voltado a subir no País, a portaria, assinada pelo ministro Milton Ribeiro, determina que “os recursos educacionais digitais, tecnologias de informação e comunicação” deverão ser utilizados em caráter excepcional e de forma complementar.

A portaria autoriza aulas virtuais, no caso de autoridades locais suspenderem atividades letivas presenciais.

Será de responsabilidade das instituições a definição dos componentes curriculares que utilizarão os recursos educacionais digitais e a disponibilização de recursos aos alunos que permitam o acompanhamento das atividades letivas ofertadas.

Para os cursos de medicina, as aulas digitais só serão autorizadas para disciplinas teórico-cognitivas do primeiro ao quarto ano do curso.

Por Lorenna Rodrigues
Estadão Conteúdo – São Paulo
Leia Também:  Federação confirma retomada do tênis em Mato Grosso
Continue lendo

PUBLICIDADE

POLÍTICA

ECONOMIA

VARIEDADES

MAIS LIDAS DA SEMANA