Menor reaparece depois de dois dias e acusa ‘amigas lésbicas’ de estupro

Por Rafael Medeiros

Uma adolescente de 13 anos, que estava desaparecida desde o último sábado (13), reapareceu nessa última segunda-feira (15), alegando aos familiares ter sido drogada e estuprada por um bando de mulheres lésbicas. A menina é moradora do Bairro Nova Esperança, em Várzea Grande.

No domingo (14), a mãe da adolescente procurou a polícia para registrar o desaparecimento da garota. Na delegacia, ela disse que a filha saiu para tomar banho de piscina na casa de uma amiga da escola, porém, no final do dia, quando os pais procuraram a tal ‘amiga’, descobriram que a menina nem havia passado por lá.

Por volta da 0h do domingo (14), a mãe conseguiu trocar mensagens com a filha pelo whatsApp. A adolescente disse que não sabia onde estava e que estava com medo.

No fim da noite desta última segunda-feira (15), a mãe voltou a procurar a polícia afirmando que após dois dias a menina retornou para casa e contou que estava na companhia de outra amiga homossexual, que não a deixava ir embora da festa regada a álcool, drogas e promiscuidade.

A adolescente relatou que estava em uma casa no Bairro Planalto, em Cuiabá, que tinha festa o tempo todo, com bebidas, narguilé, maconha e key [droga em pó]. Ela afirmou, ainda, que foi drogada e abusada sexualmente por um bando de mulheres e um homem.

O primeiro boletim havia sido registrado como “desaparecimento de pessoa”; depois, o segundo, como “estupro”. A Polícia Judiciária Civil irá investigar o caso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *