Política

Após críticas, Bolsonaro desiste de soltar onça no Pantanal

Publicado

na

O plano das equipes do presidente Jair Bolsonaro e do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, de fazer uma viagem ao Pantanal, na próxima semana, para acompanhar a soltura de uma onça-pintada que sobreviveu às queimadas foi cancelado.
A ideia, revelada pelo Estadão, tinha causado mal estar entre alguns voluntários que acompanham o processo de salvamento do felino e gerado críticas nas redes sociais.

Auxiliares do presidente Bolsonaro afirmam que ele tem viagens programadas para São Paulo, no dia 21, e para o Maranhão, no dia 23. Por enquanto, não há previsão de uma nova data para ida dele ao Pantanal.

O resgate e o tratamento do Ousado, nome dado por nativos à onça, foram providenciados e custeados por ONGs e voluntários, sem participação do governo.

Autoridades federais apenas cederam o helicóptero da Marinha que tirou o animal de Poconé (100 km ao Sul de Cuiabá) e o levou até a Capital no mês passado, antes de os cuidados serem reassumidos por grupos não governamentais.

Leia Também:  Paulo Guedes recebe novo elogio de Bolsonaro e joga água fria no fogo amigo

Nas redes sociais, usuários se queixaram da possível participação do presidente na reinserção do animal na natureza porque a atuação federal na recuperação foi mínima.

O Governo é duramente criticado pela falta de respostas para conter as queimadas que quase mataram o felino.
Ousado, que chegou a ter queimaduras de segundo grau nas quatro patas, foi tratado na ONG NEX No Extinction. Localizada em Corumbá de Goiás, a 80 quilômetros de Brasília, a instituição é referência no cuidado a onças há 20 anos e recebeu o animal do Pantanal a pedido de técnicos do governo.

Diante de críticas sobre a possível participação do presidente e do ministro no ato de reinserção, a entidade emitiu uma nota de esclarecimento para dizer que não é proprietária da onça e não é capaz de definir como, quando e onde será a soltura.

“Avisamos aos órgãos competentes sobre a alta, solicitamos a reintrodução na natureza o quanto antes, e só. O que acontece a partir daí não nos compete”, diz trecho do comunicado.

Por Vinícius Valfré e Jussara Soares
Fonte: Estadão Conteúdo – São Paulo 

Política

Governador afirma que concessão vai mudar história da Região Norte de MT

Publicado

na

O governador Mauro Mendes inaugurou nesta sexta-feira (23.10) os trabalhos de restauração e modernização de 188,2 quilômetros das rodovias MT-320 e MT-208, durante evento em Colíder, e destacou o salto de desenvolvimento que a Região Norte de Mato Grosso terá com a essas melhorias rodoviárias.

Segundo o governador, a rodovia vai contribuir com a economia, a geração de emprego e a qualidade de vida da população – além de ser a concretização de um desejo de décadas dos moradores da região.  

“Ao longo de 40 anos, essa estrada sempre teve buraco, problemas. Uma hora era ruim, outra pior, outra horrível. Recupera um pouco e logo está ruim de novo. Essa história vem ao longo de décadas e agora, com essa solução, as pessoas vão pagar um pouquinho com isso, mas vão economizar tempo, pneu, amortecedor, vão ter o direito de ir e vir e o progresso chega onde tem estrada boa, onde você tem uma boa logística”, afirmou. 

Governador inaugura recuperação de rodovia

“A região como um todo ganha muito, novos investimentos virão para cá em função de uma boa logística. Novos empregos serão gerados. Tem uma cadeia gigante de muitos benefícios para Colíder e todas as cidades que estão ao longo das MTs 320 e 208, que estarão interligadas à BR-163”, completou.

Os investimentos foram realizados pela concessionária Via Brasil MT e atendem ao Plano de Exploração Rodoviário do contrato de concessão de 188 quilômetros – no trecho entre os municípios de Alta Floresta, Nova Santa Helena, Colíder, Carlinda e Nova Canaã do Norte – assinado no ano passado.  A concessão, que tem prazo de 30 anos, previa que as melhorias se iniciassem já no primeiro ano da formalização do contrato. 

Para o governador, a recuperação e modernização da rodovia, por meio da concessão, é uma solução adotada em todo o mundo para solucionar os gargalos logísticos – e está sendo adotada também em  Mato Grosso, que  possui mais de 32 mil quilômetros de rodovias estaduais e, sozinho, o Poder Público não teria condições de garantir a pavimentação de todas as rodovias e a execução da manutenção.

“Essa estrada tem quase 40 anos e, nesse tempo todo, ela nunca esteve como está aqui hoje. Nós fizemos essa concessão porque o Estado não consegue fazer tudo aquilo que precisa fazer e dar a manutenção depois. Quem já teve a oportunidade de conhecer a Europa, Estados Unidos, China, os grandes países do mundo, todas as grandes rodovias estão em concessão. O Governo faz, passa para a concessionária para manter e, durante 30 anos, quem passar por essa estrada pode ter a certeza de que vai andar em uma estrada com  segurança, com condições, bem sinalizada, com equipamentos de socorro e com tudo aquilo que têm nas melhores estradas brasileiras, nas melhores estradas do mundo”, disse o governador. 

Todas as melhorias realizadas foram fiscalizadas pela Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística (Sinfra) e, com a entrega desses serviços iniciais, a Agência Estadual de Regulação dos Serviços Públicos Delegados de Mato Grosso (Ager) passa a fiscalizar se todas as cláusulas do contrato de concessão estão sendo cumpridas.

Entre elas, a aplicação dos investimentos na ordem de R$ 1,9 bilhão, previstos para serem realizados ao longo da concessão, e a operação comercial, que deve vir acompanhada da prestação de uma série de serviços de apoio ao usuário, 24 horas por dia.

Com este trecho concessionado, o Governo de Mato Grosso soma 923,4 quilômetros de rodovias repassados à iniciativa privada para a prestação dos serviços de conservação, recuperação, manutenção, implantação de melhorias e operação rodoviária, de acordo com o secretário de Estado de Estado de Infraestrutura e Logística (Sinfra), Marcelo de Oliveira.

“O Estado tem 7,2 mil quilômetros de estradas estaduais pavimentadas e outros 22 mil quilômetros de estradas não-pavimentadas. Temos 2,4 mil pontes de madeira nas rodovias estaduais. Essas rodovias não pavimentadas e as pontes de madeira são o grande obstáculo de infraestrutura para o Estado de Mato Grosso. O grande obstáculo de crescimento e desenvolvimento do Estado, que estamos diminuindo com essas parcerias e concessões”, disse.

Além do governador Mauro Mendes e do secretário Marcelo de Oliveira, participaram do evento o presidente da Ager, Luís Alberto Nespolo, o presidente da Via Brasil MT, João Garcia Couri Neto, deputados federais, deputados estaduais, entre outras autoridades da região.

Fonte: GOV MT

Leia Também:  Paulo Guedes recebe novo elogio de Bolsonaro e joga água fria no fogo amigo
Continue lendo

PUBLICIDADE

POLÍTICA

ECONOMIA

VARIEDADES

MAIS LIDAS DA SEMANA