OPINIÃO DO DIA: Folha de São Paulo e o desserviço a Nação!

O jornal FOLHA DE SÃO PAULO, tem sido o maior inimigo declarado do Brasil, é contra tudo e todos o tempo todo, todo o tempo.
Todos os dias, regularmente, suas manchetes e matérias são escancaradamente tendenciosas e criticam com raiva à qualquer ato ou ação do Governo.
Não importa em que área, em que situação ou setor, ela é contra, condena e desce o cacete com a fúria de quem se sente revoltado e com ódio sem nenhum limite.
A torcida pra não dar certo ficou piegas é visível, seu instituto de pesquisas se afundou na tendenciosa prática de tentar induzir eleitores, ninguém acredita mais, errou feio em todas.
Talvez essa postura agressiva seja fruto de uma posição do novo Governo de contingenciar as verbas publicitárias que tanto foram generosamente dirigidas ao veículo transformando-o em uma potência midiática.
A FOLHA, nos últimos anos foi contemplada com fortunas públicas de todos os meios que o poder pode contemplar.
Mídias, financiamentos, patrocínios, matérias pagas, fizeram do jornal, um órgão da expressão oficial de governos petistas de tamanho monstruoso.
Só não dava mais espaços em função de que não pegaria bem, rodar um jornal diário de umas 200 páginas, só pra falar bem do PT, babar nos seus dirigentes e de outros partidos que não se opunham à esta relação espúria e ilegal.
Seus articulistas são treinados como cães farejadores, raivosos, transformam um episódio comum em um erro condenável.
Na boca dos Bolsonaros, “um copo d’água gelada” vira. “Aguas mortal e contaminada” perderam a noção, o juízo e foram pro vale tudo.
O Presidente e Ministros não precisam errar, sua simples existência é considerada pelo periódico um erro, uma aberração, uma ameaça, uma medida ou discurso antecipadamente condenáveis.
Nos últimos meses tem feito uma oposição dura, acirrada e constante de quaisquer ações do Estado, o novo governo na Folha é pior que o anterior, aquele que é da sua régua, parceria e vassalisse.
A ordem de sua direção parece ser destruir, custe o que custar, atirem, de 22, 12, fuzil, metralhadora, aproveitando claro, a liberdade de armas que tanto condena.
Essa aposta de todas as fichas, deste antes respeitado órgão de imprensa, parece não estar dando muito certo.
Os números de sua circulação, acessos e assinantes vem caindo a cada dia, as pessoa estão tomando ojeriza, credibilidade não existe mais e moral virou só uma palavra.
Anunciantes ficaram escassos, leitores não mais acreditam em suas matérias e o governo parece (desculpem o termo chulo) cagar e andar pra eles.
Não funciona, não tem mais credibilidade, a manchete do dia, sempre se desmente, no decorrer dos dias.
Para a FOLHA e seus editores e dirigentes, a máxima de que uma mentira dita insistentemente, em verdade se transforma, pena que isso é só folclore nesses tempos de WEB.
Esse desserviço à nação e a todos os Brasileiros ascende uma polêmica que talvez mude os rumos da imprensa no país.
A prova inequívoca de que esta mesma imprensa, sustentado por verbas públicas robustas, não tem competência para sustentar suas estruturas e que o governo tem que ser paternalista com o seguimento se não inexistem.
Não diferente, nos Estados da federação, a imprensa sem dinheiro público não existe, só sobrevivem com estes recursos e seu corte os quebra a todos, não planejaram um plano B, estacionaram no comodismo, incompetência aferida, vaidade assumida e gestão destrutiva.
Parece que Bolsonaro não vai mudar seu posicionamento, e o tal bater , não está funcionando, aliás bater é coisa do passado, na rede social são desacreditados de forma imediata.
Esta queda de braço entupida, provocada pela FOLHA, já deu!
Ninguém aguenta mais ler o jornal, ficou chato ver suas manchetes mentirosas serem desmentidas nos outros noticiários e na internet.
Chega né? Acabou a graça. Encheu o saco!

 

JPM – João Pedro Marques é advogado e jornalista, com escritórios em Brasília e Mato Grosso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *