Piran é preso e tem carros de luxo sequestrados pela Justiça

O empresário Valdir Piran foi preso, na manhã desta terça-feira (22), em Brasília, durante a Operação “Quadro Negro”, da Polícia Judiciária Civil, por meio da Delegacia Especializada de Combate à Corrupção (DECCOR).A operação visa dar cumprimentos a mandados de prisão preventiva e de busca e apreensão domiciliar com o objetivo de apurar desvios ocorridos no antigo Centro de Processamento de Dados do Estado (Cepromat), atual Empresa Mato-grossense de Tecnologia da Informação (MTI).

O ex-presidente da Câmara de Cuiabá e do Cepromat, Wilson Celso Teixeira, o Dentinho, também foi preso na operação.

Também foram alvo de prisão o ex-diretor de gestão e tecnologia do órgão, Djalma Souza Soares; o fiscal de contratos Edevamilton de Lima Oliveira; ex-secretário-adjunto da Secretaria de Estado de Educação (Seduc), Francisvaldo Pereira de Assunção e Weydson Soares Fonteles.

Divulgação/Defaz

Valdir Piran recebido pela PF

Imagem mostra momento em que Polícia Civil cumpre mandado de prisão contra Valdir Piran

 

As ordens judiciais foram decretadas pela juíza Ana Cristina Silva Mendes da 7ª Vara Criminal da Capital.

Além dos mandados, foi decretado o sequestro de mais de R$10 milhões, em valores, imóveis e veículos de luxo.

Ao todo foram expedidos seis mandados de prisão preventiva e sete de busca e apreensão domiciliar, que serão cumpridos nas cidades de Cuiabá (MT), Brasília (DF) e Luziânia-GO.

A operação é coordenada pelos delegados Anderson Veiga, Luiz Henrique Damasceno e Bruno Lima Barcellos.

 

Nome da operação

Operação Quadro Negro, remete ao quadro e giz que ainda funcionam nas escolas, já que as lousas digitais eram falsas, bem como à situação (quadro) estrutural crítica que a educação básica se encontra em razão dos prejuízos causados pelos desvios.

 

 

Fonte: Midia News

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *