Poesia Mato-grossense

É memorável,  aniversário de um dos maiores poetas brasileiros do século XX, Manoel de Barros, cuiabano nascido no bairro do Porto. “Venho de uma Cuiabá de garimpo e ruelas entortadas…”, diz o poeta em seu “Autorretrato falado”.

“Poesia é voar fora da asa”, nos conta o poeta, ao referir-se a quanto ela nos permite voar e sermos livres.

É extraordinário perceber como a poesia nos ajuda a voar, viajar, e até mesmo a refletir sobre tantos aspectos da vida. Ao trabalhar com meus alunos a literatura mato-grossense e seus respectivos autores, percebo o quanto eles ficam encantados. Nesse trabalho conheci autores que tem na alma a poesia. E são encantadores. Outro aspecto relevante é como a poesia transforma e faz e faz com que as pessoas possam ir muito além da imaginação. Apresentar a literatura e os autores mato-grossenses aos alunos, utilizando a sua produção como recurso didático e de formação, nos têm dado resultados extraordinários. O sentimento de pertencimento faz com que haja uma grande conexão e empatia por parte dos alunos, e percebo um “despertar de sensibilidades”.

Nesse contexto, o dia da poesia deve ser lembrado e trabalhado em todas os níveis escolares para que o aluno tenha contato com ela desde cedo e a incorpore, sem mesmo compreendê-la, a princípio. Outrossim, é necessário estimular a criança desde cedo a conhecer esse mundo encantador que começa na infância.

Considero que o dia da poesia deva ser lembrado e comemorado em todos os âmbitos, visto que por meio dela podemos voar sem asas.

E você, já leu uma poesia hoje?

*Silbene Rapozeiras
Professora de Literatura do Colégio Salesiano São Gonçalo

Fotos em anexo.
Sugestão de legenda: Silbene Rapozeiras com alunos de Literatura do Colégio Salesiano São Gonçalo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *