Acusado de arrancar coração de tia faz deboches na delegacia: “Eu não devo explicação para o povo”

Lumar Lopes, de 28 anos, suspeito de matar e arrancar o coração da própria tia na noite desta terça-feira (2), disse que “não deve satisfação para sociedade” quanto ao crime que cometeu e acusou a imprensa de “sensacionalismo” durante uma entrevista na delegacia de Sorriso (400 de Cuiabá). Ao ser questionado por um repórter, o rapaz apresentou um comportamento assustador e logo disse que queria um advogado.

“Que negócio é esse, desse bando de gente aqui. Isso é sensacionalismo é “, disse entre as perguntas do repórter. Em seguida, ao ser interpelado do porque ter cometido um crime tão cruel, o suspeito responde: “Eu te devo algum tipo de explicação?” e depois completa “Eu não devo nada de explicação para o povo. Vocês podem me deixar em paz. Quero um advogado, eu tenho direito a um advogado e é só isso”, retrucou.

Maria Zélia Da Silva foi esfaqueada e teve o coração arrancado do tórax, depois de uma discussão. Em seguida, o suspeito levou o órgão para filha da vítima. Os relatos são de que a tia teria pedido para o sobrinho ir embora de casa após descobrir que ele fazia uso de entorpecentes na casa.

Durante a entrevista, o suspeito chegou a questionar se os repórteres acreditavam em Deus, elogiou o equipamento de um dos cinegrafistas e a exigir um advogado. Em outra tentativa de entrevista, o suspeito cita que mudou-se para Sorriso para trabalhar e que iria abrir uma loja de roupas.

“Ainda não está certo, seria para roupas de mulheres, mas pode ser de homem também. Vocês vão comprar de mim”, disse, em tom debochado.

Lumar foi preso pela Polícia Militar momentos depois do crime, após tentar fugir num veículo e abandoná-lo numa represa. A investigação é do delegado André Ribeiro, da Delegacia de Homicídios de Sorriso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *