Maia defende reunião entre Poderes para selar um novo pacto 

Conflitos institucionais

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), defendeu nesta terça-feira (23) em videoconferência promovida pela Câmara de Comércio França-Brasil, que o governo federal convoque uma reunião com representantes dos Três Poderes para reduzir os conflitos institucionais e fazer uma pactuação. Ele cobrou do governo federal uma agenda para o período pós-pandemia. A pacificação entre os Poderes e a defesa do meio ambiente seriam sinalizações importantes para não afastar investidores. Um pacto entre os Poderes já foi tentado em maio do ano passado, com reuniões e sinalizações de objetivos comuns, mas foi sendo abandonado com o aumento da tensão entre os Poderes, especialmente nos últimos meses.

Estratégia de testagem

O ministro interino da Saúde, general Eduardo Pazuello, informou que deve apresentar até esta quarta-feira (24) a estratégia de testagem do governo para a covid-19. O Ministério da Saúde pretende realizar testes para covid-19 em 12% da população na modalidade RT-PCR (molecular) e outros 12% pelo meio sorológico no plano de orientação de testagem em massa. Ele participou nesta terça-feira (23) de audiência pública remota da comissão mista que acompanha as medidas do governo federal para o enfrentamento da pandemia de coronavírus.

‘Dar spoiler’

Pazuello disse inicialmente que não queria “dar spoiler”, ou seja, antecipar informações sobre essa estratégia, mas, em um segundo momento da reunião, pediu que o secretário de Vigilância em Saúde, Arnaldo Correia de Medeiros, apresentasse uma explicação adicional. O ministro admitiu que “demorou um pouquinho” para apresentar a orientação porque “precisava tirar todas as dúvidas para poder apresentar. Nós fizemos uma orientação para testagem em massa e diagnósticos. Essa orientação já está pactuada, aprovada. A gente está com ela aqui na mão — anunciou Pazuello. Em seguida, Medeiros informou que o Ministério da Saúde pretende testar 24% da população.

Suspensão de inquérito

A ministra do STF (Supremo Tribunal Federal) Cármen Lúcia vai relatar o primeiro pedido de suspensão do inquérito dos atos antidemocráticos, que é conduzido pelo ministro Alexandre de Moraes. Por meio de sorteio, ela foi escolhida nesta segunda-feira (22) para decidir sobre o habeas corpus 187.494, apresentado pela defesa de Sergio Lima, publicitário do partido em formação Aliança pelo Brasil. Ele foi alvo de busca e apreensão na operação, além de ter tido quebra de sigilo de dados postais, telemáticos e bancário.

Freio ao desmatamento

Um grupo formado por quase 30 instituições financeiras em todo o mundo exige que o governo brasileiro freie o crescente desmatamento no País, segundo publicou nesta terça-feira, 23, o jornal britânico Financial Times. Para o grupo, a continuidade da prática criou “uma incerteza generalizada sobre as condições para investir ou fornecer serviços financeiros ao Brasil”.A carta foi entregue ao governo brasileiro na terça-feira em meio às crescentes as preocupações de que os investidores possam começar a desinvestir da maior economia da América Latina se o governo de Jair Bolsonaro falhar em conter a destruição ambiental.

Florestas tropicais

“Como instituições financeiras, que têm o dever fiduciário de agir no melhor interesse de longo prazo de nossos beneficiários, reconhecemos o papel crucial que as florestas tropicais desempenham no combate às mudanças climáticas, protegendo a biodiversidade e assegurando serviços ecossistêmicos”, afirmou a carta, assinada por 29 instituições financeiras que gerenciam mais de US$ 3,7 trilhões em ativos totais.

Moro X Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaro perdeu 25% de popularidade digital com a prisão de Fabrício Queiroz e viu o ex-aliado Sergio Moro se aproximar novamente dele no quesito alcance em redes sociais, segundo ranking da consultoria de dados Quaest. No sábado (20), dois dias após a ação que mirou o ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), Bolsonaro registrou no IPD (Índice de Popularidade Digital) 58,7 pontos, seu pior resultado na série histórica. No dia 15, ainda sem a sombra do escândalo que envolve seu núcleo familiar, o presidente tinha alcançado 79,3 pontos no ranking, em que as notas variam de 0 a 100.O principal beneficiado com a captura do amigo dos Bolsonaros, segundo a Quaest, foi Moro, que teve um incremento na presença digital e chegou a 41,4 pontos no sábado, ante 22 do início da semana –salto de 88%.

Mulher do Queiroz

A defesa de Márcia Oliveira de Aguiar, mulher de Fabrício Queiroz, entrou com pedido de habeas corpus na Justiça do Rio nesta segunda-feira (22). Ela está foragida desde a quinta-feira da semana passada, quando foi alvo de mandado de prisão preventiva. O marido está preso desde então.O pedido foi apresentado na segunda à noite pela banca do advogado Paulo Emílio Catta Preta. Na manhã desta terça, foi distribuído para a 3ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça – colegiado de cinco desembargadores que julga, na quinta, 25, um habeas corpus de Flávio Bolsonaro, senador pelo Rio de Janeiro (Republicanos) e filho do presidente da República, Jair Bolsonaro.Márcia é acusada de ajudar na suposta obstrução de Justiça ao longo das investigações sobre a “rachadinha” no antigo gabinete de Flávio Bolsonaro na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj). Queiroz seria o operador do esquema.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *