Seminário convida professores para debater relação entre educação e brincadeira

Redação (com informações da assessoria)

 

O “Seminário sobre o Brincar” é um incentivo a atuação menos sistemática por parte dos educadores. E aborda temas que tratam a ludicidade e aprendizagem livre como instrumento pedagógico, pensando a educação não só dentro dos ambientes escolares. Com inscrição online, a entrada é gratuita e a partir das 18h30, no teatro do Sesc Arsenal.

O evento é uma das ações relacionadas com a exposição “Brinquedos do Brasil”, que busca discutir o papel do brincar na educação. A programação acontece durante dois dias, na quarta-feira (28) e na quinta-feira (29).

Para começar, será feita uma roda de conversa com a assistente técnica da Gerência de Estudos e Programas Sociais do Sesc São Paulo, Maria Augusta Araújo. A roda será um espaço de partilha e reflexão sobre a importância da educação.

Cada dia da programação conta com duas palestras, no primeiro dia, (28), a psicóloga, Adriana Klisys, é responsável por ministrar um debate em torno do tema “As crianças nasceram com a idade de brincar e inventam seus brinquedos”. A conversa será dedicada a educadores que acreditam no potencial de criação das crianças, e entendem o brincar como enriquecimento da cultura.

Para a próxima sessão, o professor de pedagogia da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Cleomar Ferreira traz o debate sobre “Brinquedos, brincadeiras e jogos na educação básica – aprendendo com retóricas lúdicas”. O professor desenvolverá narrativas com base na didática de obter os resultados positivos que pensam a educação de crianças com o uso de jogos e brincadeiras.

Já no segundo dia, (29), Adriana Klisys chama o público para uma conversa sobre as possibilidades que existem nas brincadeiras e como são fundamentais para construir uma percepção do mundo. Com o tema de “As crianças nasceram com a idade de brincar e inventam seus brinquedos”.

Encerrando a programação, a assistente técnica da Gerência de Estudos e Programas Sociais do Sesc São Paulo, Maria Augusta Araújo, divide com o público as experiências de atuação do projeto “Curumim”. O projeto trata-se de uma ação socioeducativa voltada à educação não formal. E vem há 32 anos, atendendo, gratuitamente, crianças de 7 a 12 anos contribuindo para suas capacidades de enxergar e atuar no mundo.

SERVIÇOS:  

Link para inscrição:  https://www.sympla.com.br/seminario-educacao-e-brincadeira-o-brincar-como-processo-de-aprender__620618
Telefone da Central de Relacionamento em Cuiabá: (65) 3611-0550

 

 

Foto: Assessoria

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *