Mendes vê tarifa de energia elétrica cara, mas teme “politicagem”

O governador Mauro Mendes (DEM) defendeu cautela em relação às críticas da classe política contra a Energisa, concessionária de energia elétrica em Mato Grosso.

O “pedido” ocorre no momento em que a Assembleia Legislativa instala uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar a empresa.

Boa parte dos deputados entende que, além de tarifas “absurdas”, a Energisa ainda oferece um atendimento de péssima qualidade aos consumidores do Estado.

“A tarifa está cara. Quem regula isso é a Agência Nacional de Energia Elétrica. Não é um problema que esta sob a tutela do Estado de Mato Grosso. Vamos acompanhar isso como governo, vendo as informações. Agora, é preciso cuidado para não fazer politicagem”, advertiu o governador.

“É muito comum acontecer distorções de informações. Mas, com a verdade e honestidade, vamos estar ao lado para fazer o que é melhor e ajudar naquilo que for melhor para a população de Mato Grosso”, acrescentou.

A tarifa está cara.  Agora, é preciso cuidado para não fazer politicagem

As declarações foram dadas na última sexta-feira (18), quando o governador cumpria uma agenda no Município de Sinop (501 km de Cuiabá).

Recentemente, Mendes lembrou que o Estado ingressou na Justiça com uma ação de cobrança contra a empresa. A Energisa teria sonegado mais de R$ 600 milhões em ICMS que deveriam ter sido repassados ao Governo.

O diretor-presidente da Energisa, Riberto José Barbanera, por sua vez, justificou que o ICMS cobrado compreende o período de 2009 a 2013, quando a Energisa não estava no Estado.

“Ela é devida à Rede Cemat. Nesse caso, por força de uma liminar que esteve em vigência de cinco anos, não foi cobrado dos grandes clientes industriais que são quem de fato não recolheu ICMS ao Estado. Como não recebemos por conta dessa liminar, não repassamos”, explicou ele durante audiência pública na Assembleia Legislativa, no último dia 15.

 

CPI

 

A CPI que irá investigar a Energisa foi aprovada pela Assembleia Legislativa no último dia 10 e será presidida pelo deputado estadual Elizeu Nascimento (DC).

Segundo ele, a concessionária é líder de reclamações no Estado e a investigação é decorrente de um abaixo-assinado que reuniu quase 10 mil assinaturas.

Ainda não foram definidos todos os nomes que integrarão a comissão. Até o momento, foi oficializada somente a indicação do deputado Oscar Bezerra (PV).

Os trabalhos da CPI devem começar nos próximos dias.

 

 

Fonte: Midia News Foto: Reprodução

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *