Selma vê superexposição: “Moro não ultrapassou limite ético”

A senadora Selma Arruda (PSL) saiu em defesa do ministro da Justiça, Sérgio Moro, após uma série de reportagens publicadas pelo site “The Intercept Brasil” mostrarem conversas mantidas entre o ex-juiz federal e o procurador da República, Deltan Dallagnol, coordenador da força-tarefa da Operação Lava-Jato.

 

Conforme o site, Moro teria orientado as investigações da Lava Jato em Curitiba, sugerido que o procurador trocasse a ordem de fases da operação, além de ter dado conselhos e pistas informais de investigação. Tudo isso, por meio de mensagens trocadas por meio do aplicativo Telegram.

 

Para a senadora, ainda é muito prematuro expressar qualquer opinião relativa ao episódio. Especialmente porque, segundo ela, os vazamentos revelam conteúdos reportados pelo site, não sendo possível ter conhecimento exato de todo o conteúdo das mensagens.

Acredito que o juiz Sergio Moro, ainda que tenha sido realmente o autor dessas frases, não ultrapassou os limites do que é ético ou legal

“Temos uma frase, duas e daí tiram conclusão. Então, é muito prematuro falar isso. Outra coisa: acredito que o juiz Sergio Moro, ainda que tenha sido realmente o autor dessas frases, não ultrapassou os limites do que é ético ou legal”, afirmou Selma.

Segundo ela, os diálogos mostrados pela reportagem são “naturais” entre colegas de trabalho.

 

A senadora também disse ver uma “superexposição” do caso e, em sua avaliação, não há motivo para o “escândalo” que estão fazendo em torno do episódio.

 

“Você trabalha o tempo todo com determinada equipe de promotores, delegados, mesmo advogados. Você troca ideias com eles, isso é natural. Agora, acho que estão fazendo uma superexposição de uma coisa que está sendo vista de forma parcial”, disse.

 

“Diálogos não inocentam”

 

A senadora afirmou também que, ainda que os conteúdos divulgados pelo The Intercept Brasil sejam verdadeiros, eles não inocentam aqueles que foram condenados com base nas investigações relativas à operação Lava Jato.

 

Esses diálogos não desautorizam a altura moral dos Sérgio Moro e nem desqualificam qualquer prova que tenha sido levada para esses processos

Entre os alvos está o ex-presidente da República Luis Inácio Lula da Silva, condenado a 9 anos e 6 meses de prisão pelos crimes de corrupção passiva e de lavagem de dinheiro.

 

“Ainda que todos esses conteúdos sejam verdadeiros – e todo contexto leva a crer que isso que está sendo noticiado é verdade -, isso não inocenta ninguém. Isso não desconstitui nenhuma prova que foi constituída, isso não é motivo para anulação de processo, não é motivo para se retroceder”, afirmou.

 

“Precisamos parar de focar em coisas pequenas como forma de tirar o foco do que realmente interessa, que é o fato de o Brasil ter sido levado ao chão por essas pessoas que, durante décadas, fizeram do Brasil um garimpo”, acrescentou.

 

Por fim, a senadora Selma Arruda afirmou que o ministro Sério Moro “é um homem de extrema credibilidade” e que o Brasil confia nele.

 

“Esses diálogos não desautorizam a altura moral do Sérgio Moro e nem desqualificam qualquer prova que tenha sido levada para esses processos. Portanto, não vejo motivo para esse escândalo todo que estão fazendo”, concluiu.

 

 

 

 

Fonte:Midia News

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *