Coluna Bastidores da República

Mato Grosso dá a volta por cima e anuncia investimentos de R$ 9,5 bilhões

Publicado

na

MAIS MT

Para retomar a economia de Mato Grosso no pós-pandemia, o governador Mauro Mendes (DEM), anunciou MAIS MT, um ousado programa de investimentos que contemplam 12 eixos e somam R$ 9,5 bilhões até o ano de 2022. Mendes disse que isso foi possível em razão das medidas tomadas pela atual gestão que consertaram o Governo, que estava quebrando no final de 2018. Entre elas, se destacam a reforma administrativa, o corte de gastos públicos, a revisão dos incentivos fiscais, o combate à sonegação e a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) Estadual.

 

GESTÃO DO SUS

Mesmo tendo revogado decreto, o presidente Jair Bolsonaro voltou a defender o documento que autoriza participação da iniciativa privada nas unidades básicas de saúde do país. Bolsonaro disse que há mais de 4 mil instalações inacabadas por falta de recursos. Ele afirmou que protestos partem de quem quer a volta de governos de esquerda no Brasil. O presidente reafirmou que não se trata de privatização do SUS e que, caso haja acordo, o decreto poderá ser reeditado.

 

IMPOSTO MORTO

Apesar de o presidente Jair Bolsonaro ter admitido que o governo pensa em recriar a CPMF; o ministro da Economia, Paulo Guedes, perdeu a paciência ao falar sobre o assunto. Ele disse que, como o Congresso não está disposto a falar sobre impostos alternativos por conta das eleições, também já pensa em não falar mais sobre o assunto. “Do meu ponto de vista, o imposto está morto”, declarou. Guedes lembrou que quando foi falado pela primeira vez, caiu o secretário da Receita. “Agora, estamos em plena campanha eleitoral, ninguém quer discutir esse troço”.  Ou seja, não quer ser o próximo a cair.

Leia Também:  Comissão volta a debater crise fiscal e auxílio a estados e municípios

 

EXTINÇÃO DO GUARÁ

Calma, não se trata de caçada ao lobo guará. Estou falando sobre a nota de R$ 200,00. É que o ministro da Economia, Paulo Guedes, disse que o novíssimo PIX poderá acabar com a também novíssima cédula antes mesma que esquente os bolsos de algumas pessoas. Para o ministro, o futuro do sistema financeiro é digital e requer notas de baixo valor. “O futuro é de menos dinheiro na mão e notas mais simples”, explicou.

 

FAZ PARTE

O ponto facultativo nesta sexta-feira para comemorar o Dia do Servidor Público, que seria dia 28, acabou prejudicando uma legião de pacientes que tinham consultas marcadas pelo INSS e que agora terão que reagendá-las. Para remarcar os atendimentos as pessoas devem entrar em contato com o 135 ou acessar o aplicativo Meu INSS. Apesar de não impactar totalmente o atendimento, já viu a confusão, né?

 

LUNÁTICO

O presidente Jair Bolsonaro voltou a investir contra o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), e chamou o tucano de “lunático” por ele ter defendido a obrigatoriedade da vacinação contra a Covid-19 e por ter encampado um ajuste fiscal que aumentou tributos no estado. “Doria aumentou ICMS de combustível, criou imposto para o cara que é deficiente e comprou um carro. Aumentou tudo que você pode imaginar. É coisa de lunático isso aí”, declarou Bolsonaro.

Leia Também:  SEGUNDA É DIA DE?: Mais de mil vagas de emprego disponível em MT; confira

 

ENTRE TAPAS E BEIJOS

Dias depois de o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) falar em uma “ampla coalizão” para derrotar Jair Bolsonaro (sem partido) nas eleições de 2022, uma reunião entre o petista e o ex-ministro Ciro Gomes (PDT) foi revelada. O encontro ocorreu no Instituto Lula, em São Paulo, em setembro. Eles selaram as pazes após dois anos rompidos por causa das eleições de 2018, quando fracassou a tentativa de um acordo eleitoral visando a Presidência. Na ocasião, como Lula foi impedido de entrar na disputa, o PT apostou em Fernando Haddad, enquanto o PDT foi de Ciro. No segundo turno, o pedetista frustrou as expectativas dos petistas e não apoiou o ex-prefeito de São Paulo.  Enfim, estão entre tapas e beijos.

Coluna Bastidores da República

Alexandre de Moraes decide, mas Gilmar Mendes pode limitar ações do colega no caso Fake News

Publicado

na

FAKE NEWS

O Facebook Brasil recorreu ao ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), para impedir a responsabilização de funcionários de empresas brasileiras afiliadas a americanas, como é o caso da rede social no País, pelo descumprimento de ordens judiciais que cobram o compartilhamento de comunicações entre usuários da plataforma. O pedido foi apresentado na esteira de decisões do ministro Alexandre de Moraes nos inquéritos que miram esquema de disseminação de ‘fake news’ e o financiamento de atos antidemocráticos. Um eventual entendimento de Gilmar sobre o caso pode limitar as ações do colega na condução das investigações.

EXAME DE ROTINA

Funcionários do Planalto se assustaram pela manhã quando o presidente Jair Bolsonaro foi levado ao serviço médico da Presidência. Os procedimentos, considerados de rotina, provocaram boatos sobre a saúde de Bolsonaro, mas não causaram danos à imagem. Há dois meses, ele passou por cirurgia para retirada de um cálculo na bexiga. No procedimento, segundo boletim médico divulgado pela Secretaria de Comunicação (Secom), o cálculo foi “totalmente removido”. Em julho, o presidente também ficou isolado por cerca de 20 dias após contrair covid-19. Na ocasião, ele não precisou ficar hospitalizado. Enfim, nada de grave.

Huck 2022

O apresentador Luciano Huck tem até março para comunicar à Globo se concorrerá ou não nas eleições presidenciais de 2022. A antecedência é justificada por meio de uma possível despedida, visto que se o contratado da emissora concorrer ao cargo político, ele deverá deixar o Caldeirão, que, por consequência, sairá do ar no meio do ano que vem. Ainda de acordo com o colunista, o contrato de Luciano Huck na Globo vai até 2021. Segundo a revista Veja, o apresentador disse em um jantar com empresários que estava pronto para a corrida eleitoral. “Da outra vez, achava que não estava pronto. Agora, eu estou, mas a decisão não está tomada”, declarou.

Leia Também:  Prisão de Fabrício Queiroz acrescenta ingrediente explosivo à crise no país

BOLSONARO 2022

O presidente Bolsonaro também tem até março para tomar uma importante decisão: decidir em qual sigla deve se filiar. Ele tenta fundar o Aliança pelo Brasil há mais de um ano. Caso a sigla não deslanche, Bolsonaro  adiantou que terá uma nova opção, devendo se filiar a um partido já existente. Em meio às incertezas sobre o Aliança, Bolsonaro também já disse que não pode investir 100% na criação do partido, tem mantido conversas com outras siglas e considerou retornar para a antiga legenda, o PSL, ou mesmo recorrer ao centrão.

 ROMBO FISCAL

Nos próximos meses o grande desafio do presidente Bolsonaro não é se definir por um partido político, mas conseguir administrar dois orçamentos: o inicial, que previa um déficit primário de R$ 124,1 bilhões, algo entre 1,6% e 1,8% do PIB; e o paralelo, que deverá encerrar o ano com um rombo fiscal acima de R$ 800 bilhões, algo entre 11% e 12% do PIB. Esse ano foi excepcional por causa da pandemia da Covid-19 e desafiador não apenas para a gestão pública brasileira. Foi para todo o planeta.

5G

Com a aprovação, pelo Senado, do Projeto de Lei que cria isenção tributária para dispositivos e sistemas de comunicação máquina a máquina, a expectativa é que a implementação da internet das coisas e da internet 5G gere mais de 10 milhões de empregos, segundo o Ministério das Comunicações.  Na prática, o PL viabiliza a implementação da chamada internet das coisas – nome dado à integração de equipamentos e máquinas que se comunicam entre si para gerar experiências automatizadas. Essa automação pode ser em larga escala, como carros autônomos ou indústrias robotizadas, ou em pequena escala, como eletrodomésticos inteligentes e relógios de pulso com sensores corporais, chamados de smartwatches.

Leia Também:  Comissão volta a debater crise fiscal e auxílio a estados e municípios

SALVO CONDUTO

Os eleitores que moram nas cidades que terão segundo turno das eleições municipais não podem ser presos a partir desta terça-feira (24), só não podem abusar. A restrição é válida no período de cinco dias antes do pleito e 48 horas depois da votação. A segunda rodada de votação será realizada no próximo domingo (29). De acordo com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), há exceções sobre a impossibilidade de prisão. As regras não se aplicam aos casos de crime em flagrante e de sentença condenatória por crime inafiançável, como racismo, tortura e tráfico de drogas. No domingo, cerca de 38 milhões de pessoas estão aptas a votar no segundo turno, que ocorrerá em 57 cidades do país, das quais 18 são capitais.

EM ALTA

Dados apresentados pelo Banco Central apontam que 4,4 milhões de chaves Pix já foram alvo de portabilidade. Ou seja, foram transferidas para outras instituições financeiras por meio dos seus usuários. No início da semana passada, as portabilidades somavam 1 milhão. Desde 5 de outubro, já foram 83,5 milhões de chaves cadastradas no Pix por 34,5 milhões de consumidores pessoa física e 2,2 milhões de pessoas jurídicas.

Continue lendo

PUBLICIDADE

POLÍTICA

ECONOMIA

VARIEDADES

MAIS LIDAS DA SEMANA