Mesmo com maior arrecadação, Estado continua pagando dívidas de Taques

Mesmo com a arrecadação estadual apresentando resultados melhores que o previsto, o Governo de Mato Grosso ainda tenta liquidar as contas deixadas pelo ex-governador Pedro Taques (PSDB), cujo mandato terminou no dia 31 de dezembro. As informações são do governador Mauro Mendes (DEM), em conversa com jornalistas nesta manhã de segunda-feira (17) durante o lançamento do Programa Nota MT.

Na ocasião, o chefe do Executivo foi questionado se já há uma previsão sobre a nova arrecadação que o Estado deverá registrar em 2019. Na sexta-feira (14), o FolhaMax publicou uma reportagem apontando que até maio – cujos dados ainda não estavam fechados – já foram arrecadados o montante de R$ 11,7 bilhões, o que representa 61% do total previsto pela LOA 2019 (Lei Orçamentária Anual), fixado em R$ 19,2 bilhões.

“O problema é que o Estado tinha uma dívida muito grande. Está lá no balanço R$ 3,575 bilhões de restos a pagar. Uma parte desta arrecadação adicional é usada para pagar despesas continuadas que não foram pagas no exercício anterior. Tinha fornecedores de serviços essenciais que estavam com quatro meses, cinco meses, seis meses de atraso. Então nós estamos utilizando parte destes recursos financeiros para pagar uma parte destes atrasados, que já foram pagos, inclusive”, afirmou.

Mauro afirmou também a expectativa é que a arrecadação total ultrapasse, de fato, o previsto para 2019, mas não confirmou se há ou não uma nova previsão de arrecadação para este ano.

Uma das medidas para impulsionar a arrecadação é o lançamento do Programa Nota MT, que sorteará premiações todos os meses a cidadãos que exigirem o fornecimento de nota fiscal em produtos comprados o serviços contratados.

O objetivo é dificultar a sonegação de impostos, que é facilitada quando não há exigência da nota fiscal.

Fonte: FolhaMax | Foto: Ednilson Aguiar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *