Cotidiano

Covid-19: Conheça os quatro vilões do orçamento em tempos de crise

Publicado

na

Especialista explica como evitar os gastos desnecessários e garantir o controle do dinheiro

O mês de março marcou o início da quarentena no Brasil e, com isso, foi registrado um nível recorde de efeitos na economia do país e nas finanças do brasileiro. Neste momento, os cuidados com as finanças pessoais precisam ser ainda mais reforçados para que os prejuízos financeiros não sejam de grandes endividamentos no período pós pandemia. Para isso, Carlos Terceiro, CEO e fundador do Mobills, aplicativo de gestão de finanças pessoais, fala sobre cada um dos principais “vilões” que podem influenciar a perda do controle do dinheiro neste período.

• Compras impulsivas em lojas online

Comprar online agora é mais do que cômodo, virou questão de necessidade. Por esse motivo, o cuidado para não comprar o que não precisa e extrapolar no uso do cartão de crédito deve ser redobrado. Os grandes descontos que várias lojas de diferentes setores estão oferecendo nesse período nos estimulam a fazer compras mesmo sem necessidade. Para que isso não aconteça, é importante definir orçamentos antes de fazer compras e ter certeza que você não está comprando por impulso. Para ter certeza vale se perguntar: Eu quero? Eu posso? Eu preciso? O preço está realmente bom?

Leia Também:  Justiça encontra dinheiro em contas de prefeitura e determina pagamento de servidores em MT
• Excessos na ida ao supermercado

Esse ponto, além de ser prejudicial para as finanças, é também hoje uma limitação e precaução que todos nós devemos ter para a contenção do novo coronavírus no país. Fazer listas de compras bem pensadas nas suas reais necessidades de consumo e fazer pesquisas de preços em supermercados da sua região, resultarão em uma economia no final do mês, além de contribuir para o bem-estar e saúde de toda população nesse cenário de pandemia.

• Linhas de crédito com altas taxas de juros

O crédito já estava sendo cada vez mais facilitado mesmo antes da crise. Agora, é preciso avaliar o Custo Efetivo Total das linhas de crédito que geralmente têm altos custos que vão além das taxas de juros elevadas. Recorrer à empréstimos deve ser uma das últimas alternativas nesse momento, mas sabendo que esta é a única alternativa possível para algumas pessoas, essa decisão deve ser muito bem pensada. Por isso, é recomendado conhecer bem a instituição de crédito antes de solicitá-lo ou fazer algum acordo.

Leia Também:  Manobras feitas na contramão estão entre as infrações mais frequentes no trânsito de Cuiabá
• Perda de renda

Infelizmente, nesse cenário, muitas pessoas perderam sua principal fonte de renda, então é um momento de se reinventar, buscar alternativas de renda online ou mesmo dar início a um negócio próprio. É um momento que exige sairmos da nossa zona de conforto, ao passo em que também conhecemos nossas habilidades para que possamos investir em oportunidades que nos agradem e nos gerem renda quando mais precisamos. Negociar objetos que não utiliza mais, prestar consultoria, gerir mídias sociais e produzir textos, são alguns exemplos de fonte de uma renda extra. As redes sociais são fortes aliadas para divulgação do comércio e serviço e para ajudar pequenos negócios o Instagram criou uma nova ferramenta de divulgação na plataforma.
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cotidiano

Pessoas que tiveram dengue podem ter imunidade à Covid-19, diz cientista

Publicado

na

O cientista brasileiro Miguel Nicolelis acredita ter encontrado uma relação importante entre a infecção provocada pelo novo coronavírus e a dengue.

O professor na Universidade Duke, da Carolina do Norte, afirma que pessoas recuperadas da dengue nos últimos meses podem ter desenvolvido anticorpos que sirvam para protegê-las da Covid-19.

A hipótese surgiu depois de Nicolelis observar mapas epidemiológicos das duas doenças. O professor percebeu que elas têm uma tendência de distribuição complementar: as regiões com muitos casos de dengue entre 2019 e o início de 2020 tiveram menos registros de mortes pelo Sars-CoV-2 ou uma curva mais lenta de transmissão comunitária.

As informações do estudo são preliminares e ainda precisam passar por revisão de pares antes de serem publicadas em uma revista científica.

De acordo com a Reuters, Nicolelis afirma que a “descoberta surpreendente levanta a intrigante possibilidade de uma reação cruzada entre o vírus da dengue e o Sars-CoV-2”.

O cientista lembrou ainda que, em outros trabalhos, já foram identificados pacientes com anticorpos para a dengue que testaram positivo para o coronavírus mesmo sem terem tido contato com ele, o que reforçaria a tese de interação imunológica entre os dois vírus.

Fonte: Metrópoles

Leia Também:  Sema oferece curso de Gestão Ambiental em Porto Alegre do Norte
Continue lendo

PUBLICIDADE

POLÍTICA

ECONOMIA

VARIEDADES

MAIS LIDAS DA SEMANA