Destaque

Saúde estadual quer conhecer perfil dos médicos e possibilidades de atuar no combate a hanseníase

Publicado

na

A Secretaria Estadual de Saúde (SES-MT), por meio da Coordenadoria de Atenção às Doenças Crônicas (COAC) e da Escola de Saúde Pública (ESP-MT), quer conhecer o perfil da força de trabalho da classe médica para a atuação no enfrentamento da hanseníase. O objetivo da pesquisa é planejar ações de qualificação na área em parceria com a Sociedade Brasileira de Hansenologia.

A pesquisa será feita por meio do preenchimento de um formulário on-line até o dia 30 de outubro. Uma vez que a hanseniáse é hiperendêmica em Mato Grosso, todos os médicos podem participar da pesquisa, não apenas aqueles que já trabalham no combate à doença.

“Trata-se da análise do perfil dos médicos de Mato Grosso para possível participação em futura especialização em Hansenologia que está sendo construída pela Escola de Saúde Pública – ESP em parceria com a Sociedade Brasileira de Hansenologia (SBH). O curso será coordenado pela ESP, SBH e Coordenadoria de Atenção às Doenças Crônicas”, explicou a coordenadora da COAC, Ana Carolina Landgraf.

Leia Também:  Fumaça e os problemas para a saúde humana

De acordo com a gestora, a qualificação é uma das ações previstas no Plano Estadual Estratégico de Enfrentamento da Hanseníase em Mato Grosso, que objetiva estruturar a rede de cuidados integrais com foco na linha de cuidado da hanseníase. Para isso, a Escola de Saúde Pública tem a missão de conduzir a formação dos trabalhadores da saúde buscando a excelência no ensino e em atendimento as necessidades de educação permanente em saúde para o SUS. Por esse motivo a COAC e a ESP trabalham juntas e em parceria com a SBH, buscando definir estratégias que melhor atendam às necessidades regionais de todo o estado.

O formulário está disponível para médicos neste link: https://forms.gle/d81EyaTx19rSzxE5A.

Para mais informações, entre em contato com a Coordenadoria de Atenção às Doenças Crônicas pelo e-mail: coac@ses.mt.gov.br

Fonte: Governo de Mato Grosso

Destaque

Sexta-feira (30): Mato Grosso registra 143.325 casos e 3.846 óbitos por Covid-19

Publicado

na

A Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT) notificou, até a tarde desta sexta-feira (30.10), 143.325 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, sendo registrados 3.846 óbitos em decorrência do coronavírus no Estado.

Foram notificadas 278 novas confirmações de casos de coronavírus no Estado. Dos 143.325 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, 5.269 estão em isolamento domiciliar e 133.721 estão recuperados.

Entre casos confirmados, suspeitos e descartados para a Covid-19, há 148 internações em UTIs públicas e 135 em enfermarias públicas. Isto é, a taxa de ocupação está em 36,72% para UTIs adulto e em 15% para enfermarias adulto.

Dentre os dez municípios com maior número de casos de Covid-19 estão: Cuiabá (29.223), Rondonópolis (10.599), Várzea Grande (10.043), Sinop (7.104), Sorriso (6.332), Lucas do Rio Verde (5.893), Tangará da Serra (5.694), Primavera do Leste (4.939), Cáceres (3.473) e Campo Novo do Parecis (2.887).

A lista detalhada com todas as cidades que já registraram casos da Covid-19 em Mato Grosso pode ser acessada por meio do Painel Interativo da Covid-19, disponível neste link.

Leia Também:  Bolsonaro ensaia privatizar Unidades de Saúde, mas desiste da ideia

O documento ainda aponta que um total de 115.464 amostras já foram avaliadas pelo Laboratório Central do Estado (Lacen-MT) e que, atualmente, restam 482 amostras em análise laboratorial.

Cenário nacional

Na última quinta-feira (29), o Governo Federal confirmou o total de 5.494.376 casos da Covid-19 no Brasil e 158.969 óbitos oriundos da doença. No levantamento do dia anterior, o país contabilizava 5.468.270 casos da Covid-19 no Brasil e 158.456 óbitos confirmados de pessoas infectadas pelo coronavírus.

Até o fechamento deste material, o Ministério da Saúde não divulgou os dados atualizados de sexta-feira (30).

Recomendações

Atualmente, não existe vacina para prevenir a infecção pelo novo coronavírus. A melhor maneira de prevenir a infecção é evitar ser exposto ao vírus. Os sites da SES e do Ministério da Saúde dispõem de informações oficiais acerca do novo coronavírus. A orientação é de que não sejam divulgadas informações inverídicas, pois as notícias falsas causam pânico e atrapalham a condução dos trabalhos pelos serviços de saúde.

O Ministério da Saúde orienta os cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o novo coronavírus. Entre as medidas estão:

Leia Também:  EXCLUSIVO, CRUSOÉ: Kassio Marques plagiou advogado em tese apresentada em Lisboa

– Lavar as mãos frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos. Se não houver água e sabão, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool;

– Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas;

– Evitar contato próximo com pessoas doentes;

– Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo;

– Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência.

Continue lendo

PUBLICIDADE

POLÍTICA

ECONOMIA

VARIEDADES

MAIS LIDAS DA SEMANA