Destaque

Pais podem acompanhar notas e frequência escolar dos alunos pelo App

Publicado

na

A partir de agora, pais e responsáveis pelos estudantes da rede estadual de educação de Mato Grosso podem acompanhar as notas e a frequência escolar dos alunos diretamente em seus aparelhos de celular, pelo aplicativo MT Cidadão. O app ainda permite que os responsáveis tenham acesso a todo calendário escolar.

A atualização mais recente do app MT Cidadão incluiu a seção Minha Escola para facilitar o acompanhamento da vida acadêmica dos estudantes da rede pública estadual. A seção fica disponível apenas para os responsáveis de alunos matriculados nas escolas estaduais.

A proposta é um desejo antigo da Secretaria de Estado de Educação (Seduc) de fortalecer a comunicação dos estudantes, familiares, responsáveis e as escolas. Ao mesmo tempo informando sobre o desempenho do aluno, bem como dando mais segurança a respeito da rotina dos jovens.

A secretária de Estado de Educação, Marioneide Kliemaschewsk, destacou a importância do aplicativo MT Cidadão para a melhoria do desempenho escolar dos alunos.

“Agora o pai não terá mais desculpa para não participar da vida escolar do filho, pois de onde ele estiver poderá acessar o aplicativo pelo próprio celular. Ele conseguirá verificar dados referentes à frequência e o desempenho escolar do filho, ou seja, se o seu filho está construindo os conhecimentos necessários ou se está com alguma dificuldade nesta construção. A participação do pai nesse processo é muito importante para construirmos uma nova história na educação de Mato Grosso”.

Leia Também:  Defensoria entra com ação para que BC tire notas de R$ 200 de circulação

Para acessar o aplicativo, os responsáveis devem baixar gratuitamente o App MT Cidadão, disponível na loja Google Play, para o sistema Android, e para o sistema IOS na App Store. O login de usuário e senha podem ser usados, tanto no portal, como no aplicativo.

MT Cidadão

O MT Cidadão é uma iniciativa do Governo do Estado de Mato Grosso que visa ampliar a transparência e prestação de serviços ao cidadão. Desenvolvido e mantido pela MTI, é uma plataforma de transformação digital que possibilita a troca de informações entre vários órgãos e entidades governamentais por meio de uma rede segura de interoperabilidade de dados.

O aplicativo disponibiliza em um só lugar, vários serviços digitais essenciais e relevantes para o cidadão.

A plataforma de transformação digital conta com três pilares fundamentais, a X-Via, plataforma que subsidia o ambiente de dados, o App e o Portal MT Cidadão, para prestação de serviços públicos.

Conforme o diretor-presidente da MTI, Antônio Marcos, atualmente a plataforma conta com mais de 50 e-serviços disponíveis e que podem ser realizados sem sair de casa, como gerar guias do Departamento Estadual de Trânsito (Detran), solicitar carteiras de habilitação e identidade, conferir boletim escolar de alunos matriculados na rede, entre outros serviços que são adicionados à plataforma mensalmente.

Leia Também:  Servidores podem simular a aposentadoria pela internet

A atualização está disponível para Android na loja Google Play e para o sistema IOS na App Store.

Destaque

Falta de recursos prejudicou combate aos incêndios no Pantanal

Publicado

na

A falta de recursos e de planejamento prejudicou a luta contra as queimadas no Pantanal. A avaliação foi feita pelo senador Wellington Fagundes (PL-MT), presidente da Comissão Temporária Externa do Senado, criada para acompanhar as ações de enfrentamento às queimadas no bioma. Em entrevista ao programa Conexão Senado, ele avaliou como “decisão equivocada” do Governo Federal a retirada dos brigadistas contratados pelo Ibama para combater os incêndios.

Nos últimos dias, o Ibama teve de reduzir as equipes de brigadistas por falta de recursos, o que surpreendeu o senador. Segundo ele, além de demorar para iniciar o combate ao fogo, o governo retirou as equipes da linha de frente antes do início das chuvas. Para retomar as atividades, o ministério da Economia liberou, na semana passada, uma verba emergencial de R$ 16 milhões.

“Nós temos que manter esses brigadistas, formar novos profissionais e incluir também os voluntários. Até porque a seca vai se prolongar por mais quatro anos” – disse. Ele acrescentou que a aprovação do Projeto de Lei que permite uso de aviões agrícolas no combate aos incêndios também exige medidas adicionais. “Não basta ter os aviões. Combater incêndios é diferente de jogar herbicida na plantação. É preciso mais treinamento” – salientou.

Leia Também:  Barranco denuncia desvio de R$ 500 milhões irregulares em contas do governo Pedro Taques em 2016

Segundo Wellington Fagundes, o fogo já destruiu mais de 4 milhões de hectares da vegetação do Pantanal mato-grossense. Em setembro, foram registrados mais de 8 mil focos de fogo no bioma, constituindo um recorde histórico. Com o atraso das chuvas, foi registrado também o pior mês de outubro em focos de incêndio da história, com 2.825 queimadas. O recorde até então, para o mês, era do ano de 2002, quando haviam sido registrados 2.761 focos.

Além da criação de uma brigada permanente para combate aos focos de incêndios no Pantanal Mato-grossense, o presidente da CTE Pantanal voltou a defender a necessidade de criação de programas que possam permitir o uso sustentável do bioma pelas comunidades tradicionais. “Não podemos abandonar o Pantanal” – disse.

Homenagem aos brigadistas – Na audiência que acontece nesta sexta-feira (29.10), Wellington Fagundes anunciou que a CTE Pantanal vai realizar uma homenagem ao piloto da Força Nacional, Renato de Oliveira Souza, que estava a bordo do helicóptero que sofreu um acidente no Pantanal no dia 08 de outubro, vindo a falecer no último dia 27. O piloto era agente especial da Polícia Civil do Distrito Federal e fazia parte da equipe da Força Nacional desde maio de 2016. Tinha 55 anos de idade e já havia atuado em vários Estados, em missões importantes como as Olimpíadas de 2016 e os resgates em Brumadinho, em 2019.

Leia Também:  Educadores da EE Luz do Saber entregam brinquedos, doces e apostilas para alunos especiais

 

Continue lendo

PUBLICIDADE

POLÍTICA

ECONOMIA

VARIEDADES

MAIS LIDAS DA SEMANA