Por que Prior está acumulando tantos apoios entre os espectadores?

Certa vez comentaram com o jornalista e técnico João Saldanha (1917-1990) que determinado jogador não era boa pessoa. Ele respondeu: “Não quero Fulano pra se casar com a minha filha, mas pra jogar no meu time”. A frase é muito politicamente incorreta em 2020, mas ajuda a entender a experiência que alguns espectadores têm ao assistir o BBB. Significa que há participantes úteis para o andamento do reality show, capazes de nos divertir, mesmo não sendo primores em matéria de comportamento ou caráter.

Significa que há participantes úteis para o andamento do reality show, capazes de nos divertir, mesmo não sendo primores em matéria de comportamento ou caráter.

Apreciar figuras deste naipe não é a mesma coisa que justificar comportamentos que configurem qualquer tipo de crime, assédio, importunação. Muito pelo contrário. Isso é inaceitável. Mas compreendo quem não tem nada contra participante que fala besteira e diverte. E que surpreende, é original, afronta o senso comum etc.

No caso do “BBB 20”, em particular, não é possível compactuar com machismo, mas isso não implica em “cancelar” alguém no jogo porque fez algum comentário machista. Fazer uma observação grosseira numa conversa entre amigos é horrível, mas é diferente, na minha opinião, do que tentar beijar a força ou se esfregar em mulher… Nesta altura do reality, passadas quatro semanas, muito do interesse que Felipe Prior desperta está relacionado ao fato de que destoa da maioria dos participantes. É imperfeito, mas não esconde isso. Aliou-se no primeiro terço do programa com os piores tipos, mas sobreviveu.

Prior olha torto, parece aluno da turma do fundão, fala tudo que pensa (“Não tô aqui pra aprender”), é sábio (“se ficarem só as mulheres, o BBB vai virar The Voice”) e não está nem aí para o que pensam dele. Estas características ajudam a entender por que Prior tem recebido tanto apoio nas redes sociais. Não é de gente que quer ser amigo ou se casar com o participante, mas que está se divertindo com a sua estratégia de jogo.

Por Mauricio Stycer do UOL

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *