Prefeito vê ilegalidade em paralisação e promete ir à Justiça se motoristas não retomarem atividades

O prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB) anunciou que vai tomar providências na Justiça, caso os motoristas do transporte coletivo da Capital não retomem as atividades ainda nesta segunda-feira (10). Os profissionais cruzaram os braços na madrugada alegando que não receberam o salário de maio no 5º dia útil deste mês, conforme previsto no acordo com as empresas.

“Indignado com a falta de respeito com a população, o prefeito Emanuel Pinheiro afirma que se as atividades do transporte coletivo não forem retomadas hoje, vai tomar providências na Justiça”, disse Pinheiro por meio de nota.

A Prefeitura destaca que a paralisação é ilegal e que a categoria deveria ter dado um aviso prévio de 72h antes da interrupção do serviço, conforme estabelecido por lei. Afirma que 30% da frota deveria ter sido mantido em circulação por se tratar de um serviço essencial.

Na publicação, o prefeito determinou que o secretário de Mobilidade Urbana (Semob), Antenor Figueiredo, se reúna com as empresas e o sindicato dos motoristas para tentar resolver o impasse.

Ele ainda estranhou a paralisação neste momento, principalmente, após o lançamento do edital de licitação do transporte público.

A Associação Mato-grossense dos Transportes Urbanos confirmou que 100% dos ônibus estão parados nesta segunda. Destaca que as empresas estão com dificuldades financeiras devido oscilações no valor da passagem, o que teria ocasionado um desiquilíbrio financeiro.

Ainda segundo a MTU, as empresas estão tentando viabilizar o pagamento do salário dos motorista desde a semana passada.

Veja a nota da Prefeitura de Cuiabá na íntegra:

Sobre a paralisação dos motoristas do transporte coletivo, a Prefeitura de Cuiabá informa que:

– Repudia a paralisação surpresa dos motoristas. O movimento é ilegal, uma vez que acontece sem o aviso prévio de 72h estabelecido por lei;

– O transporte público é um serviço essencial e também um direito social, portanto, 30% da frota deveria ser mantida em circulação;

– O prefeito Emanuel Pinheiro determinou que o secretário Municipal de Mobilidade Urbana (Semob), Antenor Figueiredo, se reúna com representantes do sindicato dos Motoristas e das empresas para buscar uma solução para o retorno do transporte coletivo imediatamente;

– O prefeito também estranha a paralisação neste momento, logo após a o lançamento do edital de licitação do transporte coletivo, procedimento que não era realizado há 17 anos e que vai modernizar o transporte público de Cuiabá.

– Indignado com a falta de respeito com a população, o prefeito Emanuel Pinheiro afirma que se as atividades do transporte coletivo não forem retomadas hoje, vai tomar providências na Justiça.

Prefeitura de Cuiabá

Fonte: O Bom da Notícia | Foto: Reprodução

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *