Indeferido pedido de investigação contra Emanuel por suposto uso da máquina durante campanha

O Ministério Público Estadual (MPE) – por meio do Núcleo das Promotorias de Defesa do Patrimônio Público e da Probidade Administrativa -, indeferiu pedido de investigação contra o prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB) e o filho dele, o deputado federal, Emanuelzinho (PTB), sobre suposto uso da máquina pública para favorecimento na campanha eleitoral do filho em 2018.

 

Conforme denúncia feita de forma anônima e encaminhada pela Superintendência Regional da Polícia Federal em Mato Grosso, o prefeito emedebista teria utilizado da máquina pública para contratação de servidores públicos municipais para favorecer, em trabalho de cabo eleitoral, seu filho Emanuel Pinheiro Neto, mais conhecido como Emanuelzinho, na época candidato e agora eleito deputado Federal.

 

De acordo com a denúncia, o prefeito emedebista teria utilizado da máquina pública para contratação de servidores públicos municipais para favorecer, em trabalho de cabo eleitoral, seu filho Emanuel Pinheiro Neto, mais conhecido como Emanuelzinho, na época candidato e agora eleito deputado Federal

O MPE, no entanto, em despacho publicado nesta segunda-feira (24), indeferiu instauração de investigação sobre o caso. Contudo, deu 10 dias para quem denunciou se manifestar caso queira recorrer.

 

“Caso haja interesse, vossa senhoria poderá interpor recurso ao arquivamento, com as respectivas razões, no prazo de 10 dias, devendo ser protocolada neste órgão do Ministério Público”, diz trecho do documento.

 

Cenário Político

 

Recentemente, o prefeito Emanuel informou que o filho teria mudado seu domicílio eleitoral para Várzea Grande, como forma de atender sua base eleitoral onde assegurou 11 mil votos.

 

No último pleito, Emanuelzinho garantiu na cidade industrial sua segunda maior votação, dos mais de 76 mil que o elegeram deputado.

 

Despacho

despacho emanuel

 

 

 

Credito: OBomdaNoticia

Foto:Ednilson_Aguiar/Olivre

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *