Economia

Reabertura: cerca de 80% dos brasileiros já saem de casa

Publicado

na

Os brasileiros estão começando a retomar suas atividades  fora de casa , após a reabertura da economia. De acordo com pesquisa feita pelo C6 Bank/Datafolha, de cada dez brasileiros, oito (80% do total) foram a comércios de rua, retomaram atividades de  lazer e beleza ou utilizaram transporte público.

O levantamento foi feito entre os dias 21 e 31 de agosto, ouvindo 1.536 pessoas nas cinco regiões do Brasil.

Entre os brasileiros que flexibilizaram a quarentena, 50% visitaram shopping ou comércio de rua nos 15 dias anteriores à pesquisa, 24% foram a salões de beleza ou clínicas de estética, 21% estiveram em restaurantes ou lanchonetes e 16% frequentaram parques ou praças.

retomada das atividades é mais comum entre os perfis mais escolarizados da população e com maior renda. Entre brasileiros das classes A/B, 54% relatam compra em lojas do comércio de rua ou visita a shopping.

— Depois de um período longo de quarentena, a maior parte da população já retomou as atividades que costumava realizar antes da pandemia — diz Paulo Alves, gerente de pesquisas do Datafolha.

A pesquisa aponta que a retomada das atividades é mais frequente entre os perfis mais escolarizados da população e com maior renda. Entre brasileiros das classes A/B, 54% fizeram compras em lojas do comércio de rua ou visita a shopping.

A pesquisa também mostra que 37% dos entrevistados aumentaram os gastos com atividades e compras fora de casa, enquanto 31% mantiveram o nível de gastos. Estes dois grupos concentram 68% dos entrevistados. Já 32% dos brasileiros estão gastando menos atualmente.

Os dados da pesquisa corroboram o que os indicadores econômicos vêm mostrando. De acordo com o IBGE, as vendas do comércio varejista registraram em julho o melhor resultado para o mês em 21 anos. A alta de 5,2%, na comparação com junho, representou o terceiro mês seguido de ganhos.

Ao passo que o varejo avança com vigor, os serviços – que dependem bastante do contato pessoal entre pessoas – ainda patina para se recuperar. Embora tenha avançado 2,6% em julho, ainda está longe de apagar os danos causados pelos fechamentos de bares, hotéis, clubes etc. durante o auge da pandemia no país.

Uso de transporte público

A pandemia também alterou os hábitos dos brasileiros em relação aos transportes públicos na reabertura. Entre os entrevistados, 40% aumentaram o uso de meios alternativos ao transporte público que não tinham o hábito de usar antes da quarentena, como bicicleta e carro próprio.

A pesquisa mostra que 30% do público usou transporte público nos 15 dias anteriores à pesquisa, percentual abaixo das médias registradas antes da pandemia.

Fonte: Economia iG 

Leia Também:  Cientistas brasileiros criam gel à base de nióbio que inibe o novo coronavírus
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Balança do agronegócio tem superávit recorde de US$ 61,5 bi até agosto, diz CNA

Publicado

na

A balança comercial brasileira do agronegócio registrou superávit recorde de US$ 61,5 bilhões de janeiro a agosto de 2020. As exportações somaram, em receita, US$ 69,6 bilhões no acumulado dos oito primeiros meses deste ano, alta de 8,3% em relação ao mesmo período de 2019, e 152,4 milhões de toneladas em volume (aumento de 15,8%). Já as importações no período (US$ 8,1 bilhões) tiveram queda de 11,9% ante igual período de 2019.

Os dados foram divulgados pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), com base nas informações do Ministério da Economia.

Os produtos mais exportados foram: soja em grãos (US$ 25,7 bilhões); carne bovina in natura (US$ 4,8 bilhões); o açúcar de cana em bruto (US$ 4,2 bilhões); a celulose (US$ 4 bilhões) e farelo de soja (US$ 3,9 bilhões). Esses cinco produtos representaram 61,3% dos embarques totais no período.

Em contrapartida, foram destaque na importação no período: trigo (US$ 986,2 milhões); papel (US$ 442,5 milhões), álcool etílico (US$ 354,7 milhões) e malte (US$ 303,1 milhões).

A China foi o principal destino dos produtos brasileiros de janeiro a agosto, com receita de US$ 26,4 bilhões e uma parcela de 38% das exportações. O segundo mercado foi a União Europeia, que respondeu por 16% dos embarques do agro, que somaram US$ 11,3 bilhões. As vendas para os Estados Unidos foram de US$ 4,2 bilhões, fatia de 6,1% do total. Japão e Hong Kong completam a lista dos principais consumidores no acumulado de 2020.

Agosto

No desempenho mensal, as exportações em agosto totalizaram US$ 8,9 bilhões, fechando o mês com saldo positivo de US$ 8 bilhões, aumento de 7,8% em relação a agosto de 2019. Em volume, o total embarcado foi de 22,2 milhões de toneladas, variação de 15,4% na comparação com o mesmo mês do ano passado.

Os principais produtos exportados no mês foram a soja em grãos (US$ 2,2 bilhões), o milho (US$ 1 bilhão) o açúcar de cana em bruto (US$ 824,3 milhões), a carne bovina in natura (US$ 654,2 milhões) e o farelo de soja (US$ 497 milhões), que tiveram participação de 58,7% do total das vendas externas no mês. China, União Europeia, Estados Unidos, Coreia do Sul e Tailândia foram os principais destinos dos produtos do agro brasileiro.

A CNA também analisou o comércio de alguns produtos que fazem parte do escopo do projeto Agro.BR, desenvolvido em parceria com a Apex Brasil para estimular a inserção de pequenos e médios produtores rurais no mercado internacional. Destaque para chá, mate e especiarias, frutas, lácteos, pescados e produtos apícolas.

Fonte: Estadão Conteúdo – São Paulo
Leia Também:  "Crie o Impossível" abre inscrições e convoca alunos de escolas públicas de todo o país
Continue lendo

PUBLICIDADE

POLÍTICA

ECONOMIA

VARIEDADES

MAIS LIDAS DA SEMANA